Rádio Difusora (São Paulo)

extinta emissora de rádio brasileira da cidade de São Paulo
Difusora AM
Rádio Difusora de São Paulo S/A
País  Brasil
Cidade de concessão Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Frequência(s) AM 960 kHz
Slogan O som alegria da cidade
Fundação 24 de novembro de 1934
Extinção 03 de setembro de 1981
Fundador Luiz Assumpção
Proprietário(s) Luiz Assumpção (1934-1947)
Assis Chateaubriand (1947-1968)
Condomínio Acionário (1968-1981)
Género Jornalismo, Pop, R&B, Disco
Idioma Língua portuguesa
Nome(s) anterior(es) Radio Diffusora São Paulo
Cobertura São Paulo, estado de São Paulo e estados vizinhos

A Rádio Difusora AM foi uma emissora de rádio brasileira de São Paulo, que operava na frequência de onda média (AM) 960 kHz.

HistóriaEditar

Fundada em 24 de novembro de 1934 por Luiz Assumpção no bairro paulistano do Sumaré e adquirida em 1947 pelos Diários Associados, a Difusora São Paulo foi a primeira rádio do Brasil a ser criada sob o regime de sociedade anônima.[1] Marcou época nos anos 1940-50 com uma programação diversificada [2]e noticiários comandados por Carlos Spera. Foi na Difusora onde Homero Silva comandou o programa Clube Papai Noel, com a participação de crianças. Mais tarde, algumas delas fizeram carreiras na TV, como Hebe Camargo e Vida Alves. [3]

Na década de 1970, antecedendo às futuras rádios FMs musicais, a emissora inovou com a programação musical batizada de Jet Music (música a jato), direcionada ao público jovem, com sucessos trazidos dos EUA, inspirada na emissora WABC de Nova York. Nesta época a emissora era dirigida por Cayon Gadia, autor do famoso slogan Gente fina é outra coisa [4] e contava com grandes locutores, entre eles Dárcio Arruda, que apresentava o programa Disco de Ouro.

Outro diretor que se destacou na Difusora foi Luiz Fernando Maglioca, que introduziu o quadro A melhor de três, entre outras mudanças. [5]

Ela tinha como suas concorrentes a Rádio Excelsior, que era especializada em trazer sucessos vindos da Europa, e a Rádio América (São Paulo).

ExtinçãoEditar

A Difusora foi tirada do ar em 3 de setembro de 1981. Ela detinha a concessão da TV Tupi São Paulo, canal 4 VHF, que tinha sido tirada do ar em 18 de julho de 1980. A Justiça decidiu que a emissora não tinha como honrar os compromissos deixados pela TV Tupi e decretou sua falência.[6] Foram lacrados os transmissores do AM 960 KHz, da Difusora FM (São Paulo) 98,5 MHz, e das emissoras de ondas curtas de 6095 kHz (49m), 11765 kHz (25m) e 15155 kHz (19m)[7] [8] [9] que transmitiam a programação da Rádio Tupi de São Paulo, esta também tirada do ar em 1984. [10]

Referências