Abrir menu principal

Região Metropolitana de Ribeirão Preto

Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP) é a primeira região metropolitana do estado de São Paulo fora da macrometrópole, formada pelo aglomerado de 34 municípios. O projeto de lei complementar que instituiu a região metropolitana[4][5] foi aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo em 15 de junho de 2016,[6] sendo oficialmente sancionado pelo governador Geraldo Alckmin em 6 de julho do mesmo ano.[7][8]

Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP)
Localização
Localização da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP)
Unidade federativa  São Paulo
Lei LCE 1290/2016
Data da criação 6 de julho de 2016
Número de municípios 34
Cidade-sede Ribeirão Preto
Regiões metropolitanas limítrofes Franca
Características geográficas
Área 14 787,89 km²[1]
População 1 720 469 hab. (18º) Estimativa Populacional IBGE/2019[2]
Densidade 116,34 hab./km²
PIB R$ 60.056.300.000,00 IBGE/2016[3]
PIB per capita R$ 30.271,30 IBGE/2016

A RMRP conta com 14 787,890 km² (5,96% do Estado e 0,17% do país), em relação à população, a nova região metropolitana tem cerca de 1,7 milhão de habitantes (3,8% do Estado e 0,82% do país) e seu Produto Interno Bruto (PIB) estimado no ano base de 2016 é de R$ 60,1 bilhões (2,96% do PIB do Estado e 0,97% do PIB brasileiro). É composta por 34 municípios, sendo que oito deles estão localizados às margens da rodovia Anhanguera.[9] A frota de veículos na RMRP em 2016, totalizava 1.040.684 unidades.[10] Com isso, a RMRP passa a ser a 18ª mais populosa e a 17ª de maior PIB do país.

HistóricoEditar

Os fatores que possibilitaram a criação da região metropolitana, foram a concentração populacional, a geração de renda, o fluxo de moradores entre as cidades e a infraestrutura aeroportuária e rodoviária. Seu processo de formalização teve início em março de 2016, e teve três audiências: Mococa, Jaboticabal e Ribeirão Preto, em abril de 2016.[6] Como benefício, os municípios que integram a Região Metropolitana de Ribeirão Preto terão um conselho metropolitano, fundo próprio com dinheiro do estado e dos municípios, articulação conjunta de serviços de segurança, saúde e transporte, além do fim do DDD para chamadas intermunicipais dentro da RMRP.

ConurbaçãoEditar

 
Imagem de satélite do entorno da metrópole, com destaque para as duas maiores cidades da região metropolitana, Ribeirão Preto (à direita) e Sertãozinho (à esquerda), e seu processo de conurbação, ainda em fase inicial.

Algumas cidades no entorno de Ribeirão Preto estão iniciando um processo de conurbação (unificação da malha urbana de duas ou mais cidades, em consequência de seu crescimento geográfico). Atualmente as cidades de Sertãozinho e Jardinópolis estão crescendo em direção a metrópole da região, e ficando muito próximas geograficamente. A cidade de Pontal também está se expandindo em direção a Sertãozinho e aproximando a malha urbana das duas cidades. Há também cidades como Cravinhos e Dumont que estão relativamente próximas a Ribeirão Preto e Sertãozinho. No entanto existe a discussão de se evitar a conurbação através de planos de crescimento evitando os problemas inerentes a esta situação, como a segurança por exemplo.

Polarizadores[9]Editar

Agronegócio
Economia ligada ao agronegócio sobretudo na indústria sucroalcooleira de importância regional e nacional.
Eventos internacionais
Agrishow (Ribeirão Preto) e Fenasucro & Agrocana (Sertãozinho).
Diversidade de atividades industriais e de serviços
Polo industrial de equipamentos médicos e odontológicos. Significativo parque industrial de metalurgia pesada de apoio à indústria sucroalcooleira.
Tecnologia
Parque Tecnológico de Ribeirão Preto - Fundação Instituto Polo Avançado da Saúde e APL de Software.
Saúde
Excelência em saúde - APL da Saúde, Curso de medicina da USP campus Ribeirão Preto e Hospital das Clínicas. Conta com 46 estabelecimentos hospitalares públicos e privados, sendo que 19[11] estão localizados em Ribeirão Preto. Destacam-se o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (campus da USP – Ribeirão Preto), o Hospital Oftalmológico de Ribeirão Preto, referência em oftalmologia na região, e o Hospital de Câncer de Ribeirão Preto - Fundação SOBECCan.
Aeroporto Estadual Dr. Leite Lopes
Dentre todos aeroportos (DAESP) do interior paulista, o aeroporto de Ribeirão Preto, é responsável por 43% da movimentação total de passageiros, 24% das cargas transportadas e 12% dos pousos e decolagens.
Atividades turísticas
Estâncias turísticas de Nuporanga, Batatais e Santa Rita do Passa Quatro, além do potencial para o turismo sustentável: agronegócio, turismo rural, histórico cultural, de educação e religioso, dentre outros.
Importantes reservas naturais

- APAs: Eco turística do Médio Pardo e Morro de São Bento;

- Estações Ecológicas: Ribeirão Preto, Jataí e Santa Maria;

- Estações Experimentais: Bento Quirino, Luís Antônio, Santa Rita e São Simão;

- Floresta Estadual de Batatais, Parque Estadual Vassununga e Reserva Biológica de Sertãozinho.

Conselho de DesenvolvimentoEditar

A primeira reunião de oficialização do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Ribeirão Preto aconteceu no dia 27 de março de 2017, na sede da Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (AEAARP) e contou com a presença de 22 prefeitos e do subsecretário de Assuntos Metropolitanos, Edmur Mesquita, entre outras autoridades. Inclusive, foram eleitos o presidente e o vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento: Duarte Nogueira (Prefeito de Ribeirão Preto) e José Luis Romagnoli (Prefeito de Batatais), respectivamente.[12]

MunicípiosEditar

Município Área (km²) População IDH/2010 PIB em R$
(2016)
Qtde Veículos
(2017)[13]
Porte da Cidade
Altinópolis 928,96 16.184 0,823
muito alto
R$ 462 milhões 9.390 pequena
Barrinha 146,03 32.812 0,766
alto
R$ 479 milhões 14.319 pequena
Batatais 849,53 62.508 0,825
muito alto
R$ 1,6 bilhão 40.279 média-pequena
Brodowski 278,46 24.939 0,805
muito alto
R$ 537 milhões 14.736 pequena
Cajuru 660,09 26.167 0,783
alto
R$ 546 milhões 14.421 pequena
Cássia dos Coqueiros 191,68 2.523 0,796
alto
R$ 140 milhões 1.397 pequena
Cravinhos 311,42 35.292 0,815
muito alto
R$ 1 bilhão 21.561 pequena
Dumont 111,38 9.868 0,802
muito alto
R$ 235 milhões 4.621 pequena
Guariba 270,29 40.105 0,756
alto
R$ 1,2 bilhão 20.063 pequena
Guatapará 413,57 7.656 0,776
alto
R$ 206 milhões 3.313 pequena
Jaboticabal 706,60 77.263 0,815
muito alto
R$ 2,6 bilhões 55.838 média-pequena
Jardinópolis 501,87 44.380 0,808
muito alto
R$ 1 bilhão 23.172 pequena
Luiz Antônio 598,26 14.947 0,795
alto
R$ 1 bilhão 6.489 pequena
Mococa 1.000,84 68.885 0,809
muito alto
R$ 1,9 bilhão 42.570 média-pequena
Monte Alto 346,95 50.498 0,813
muito alto
R$ 1,7 bilhão 39.225 pequena
Morro Agudo 1.388,13 32.968 0,767
alto
R$ 1,2 bilhão 17.489 pequena
Nuporanga 348,27 7.432 0,784
alto
R$ 468 milhões 4.003 pequena
Orlândia 291,77 44.028 0,824
muito alto
R$ 1,6 bilhão 32.729 pequena
Pitangueiras 430,64 39.719 0,764
alto
R$ 1 bilhão 19.770 pequena
Pontal 356,37 49.961 0,792
alto
R$ 1 bilhão 19.544 pequena
Pradópolis 167,38 21.496 0,798
alto
R$ 736 milhões 9.484 pequena
Ribeirão Preto 650,92 703.293 0,855
muito alto
R$ 29,9 bilhões 515.346 grande
Sales Oliveira 395,78 11.890 0,819
muito alto
R$ 320 milhões 6.780 pequena
Santa Cruz da Esperança 148,06 2.139 0,794
alto
R$ 37 milhões 822 pequena
Santa Rita do Passa Quatro 754,14 27.557 0,832
muito alto
R$ 621 milhões 18.339 pequena
Santa Rosa de Viterbo 288,58 26.540 0,804
muito alto
R$ 729 milhões 15.676 pequena
Santo Antônio da Alegria 310,29 6.929 0,770
alto
R$ 149 milhões 3.122 pequena
São Simão 617,25 15.322 0,801
muito alto
R$ 445 milhões 8.350 pequena
Serra Azul 283,14 14.662 0,742
alto
R$ 143 milhões 3.981 pequena
Serrana 126,05 45.107 0,775
alto
R$ 882 milhões 21.631 pequena
Sertãozinho 403,09 125.815 0,833
muito alto
R$ 5,1 bilhões 87.486 média
Taiuva 132,46 5.566 0,789
alto
R$ 100 milhões 3.288 pequena
Tambaú 561,79 23.207 0,792
alto
R$ 489 milhões 14.391 pequena
Taquaral 53,89 2.811 0,765
alto
R$ 39 milhões 1.245 pequena
Total 14.787,89 1.720.469 0,797
alto
R$ 60.1 bilhões 1.113.625

DemografiaEditar

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. Seade. «Perfil Regional - Região Metropolitana de Ribeirão Preto». Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Consultado em 4 de julho de 2016 
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (28 de agosto de 2019). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 1º de julho de 2019» (PDF). Consultado em 28 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2019 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Tabela 1 - Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os municípios - 2016». Consultado em 17 de dezembro de 2018 
  4. «Projeto de Lei Complementar 16, de 07/06/2016 ( Projeto Lei Complementar 16/2016 )». www.al.sp.gov.br. Consultado em 4 de julho de 2016 
  5. Projeto de Lei Complementar 16/2016
  6. a b «Região Metropolitana de Ribeirão Preto, SP, é aprovada pela Alesp». 15 de junho de 2016. Consultado em 4 de julho de 2016 
  7. «Alckmin sanciona lei que oficializa a Região Metropolitana de Ribeirão». G1. 7 de julho de 2016. Consultado em 7 de julho de 2016 
  8. «Nova Região Metropolitana de Ribeirão Preto engloba 34 municípios». Portal Governo do Estado de São Paulo. 7 de julho de 2016. Consultado em 7 de julho de 2016 
  9. a b EMPLASA. «Perfil Regional - Região Metropolitana de Ribeirão Preto». Emplasa. Consultado em 7 de julho de 2016. Arquivado do original em 22 de maio de 2016 
  10. «Frota de Veículos - 2016». Denatran. 31 de dezembro de 2016. Consultado em 24 de abril de 2017 
  11. «Alckmin participa da inauguração do Hospital Unimed Ribeirão». Consultado em 2 de julho de 2016 
  12. «RM de Ribeirão Preto elege presidente e vice-presidente do Conselho». EMPLASA. 27 de março de 2017. Consultado em 29 de março de 2017 
  13. «Frota de Veículos - 2017». Denatran. 27 de março de 2018. Consultado em 07 de abril de 2018  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)