República Socialista Soviética da Letônia

Латвийская Советская Социалистическая Республика
Flag of the Latvian Soviet Socialist Republic (1953–1990).svg COA Latvian SSR.png
Bandeira da RSS da Letônia (Escudo da RSS da Letônia)
Lema: Visu zemju proletārieši, savienojieties!
Hino Hino da RSS da Letônia
Soviet Union - Latvian SSR.svg
Língua oficial Letão e russo.
Fez parte
da URSS:
 - Desde
 - Até
21 de Julho de 1940

5 de Agosto de 1940
4 de Maio de 1990
Capital Rīga
Área
 - Total
 - % água
121º maior
64.589 km²
1,5%
Moeda Rublo (rublis)
Fuso horário
 - Horário de verão
EET (UTC+2)
EEST (UTC+3)

A República Socialista Soviética da Letónia (pt) ou Letônia (pt-BR) (em letão: Latvijas Padomju Sociālistiskā Republika; em russo: Латвийская Советская Социалистическая Республика, transl. Latviyskaya Sovetskaya Sotsialisticheskaya Respublika) era uma das repúblicas que formavam a extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

A antiga república independente da Letônia (1918 - 1940) foi desfeita graças à invasão soviética de 17 de Junho de 1940. Respaldados pelo Pacto Molotov-Ribbentrop de 23 de Agosto de 1939, os Soviéticos invadiram o Leste Europeu, estabelecendo governos fantoches. O nome RSS da Letônia foi dado ao governo fantoche estabelecido pelos soviéticos na Letônia em 21 de Julho de 1940.

Anexada formalmente à União Soviética em 5 de Agosto de 1940, sofreu invasão dos alemães nazistas em 1941 e só foi retomada pelos soviéticos em 1944-1945.

As potências ocidentais consideraram a invasão e anexação da Letônia pela URSS ilegal. Sem reconhecer o novo Estado, tais potências mantiveram relações diplomáticas com representantes da República Independente da Letônia. O reconhecimento da SSR da Letônia como parte oficial da União Soviética nunca foi feito pelas potências ocidentais.

Além das perdas materiais devido à guerra, centenas de civis foram mortos e dezenas de centenas de pessoas foram deportadas da Letônia pelas autoridades soviéticas até a morte de Josef Stalin em 1953. Em comparação a outras partes da URSS, a economia fluiu melhor e hoje a Letônia é uma das antigas repúblicas da URSS mais rica.

Na Letônia soviética foi criada ou melhorada a capacidade industrial, automotiva e fábricas tecno-elétricas, assim como a indústria de processamento de comida, tubos de petróleo e portos com reservatórios de petróleo, graças ao investimento do governo central da URSS. Porém a Letônia sofre com uma deficiência na lavoura. Os agricultores foram movidos da Rússia, o que inclui um fluxo de Cidadãos Soviéticos não-letões para Letônia. Após 40 anos neste processo, a população não-letã era quase a metade de Riga, e era maioria nas cidades de Ogre e Jelgava. Isso aumentou a crise demográfica sobre os letões, que temiam tornar-se minoria dentro de sua própria terra.

A RSS da Letônia, assim como as outras Repúblicas Bálticas, ganharam grande autonomia no final dos anos 80. Em 1988 foi permitido usar a Antiga Bandeira utilizada antes da Guerra, substituindo a bandeira da RSS da Letônia como bandeira Oficial em 1990. Os candidatos letões Pró-Independência ganharam dois terços do Supremo Conselho nas eleições democráticas de Março de 1990. Em 4 de Maio 1990, o conselho declarou a intenção de restaurar a independência total da Letônia após o período de transição através de negociação com a URSS. Esta foi a data que a RSS da Letônia foi renomeada para República da Letônia.[1]

Entretanto, o poder central em Moscou continuou a considerar a Letônia uma República Soviética em 1990-1991. Em Janeiro de 1991 políticos soviéticos e forças militares tentaram sem sucesso acabar com a legitimidade das autoridades da Letônia com a ocupação da Casa Pública Central em Riga e estabelecer um Comitê Nacional de Salvação para usurpar as funções do governo. Durante o período de transição, Moscou manteve muitas centrais de autoridade do Governo Soviético na Letônia. Em relação a isso, setenta e três por cento de todos os residentes na Letônia confirmaram suas forças para dar suporte à Independência no referendo de 3 de Março de 1991. Uma grande parte de descendentes russos votaram contra.

A República da Letônia declarou o fim do período de transição e restaurou sua total independência em 21 de Agosto de 1991, contrariando a falida cúpula soviética. Letônia, assim como Lituânia e Estônia de fato deixaram de ser parte da URSS quatro meses depois da União Soviética deixa de existir (26 de Dezembro de 1991). Antes, em 6 de Setembro, a independência dos três estados bálticos foi oficialmente reconhecida pela URSS.

Hoje a República da Letônia é um dos três Países Bálticos, oficialmente uma continuação do estado soberano que era independente em 1918-1940, antes da invasão soviética, e não aceita qualquer conexão legal com a RSS da Letônia. Depois da independência, o Partido Comunista da Letônia não teve continuação, e vários oficiais de alta patente da antiga república soviética foram processados por violação dos direitos humanos.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Declaração do Soviete Supremo da RSS Letã em 4 de maio de 1990». Consultado em 9 de março de 2011. Arquivado do original em 8 de abril de 2011