Abrir menu principal

Ribeirão dos Índios

município brasileiro do estado de São Paulo

Ribeirão dos Índios é um município brasileiro do estado de São Paulo.

Município de Ribeirão dos Índios
Bandeira de Ribeirão dos Índios
Brasão de Ribeirão dos Índios
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 6 de agosto
Fundação 6 de agosto de 1995 (24 anos)
Gentílico ribeiríndio
Prefeito(a) José Amauri Lenzoni (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Ribeirão dos Índios
Localização de Ribeirão dos Índios em São Paulo
Ribeirão dos Índios está localizado em: Brasil
Ribeirão dos Índios
Localização de Ribeirão dos Índios no Brasil
21° 50' 13" S 51° 36' 14" O21° 50' 13" S 51° 36' 14" O
Unidade federativa São Paulo
Mesorregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Microrregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Dracena e Junqueirópolis,
Sul: Santo Anastácio,
Leste: Emilianópolis e Presidente Bernardes,
Oeste: Piquerobi.
Distância até a capital 630 km
Características geográficas
Área 196,991 km² [2]
População 2 187 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 11,1 hab./km²
Altitude 386 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 25 447,000 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 016,02 IBGE/2008[5]

Índice

HistóriaEditar

Há 7.000 anos, nesta região do Estado de São Paulo, já existiam indígenas que confeccionavam artefatos de pedra lascada. Há 1.000 anos, outras populações originárias já produziam pedra polida e cerâmica, segundo indicam os sítios arqueológicos próximos à cidade, conhecida atualmente como Ribeirão dos Índios (informações coletadas de pesquisas realizadas pela Unesp). Obviamente, após o holocausto indígena, pós-chegada dos colonizadores portugueses, essas populações desapareceram completamente. Decorridos muitos séculos, em meados do ano de 1922, existiam na região latifúndios que ainda conservavam a mata tropical intacta, existindo apenas estreitos picadões que serviam de ligação entre as propriedades.

No final do mesmo ano, o Cel. Joao Gomes Martins, de nacionalidade portuguesa, iniciou o retalhamento de pequenas glebas de terras de sua propriedade, situada ao longo do rio Ribeirão dos Índios, afluente do Rio do Peixe.

Em meados de 1923, Antonio Feitor fixou-se naquelas terras, onde semeou as primeiras culturas. Após algum tempo, começaram a chegar os primeiros colonos que adquiriram pequenas glebas. Esses colonos vieram da zona velha do estado, onde predominavam imigrantes de origem italiana. Nessa época, chegaram as famílias de João e José Basso, Domingos Grilo, Carlos Crepaldi, Ermínio e Francisco Cancian, Benjamim Cacheffo, Domingos Scalon, Vicente Zanutto, Manoel Real, Irmãos Bortolan, os Seleguini e os Zanforlin, Joaquim da Costa e Jácio Cotrin, integraram a primeira grande leva de colonizadores de Ribeirão dos Índios, com o passar dos meses integraram-se mais outras famílias, das famílias Marin, Volpe, Icheco e Silvestre.

Em 1924, foi aberta no meio da mata uma estrada para facilitar a comunicação com o município sede Santo Anastácio. Finalmente em 1925 surge um pequeno povoado as margens do rio Ribeirão dos Índios, cujo nome certamente reconhece a presença de indígenas num passado longínquo. Pela Lei n° 2793, de 26 de dezembro de 1936, tal povoado foi elevado a distrito do município de Santo Anastácio, por Armando de Sales Oliveira.

Em 1995 o distrito de Ribeirão dos Índios passou a ser município Através da Lei n°9330 de 27 de dezembro de 1995, assinada pelo então Governador Mário Covas.

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 21º58'33" sul e a uma longitude 51º39'05" oeste, estando a uma altitude de 386 metros. Sua população estimada em 2016 é de 2.244 habitantes.

DemografiaEditar

Dados do Censo - 2010

População total: 2.187

  • Urbana: 1.850
  • Rural: 337
  • Homens: 1.080
  • Mulheres: 1.107

Densidade demográfica (hab./km²): 11,1

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,48

Expectativa de vida (anos): 71,98

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,06

Taxa de alfabetização: 84,27%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,754

  • IDH-M Renda: 0,633
  • IDH-M Longevidade: 0,783
  • IDH-M Educação: 0,845

(Fonte: IPEADATA)

HidrografiaEditar

RodoviasEditar

ComunicaçõesEditar

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[6], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[7], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[8] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 7 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2017 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  7. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  8. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externasEditar