Abrir menu principal

Rush Hour 2

filme de 2001 dirigido por Brett Ratner
Rush Hour 2
Hora de Ponta 2 (PRT)
A Hora do Rush 2 (BRA)
Pôster promocional
 Estados Unidos
 China

2001 •  cor •  92 min 
Direção Brett Ratner
Produção Roger Birnbaum
Jonathan Glickman
Arthur Sarkissian
Jay Stern
Roteiro Jeff Nathanson
Baseado em Personagens de Ross LaManna
Elenco Jackie Chan
Chris Tucker
John Lone
Alan King
Roselyn Sánchez
Harris Yulin
Zhang Ziyi
Gênero comédia de ação
Música Lalo Schifrin
Cinematografia Matthew F. Leonetti
Edição Mark Helfrich
Robert K. Lambert
Distribuição New Line Cinema
Lançamento Estados Unidos Canadá 3 de agosto de 2001
Brasil 5 de outubro de 2001
Japão 22 de setembro de 2001
Idioma inglês
cantonês
mandarim
Orçamento US$ 90 milhões
Receita US$ 347.325.802
Cronologia
Rush Hour
Rush Hour 3

Rush Hour 2 (A Hora do Rush 2 BRA ou Hora de Ponta 2 PRT) é um filme de artes marciais e comédia de ação de 2001. Este é o segundo episódio da série Rush Hour. A sequência do filme Rush Hour de 1998, estrelado por Jackie Chan e Chris Tucker que respectivamente reprisam seus papéis como inspetor Lee e o detetive Carter. O filme encontra Lee e Carter envolvidos em um esquema de falsificação envolvendo as Tríades.[1]

Rush Hour 2 foi lançado em 3 de agosto de 2001 com revisões mistas dos críticos, mas o filme arrecadou $347,325,802 em bilheteria em todo o mundo,[2] tornando-se o décimo primeiro filme de maior bilheteria de 2001 no mundo inteiro. É o filme live-action de artes marciais de maior bilheteria de todos os tempos, e a segunda maior bilheteria de filme de artes marciais de todos os tempos, atrás de Kung Fu Panda.[3] O filme foi seguido por outra sequência, Rush Hour 3, em 2007.

Índice

SinopseEditar

Após os acontecimentos do primeiro filme, o detetive de polícia de Los Angeles, James Carter, está de férias em Hong Kong com seu amigo, o inspetor-chefe da força policial de Hong Kong, com quem trabalhou junto para salvar a filha do cônsul chinês, Soo Yung, em Los Angeles. O lazer dos dois é temporariamente suspenso assim que uma bomba explode no Consulado Geral dos Estados Unidos, assassinando dois agentes disfarçados de funcionários da alfândega. O inspetor Lee é designado para o caso, que se torna pessoal quando ele descobre que, de alguma forma, envolve Ricky Tan, ex-parceiro de seu pai. Ricky, que era suspeito de ter um papel na morte do pai de Lee, é agora um líder das Tríades. Isso, no entanto, faz com que Lee e Carter entrem em uma briga com os guarda-costas de Ricky, com Carter se esfurecendo com Lee ao descobrir que ele aceitou um caso nas férias dos dois.

O Serviço Secreto dos EUA, liderado pelo agente Sterling, e a polícia de Hong Kong logo entram em uma briga pela jurisdição do caso. De repente, o escritório de Lee, onde Carter estava, é bombardeado, fazendo com que Lee acredite que ele esteja morto e sofra por isso. Carter é revelado por estar vivo, tendo deixado a sala da mesma explodir. Ao se reencontrarem, ele e Lee cruzam o iate de Ricky onde ele está dando um jantar. Ricky repreende sua subalterna, Hu Li, que sai quando Lee e Carter aparecem e confrontam Ricky. Enquanto pede proteção a Lee, Ricky é baleado por Hu Li, que escapa no meio do caos. Iriritado, Sterling responsabiliza Lee pela morte de Ricky e ordena que ele saia do caso. Carter é ordenado a voltar para Los Angeles. No entanto, no aeroporto, Carter faz com que Lee volte para Los Angeles com ele.

No avião, Carter diz a Lee que em todas as grandes operações criminosas, há sempre um homem rico branco por trás e que o tal homem é Steven Reign, um hoteleiro bilionário de Los Angeles que Carter viu agindo de forma suspeita no barco de Ricky. Eles montam acampamento do lado de fora das Reign Towers, avistando uma agente do Serviço Secreto dos EUA chamada Isabella Molina, que Carter havia conhecido anteriormente em Hong Kong. Depois de alguns mal-entendidos, Molina diz aos dois homens que ela está disfarçada, investigando a lavagem de dinheiro de Reign de US$ 100 milhões em superdólares.

Lee e Carter fazem uma visita a Kenny, um ex-presidiário e informante de Carter, que administra um salão de jogos na parte de trás de seu restaurante chinês. Ele diz a eles que um cliente, geralmente falido, recentemente entrou em seu estabelecimento com uma quantidade suspeita de notas de cem dólares. Carter confirma que eles são falsificações de Reign e eles rastreiam o dinheiro de volta para um banco. Os mafiosos estão esperando por eles e deixam os dois policiais inconscientes, com Molina os observando. Depois de chegar a Las Vegas, Lee e Carter acordam dentro de um dos caminhões da turba e escapam. Depois de descobrir onde eles estão, eles percebem que Reign está lavando os US$ 100 milhões através do novo Cassino Dragão Vermelho.

No Dragão Vermelho, Lee tenta encontrar as placas de gravação que foram usadas para fazer o dinheiro falso, enquanto Carter faz uma distração para ajudar Lee a passar pela segurança. No entanto, Hu Li captura Lee e o leva para uma sala onde é revelado que Ricky Tan forjou sua morte. Quando Ricky parte, Molina tenta prender Hu Li, mas Hu Li a domina e Molina é baleada. Depois que uma explosão dentro do cassino faz todos os convidados fugirem para a área de segurança, Carter se envolve em uma briga com Hu Li de uma maneira cômica e acidentalmente a derruba, enquanto Lee vai para a cobertura para impedir Ricky de escapar com os pratos. Na cobertura, Reign abre o cofre e pega os pratos, correndo para Ricky quando ele sai. Reign tenta desistir do acordo, mas Ricky o esfaqueia até a morte.

Ricky cai para a morte quando Lee o chuta para fora da janela. Hu Li entra com uma bomba-relógio forçando Lee e Carter a pularem a janela e se agarrarem aos fios de decoração. Os dois escapam na [[tirolesa] improvisada enquanto Hu Li morre na explosão. Mais tarde, no aeroporto, Molina agradece a Lee pelo seu trabalho no caso e o beija. Tendo planeado seguir caminhos diferentes, Lee e Carter mudam de opiniões quando Carter revela que ganhou uma grande quantia de dinheiro no casino e Lee revela que sempre quis ir ao Madison Square Garden em Nova Iorque.

ElencoEditar

LançamentoEditar

Antes de seu lançamento em 4 de agosto, Rush Hour 2 estreou ao público na quinta-feira de 26 julho de 2001 a bordo do United Airlines Flight 1 de Los Angeles a Hong Kong, que foi renomeado "The Rush Hour Express".[4] O Conselho de Turismo de Hong Kong se juntou com a United Airlines e a New Line Cinema em uma campanha que ofereceu dois trailers do filme para os passageiros de todos os voos da United domésticos durante julho e agosto (atingindo uma expectativa de 3 milhões de pessoas), bem como Hong Kong viagens com vídeos para inspirar os turistas a visitar a China, onde o filme foi definido. O filme recebeu críticas mistas. Atualmente tem uma classificação de "podre" de 52% no Rotten Tomatoes.

BilheteriaEditar

Rush Hour 2 abriu em 3 de agosto de 2001, em 3,118 cinemas norte-americanos, e arrecadou $67,408,222.87 ($21,619 por cinema) em sua semana de estréia.[5] Ele terminou seu funcionamento com $226,164,286.92, tornando-se o quarto filme de maior bilheteria de 2001 no mercado interno, e o filme de maior bilheteria de artes marciais na época.[3]

Total da bilheteria mundial do filme foi $347,325,802, tornando-se o décimo primeiro filme de maior bilheteria de 2001 no mundo inteiro.[2]

Rush Hour 2 arrecadou a mais que o seu antecessor, Rush Hour. Isto deveu-se ao fato de que ele tinha um pouco mais de longevidade na bilheteria e durou consistentemente no top bilheteria doméstica de dez para cerca de duas semanas mais do que Rush Hour.[6] Além disso, o hype em torno de Rush Hour 2 ajudou a manter os números elevados por um longo período de tempo. Depois de 50 dias desde o seu lançamento nacional, Rush Hour só foi No. 10 nas paradas de bilheteria, enquanto comparativamente, Rush Hour 2 ainda estava puxando em grandes platéias, após 50 dias em cartaz e foi o filme número 2 bilheteria no mercado interno.[7]

Prêmios e indicaçõesEditar

Rush Hour 2 ganhou um total de 27 indicações de prêmios e 10 vitórias, incluindo um MTV Award de Melhor Filme de Luta, um Teen Choice Award de Melhor Ator de Cinema-Choice, Comédia, e 3 Kids' Choice Awards for Favorite Male Butt Kicker (Chan), Ator de Filme Favorito (Tucker) e Filme Favorito.

SequênciaEditar

Devido ao inferno do desenvolvimento, Rush Hour 3 não foi liberado até 10 de agosto de 2007 e seis anos depois de Rush Hour 2.[8][9] A quarta parte da série está em negociações, no entanto, e supostamente pode ser definido, em Moscou.[10]

Trilha sonoraEditar

 Ver artigo principal: Rush Hour 2 (trilha sonora)
Rush Hour 2 Soundtrack
Trilha sonora de Vários artistas
Lançamento 31 de julho de 2001
Gravação 2001
Gênero(s) Hip hop, Rap, R&B,
Duração 65:46
Idioma(s) Inglês
Gravadora(s) Def Jam Recordings
Def Soul
UMG Soundtracks
Produção Jazze Pha, Teddy Riley, Rodney Jerkins, Rockwilder, Swizz Beatz, E-A-Ski, Gerald Levert, Joe N Little III, The Neptunes, Macy Gray, CMT, Focus, Andre Harris, Bloodshy
Cronologia de Vários artistas
 
Rush Hour
 
Singles de 'Rush Hour 2 Soundtrack'
  1. "Area Codes"
    Lançamento: 3 de julho de 2001
  2. "Party and Bullshit"
    Lançamento: 2002
  3. "How It's Gonna Be"
    Lançamento: 2002

A trilha sonora contém músicas hip hop e R&B e foi lançado em 31 de julho de 2001 por Def Jam Recordings, Def Soul e Universal Music Group. Ele alcançou a posição nº11 na Billboard 200 e nº11 no gráfico Top Álbuns R&B/Hip-Hop.

  1. "Area Codes" - 3:43 (Ludacris featuring Nate Dogg)
  2. "Mine, Mine, Mine" – 3:41 (Montell Jordan)
  3. "Party & Bullshit" – 3:11 (Method Man & Teddy Riley)
  4. "No" – 4:24 (Kandice Love)
  5. "He's Back" – 3:48 (Keith Murray)
  6. "Love Again" – 4:11 (Dru Hill e Larry "Jazz" Anthony featuring Jill Scott)
  7. "Keep It Real (Tell Me)" – 4:34 (Musiq Soulchild & Redman)
  8. "Crazy Girl" – 3:57 (LL Cool J & Mashonda)
  9. "How It's Gonna Be" – 3:40 (LovHer)
  10. "Paper Trippin'" – 4:03 (WC & Nate Dogg)
  11. "You Make Me Laugh" – 3:37 (Christina Milian)
  12. "Mercedes Benz" – 3:51 (Say Yes)
  13. "Blow My Whistle" – 4:06 (Hikaru Utada & Foxy Brown)
  14. "Figadoh" – 4:03 (Benzino featuring Scarface, and Snoop Dogg)
  15. "I'm Sorry" – 5:06 (3rd Storee)
  16. "Brollic" – 2:29 (FT)
  17. "The World Is Yours" – 4:12 (Macy Gray & Slick Rick)

Home mediaEditar

VHSEditar

Data de lançamento
País
Classificação/Avaliação
Publicado
Formato
Línguagem Legendas REF
11 de dezembro de 2001 Estados Unidos PG-13 New Line Home Entertainment NTSC Inglês Nenhum [11]
11 de março de 2002 Reino Unido 12 Eiv PAL [12]

DVDEditar

Data de lançamento
País
Classificação/Avaliação
Publicado
Formato
Região
Línguagem
Som
Legendas
Notas
Ref
11 de dezembro de 2001 Estados Unidos PG-13 New Line Home Entertainment NTSC 1 Inglês DD 2.0 Stereo,
DD 5.1,
DTS 5.1
Inglês Relação de Aspecto: 2.35:1 (16:9) [13]
24 de dezembro de 2001 Reino Unido 12 Eiv PAL 2 Desconhecido Relação de Aspecto: 1.77:1 (16:9) [14]

UMDEditar

Data de lançamento
País
Classificação/Avaliação
Publicado
Formato
Região
Línguagem
Som
Legendas
REF
26 de setembro de 2005 Reino Unido 12 Eiv PAL 2 Inglês Desconhecido Inglês [15]
3 de janeiro de 2006 Estados Unidos PG-13 New Line Home Entertainment NTSC 1 [16]

Blu-rayEditar

Rush Hour 2 está previsto para ser lançado em Blu-ray na Alemanha em 1 de dezembro de 2013. [17] Um Blu-ray foi originalmente previsto para ser lançado em outubro de 2007 nos EUA, e dezembro de 2007 no Reino Unido para coincidir com os lançamentos de Rush Hour e Rush Hour 3 no mesmo formato. Por razões desconhecidas, as duas datas foram retiradas do calendário de lançamentos.[18]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Scott, A. O. (3 de agosto de 2001). «FILM REVIEW; Making Fun With Feet and Tongue». The New York Times. Consultado em 24 de outubro de 2010 
  2. a b «Box Office Mojo - Rush Hour 2» 
  3. a b «Action - Martial Arts» 
  4. [1]
  5. «Rush Hour 2 Has $67.4-Million Debut». Los Angeles Times. 7 de agosto de 2001. Consultado em 25 de outubro de 2010 
  6. «Movie Rush Hour - Box Office Data, News, Cast Information». The Numbers. Consultado em 30 de agosto de 2011 
  7. «Rush Hour 2 Box Office data» 
  8. «Rush Hour 3». Rotten Tomatoes 
  9. «Rush Hour 3». Box Office Mojo. Consultado em 13 de março de 2008 
  10. «"Rush Hour 4" is Set in Moscow» 
  11. «Rush Hour 2 [VHS] (2001)». Amazon.com. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  12. «Rush Hour 2 [VHS] [2001]». Amazon.co.uk. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  13. «Rush Hour 2 (2001)». amazon.com. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  14. «Rush Hour 2 [DVD] [2001]». amazon.co.uk. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  15. «Rush Hour 2 [UMD Mini for PSP]». amazon.co.uk. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  16. «Rush Hour 2 [UMD for PSP] (2001)». amazon.com. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  17. «Rush Hour 2 Blu-ray Germany». blu-ray.com. Consultado em 14 de outubro de 2013 
  18. «Rush Hour 2». bva.org.uk. Consultado em 1 de abril de 2012 

Ligações ExternasEditar