Século II a.C.

Milénios: segundo milénio a.C. - primeiro milénio a.C. - primeiro milénio d.C.

Séculos: Século III a.C. - Século II a.C. - Século I a.C.

É considerada parte da era clássica, embora dependendo da região em estudo, outros termos possam ser mais adequados. Também é considerado o fim da Era Axial. No contexto do Mediterrâneo Oriental, é conhecido como período helenístico.

Recém-saído de suas vitórias na Segunda Guerra Púnica, a República Romana continuou sua expansão em territórios vizinhos, eventualmente anexando a Grécia e a costa norte-africana, depois de destruir a cidade de Cartago no final da Terceira Guerra Púnica. A influência de Roma também foi sentida no Oriente Próximo, quando estados helenísticos em ruínas como o Império Selêucida foram forçados a fazer tratados em termos romanos para evitar o confronto com os novos senhores do Mediterrâneo ocidental. O final do século testemunhou a reforma do Exército Romano de um exército de cidadãos para uma força profissional voluntária, sob a orientação do notável general e estadista Caio Mário (Reformas de Mário).

No Sul da Ásia, o Império Máuria na Índia entrou em colapso quando Briadrata Máuria, o último imperador, foi morto por Pusiamitra Sunga, um general Máuria e fundador do Império Sunga.

No Extremo Oriente, a China atingiu um ponto alto durante a Dinastia Han. O Império Han estendeu suas fronteiras da Coréia no leste ao Vietnã no Sul até as fronteiras do moderno Cazaquistão no oeste. Também no século II a.C, os Han despacharam o explorador Zhang Qian para explorar as terras a oeste e formar uma aliança com os iuechis a fim de combater a tribo nômade dos Xiongnu.

EventosEditar

DécadasEditar

Década de 190 a.C. | Década de 180 a.C. | Década de 170 a.C. | Década de 160 a.C. | Década de 150 a.C. | Década de 140 a.C. | Década de 130 a.C. | Década de 120 a.C. | Década de 110 a.C. | Década de 100 a.C.

AnosEditar

200 a.C. | 199 a.C. | 198 a.C. | 197 a.C. | 196 a.C. | 195 a.C. | 194 a.C. | 193 a.C. | 192 a.C. | 191 a.C.

190 a.C. | 189 a.C. | 188 a.C. | 187 a.C. | 186 a.C. | 185 a.C. | 184 a.C. | 183 a.C. | 182 a.C. | 181 a.C.

180 a.C. | 179 a.C. | 178 a.C. | 177 a.C. | 176 a.C. | 175 a.C. | 174 a.C. | 173 a.C. | 172 a.C. | 171 a.C.

170 a.C. | 169 a.C. | 168 a.C. | 167 a.C. | 166 a.C. | 165 a.C. | 164 a.C. | 163 a.C. | 162 a.C. | 161 a.C.

160 a.C. | 159 a.C. | 158 a.C. | 157 a.C. | 156 a.C. | 155 a.C. | 154 a.C. | 153 a.C. | 152 a.C. | 151 a.C.

150 a.C. | 149 a.C. | 148 a.C. | 147 a.C. | 146 a.C. | 145 a.C. | 144 a.C. | 143 a.C. | 142 a.C. | 141 a.C.

140 a.C. | 139 a.C. | 138 a.C. | 137 a.C. | 136 a.C. | 135 a.C. | 134 a.C. | 133 a.C. | 132 a.C. | 131 a.C.

130 a.C. | 129 a.C. | 128 a.C. | 127 a.C. | 126 a.C. | 125 a.C. | 124 a.C. | 123 a.C. | 122 a.C. | 121 a.C.

120 a.C. | 119 a.C. | 118 a.C. | 117 a.C. | 116 a.C. | 115 a.C. | 114 a.C. | 113 a.C. | 112 a.C. | 111 a.C.

110 a.C. | 109 a.C. | 108 a.C. | 107 a.C. | 106 a.C. | 105 a.C. | 104 a.C. | 103 a.C. | 102 a.C. | 101 a.C.

  1. Sin-léqi-unnínni (2017). Ele que o abismo viu. Traduzido por Jacyntho Lins Brandão. [S.l.]: Autêntica. p. 16. ISBN 978-85-513-0283-5