Saeco (equipa ciclista)

equipa ciclista italiana
Saeco
Informações
Estatuto
equipa pro (-)
UCI Trade Team I (d) (-)
Códigos UCI
SAE (de a ) e MER (de a )
Disciplina
Países
Fundação
Extinção
Temporadas
5Visualizar e editar dados no Wikidata
Designações anteriores
Verynet-FNT-AS Juvenes San Marino
GIS Gelati-Benotto
GIS Gelati-Ballan
-
Mercatone Uno-Zucchini-Medeghini
Mercatone Uno-Medeghini
Mercatone Uno-Saeco
Saeco-Estro-AS Juvenes San Marino
Saeco-Estro
-
Saeco-Cannondale
Saeco-Valli & Valli
Saeco
-
Saeco-Longoni Sport
-
Saeco
Equipamento
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
equipamento

Saeco foi uma equipa ciclista italiana que correu nas temporadas de 1996-2004.

História da equipa editar

Origem editar

Foi fundada em 1989 com o nome de Verynet-FNT-Juvenes San Marino, sendo administrado pelas Juvenes e com licença de San Marino. Entre 1990 e 1991, GIS Gelati converteu-se no principal patrocinador, e os quatro anos seguintes patrocinou-os Mercatone Uno[1] (que uma vez que deixou o patrocínio desta formação, voltou a patrocinar a outra equipa).

Em 1996 chegou um novo patrocinador, a empresa italiana de cafeteiras Saeco, sendo em 1997 onde já tomou a licença italiana.

Nos anos de Cipollini editar

Em 1996 a equipa alinhou a um dos mais destacados sprinters do momento: Mario Cipollini. Mário foi o máximo expoente desta equipa até 2001, ano no que deixou a equipa para se ir ao Acqua & Sapone.

Cipollini conseguiu 22 etapas no Giro d'Italia e 9 etapas no Tour de France entre 1996 e 2001, conseguindo também a classificação por pontos (maglia ciclamino) do Giro d'Italia de 1997. Em 2000 também conseguiu duas etapas na prestigiosa Volta à Romandia.

No entanto não todos os sucessos da equipa se reduziram ao seu sprinter. Também conseguiram grandes resultados como por exemplo a vitória no Giro d'Italia de 1997 de mão de Ivan Gotti (venceu também numa etapa).[2] Por sua vez Francesco Casagrande foi sexto na geral final do Tour de France 1997.

Em 1999 Paolo Savoldelli conseguiu uma etapa e a segunda posição na geral final do Giro d'Italia, bem como o Volta à Romandia de 2000. Nesse mesmo ano o veterano Laurent Dufaux ganhou o Campeonato de Zurique

Simoni e Cunego editar

Para a temporada de 2002 chegou à equipa Gilberto Simoni, ganhador do último Giro d'Italia, que procedia da Lampre. Também se uniu à equipa Damiano Cunego, procedente do campo amador, para estreiar no pelotão profissional.

Em 2002 o veterano Salvatore Commesso ganhou a medalha de ouro no Campeonato da Itália em Estrada, enquanto o mencionado Gilberto Simoni conseguiu uma etapa no Giro d'Italia e foi líder até ser expulso por um positivo por cocaína que resultou ser falso. Danilo Di Luca deu à equipa uma etapa na Volta a Espanha.

Em 2003 Igor Astarloa ganhou a Flecha Valona em abril.[3] Pouco depois Gilberto Simoni ganhou o Giro d'Italia,[4] e conseguiu uma vitória de etapa no Tour de France. Ao final da temporada Astarloa proclamou-se Campeão do Mundo.[5]

Em 2004 o jovem Damiano Cunego ganhou o Giro d'Italia, depois de impor-se ao teórico líder da equipa Simoni, ganhador no ano anterior[6] e arrendondou a sua grande temporada com a vitória no Giro de Lombardia.

A equipa desapareceu depois dessa temporada e grande parte de seu plantel recalcou na Lampre face à temporada de 2005 (ano em que se estreava o UCI Pro Tour), incluindo as suas estrelas Cunego e Simoni.

Corredor melhor classificado nas Grandes Voltas editar

Ano Giro d'Italia   Tour de France   Volta a Espanha  
1989 - - -
1990 22.º

  Maurizio Vandelli

- -
1991 39.º

  Germano Pierdomenico

- -
1992 14.º

  Flavio Giupponi

- 55.º

  Enrico Zaina

1993 11.º

  Flavio Giupponi

- 39.º

  Enrico Zaina

1994 22.º

  Francesco Casagrande

42.º

  Franco Chioccioli

13.º

  Paolo Lanfranchi

1995 10.º

  Francesco Casagrande

43.º

  Massimiliano Lelli

9.º

  Michele Bartoli

1996 31.º

  Francesco Casagrande

25.º

  Massimiliano Lelli

43.º

  Giorgio Furlan

1997 1.º

  Ivan Gotti

6.º

  Francesco Casagrande

78.º

  Giorgio Furlan

1998 9.º

  Paolo Savoldelli

14.º

  Leonardo Piepoli

40.º

  Vitali Kokorine

1999 2.º

  Paolo Savoldelli

4.º

  Laurent Dufaux

60.º

  Eddy Mazzoleni

2000 24.º

  Paolo Savoldelli

29.º

  Daniel Atienza

42.º

  Igor Pugacci

2001 14.º

  Paolo Savoldelli

- 70.º

  Igor Pugacci

2002 40.º

  Igor Pugacci

- 10.º

  Gilberto Simoni

2003 1.º

  Gilberto Simoni

38.º

  Jörg Ludewig

121.º

  Juan Manuel Fontes

2004 1.º

  Damiano Cunego

17.º

  Gilberto Simoni

16.º

  Damiano Cunego

Classificações UCI editar

A União Ciclista Internacional elaborava o Ranking UCI de classificação dos ciclistas e equipas profissionais.

A partir de 1999 e até 2004 a UCI estabeleceu uma classificação por equipas divididas em três categorias (primeira, segunda e terceira). A classificação da equipa e de sua ciclista mais destacado foi a seguinte:[7]

Ano Categoria Classificação por equipas Melhor corredor na classificação individual Posição
1995 - Francesco Casagrande
1996 - 13º Francesco Casagrande
1997 - Francesco Casagrande
1998 - 12º Leonardo Piepoli 34º
1999 Primeira Mario Cipollini 19º
2000 Primeira 17º Laurent Dufaux 31º
2001 Primeira 18º Mario Cipollini 47º
2002 Primeira 16º Danilo Di Luca 13º
2003 Primeira Gilberto Simoni
2004 Primeira Damiano Cunego

Palmarés destacado editar

Grandes Voltas editar

Outras carreiras editar

Principais corredores editar

 
Mario Cipollini, na Paris-Nice de 1997
Ciclista Anos
  Francesco Casagrande 1992-1997
  Michele Bartoli 1993-1995
  Eros Poli 1994-1996
  Massimiliano Lelli 1994-1997
  Mario Cipollini 1994-2001
  Dario Frigo 1996-1999
  Eddy Mazzoleni 1996-1999, 2004
  Ivan Gotti 1997-1998
  Paolo Savoldelli 1998-2001
  Salvatore Commesso 1998-2004
  Laurent Dufaux 1999-2001
  Dario Pieri 2000-2001, 2003-2004
  Cadel Evans 2001
  Mirko Celestino 2001-2004
  Igor Astarloa 2002-2003
  Gilberto Simoni 2002-2004
  Damiano Cunego 2002-2004
  Danilo Di Luca 2002-2004

Ver também editar

Referências