Abrir menu principal

Volta ao País Basco

Volta ao País Basco
Generalidades
Data Abril
Desporto Ciclismo de estradaVisualizar e editar dados no Wikidata
Nome em português Volta ao País Basco
Nome local Euskal Herriko Itzulia
Criação Visualizar e editar dados no Wikidata
Edições 57 (2017)
Tipo / Formato Corrida por etapas
Região País Basco
Disciplina Ciclismo de estrada
Competição UCI World Tour
Palmarés
Primeiro vencedor  Francis Pélissier (FRA)
Maiores vitoriosos  José Antonio González Linares (ESP)    e  Alberto Contador (ESP) (4 vitórias)
Último vencedor  Alejandro Valverde (ESP)


A Volta ao País Basco (em euskera: Euskal Herriko Itzulia) é uma corrida ciclista profissional por etapas disputada no País Basco (Espanha), em abril.

Foi criada em 1924 com o nome de Grande Prêmio Excelsior, esta competição cessou entre 1936 e 1968 por causa da Guerra Civil Espanhola e os problemas económicos causados por ela. Em 1969 recuperou-se unindo à organização da Bicicleta Eibarresa. O diário A Voz de Espanha apoiou a iniciativa e converteu-se no principal patrocinador. Esta união durou até o ano de 1973. Para não complicar o palmarés de ambas provas, nestes anos se costumam considerar pertencentes à Volta ao País Basco. Desde o 2005 está inscrita no programa UCI ProTour e seus sucessores, actualmente UCI WorldTour. No ano 2009 lembrou-se fundir novamente a Euskal Bizikleta com a Volta ao País Basco, para relançar a primeira, até 2012 no mínimo.[1]

Atualmente está organizada por Organizações Ciclistas Euskadi depois de sua fusão com a Euskal Bizikleta (em 2009). Anteriormente (até 1980) esteve-o por Unipublic, os mesmos organizadores que a Vuelta a España se encarregando posteriormente Organizações Desportivas O Diário Basco.[2]


Em seu palmarés destacam as vitórias de numerosos vencedores do Tour de France, como Nicolas Frantz, Maurice De Waele, Gino Bartali, Jacques Anquetil, Luis Ocaña, Stephen Roche e Alberto Contador, vencedores da Volta a Espanha como Giovanni Battaglin, Sean Kelly, Tony Rominger, Alex Zülle, Laurent Jalabert e Denis Menchov e do Giro de Itália como Danilo Di Luca.

HistóriaEditar

Anos 1924 a 1935Editar

Passos préviosEditar

O grande precursor da prova, o jornal "Excelsior" compôs um potente comité organizador, nele estavam integradas as mais relevantes personalidades vizcaínas do desporto da época. Sua pretensão era organizar a corrida mais importante que se tinha organizado no estado espanhol.

Sem dúvida o mais complicado foi atrair os ciclistas de primeiro nível, que até então mal tinham disputado corridas em território espanhol. Não obstante teve três circunstância fundamentais que facilitaram o trabalho, em primeiro lugar a vontade do comité organizador, em segundo lugar a colaboração de L'Auto e por último o interesse comercial que supunha a Volta ao País Basco para a casa Automoto.[3]

1924Editar

Tudo isso dispôs que a gêma de participantes na sua primeira edição foram de primeiro nível, com os ciclistas do Automoto e seu filial Christophe, tinham por então em suas fileiras os melhores ciclistas franceses da época. Entre eles estavam os irmãos Pelissier, o maior Henri e Francis, Victor Fontan, Jean Brunier, Henri Colle, Charles Lacquehay. A gêma dos conterâneos completava-se com Simon Tequi de France Sport que se apresentou na última hora. Entre os nacionais destacavam os catalães Miguel Mucio e Teodoro Monteys e os locais estavam segundo Barruetabeña, Lucas Jauregui e José Luis Miner.

A organização dispôs de duas classificações, a geral e a nacional, à que só podiam optar os ciclistas espanhóis, o prêmio para o vencedor da primeira era de 2.000 pesetas e de 1.000 pesetas para o nacional. Ao mesmo tempo, todos os ciclistas podiam disputar diversos prêmios nas provas de alguns povos, que estes mesmos organizavam.

1925-1935Editar

Anos 1936 a 1968Editar

Finalmente a edição de 1936 teve que suspender por causa da Guerra Civil Espanhola, conquanto em princípio se tinha pensado não adiar, dados os acontecimentos que se estavam a desenvolver não ficou outra que a suspensão.

Depois da Guerra Civil e tendo em conta o resultado da mesma eliminou-se do calendário de provas ciclistas da Volta ao País Basco. Conquanto é verdadeiro que teve numerosas tentativas para retomar a mesma, tanto desde San Sebastián, como desde Bilbau, nenhuma delas surgiu.

Durante esse período de tempo, teve outras provas ciclistas como o Circuito do Norte e o G. P. Prefeitura de Bilbau, que mantinham vivo o espírito da Volta ao País Basco, dado que as mesmas saíam para além das fronteiras do País Basco.

Não obstante foi no ano 1952 no que se criou a Bicicleta Eibarresa, que se que supunha uma autêntica Volta ao País Basco, já que em suas etapas se percorria praticamente a totalidade de seu território basco peninsular. Agora bem chegados os finais da década de 60, a contratação dos melhores ciclistas do momento e a própria organização da corrida supunham uns elevados custos que os organizadores não puderam fazer frente.

Em definitiva a melhor solução era envolver a empresas e instituições do resto do País Basco, para superar esses problemas económicos e a iniciativa de Manuel Serdán a "Bicicleta Eibarresa" passou a chamar-se em 1969 "Volta ao País Basco-Bicicleta Eibarresa". O diário donostiarra A Voz de Espanha apoiou a iniciativa e converteu-se no principal patrocinador. A união durou quatro anos, até 1973. Para não complicar o palmarés de ambas provas, nesses anos se costuma considerar pertencentes à “Volta ao País Basco”.

Anos 1969 a 1973: unificação da Volta ao País Basco com Bicicleta EibarresaEditar

Desde o 2009: unificação da Volta ao País Basco com a Euskal BizikletaEditar

Depois da edição do 2008 o Diário Basco deixou de ser o patrocinador principal com o que deixava à prova com graves problemas económicos. Sua organização desportiva propôs uma cessão da corrida a Unipublic que estes recusaram, tendo que continuar Organizações Desportivas o Diário Basco com a organização da prova.[4]

Devido à crise económica de 2008-2012, a partir de 2009 voltou a unir com a Bicicleta Eibarresa (telefonema desde o 2004 Euskal Bizikleta) a instâncias do Governo Basco que patrocinava ambas provas, ainda que com uma percentagem muita maior para a Euskal Bizikleta, aliás a Euskal Telebista (rádio-televisão pública vascã) era um dos principais patrocinadores da Euskal Bizikleta. Dita união trouxe consigo que Organizações Desportivas O Diário Basco se renomeasse por Organizações Ciclistas Euskadi.[5] Quanto ao percurso esta união trouxe consigo um final de etapa fixo em Arrate (Éibar) em lembrança da Euskal Bizikleta..[6]

Para não complicar o palmarés de ambas provas, nestes anos se costumam considerar pertencentes à Volta ao País Basco.

Em 2010 Unipublic (cujo 49% das acções desde o 2008 tem-as ASO, organizador do Tour de France entre outras) fez uma oferta formal para fazer-se de novo com a corrida comprando o 51% desta, a mudança de controlar completamente sua organização.[7] [8]A oferta não teve resposta, entre outros motivos porque não queriam se fazer cargo também da Clássica de San Sebastián por seu elevado custo, confiando em que o Governo Basco pudesse sufragar a parte do orçamento que faltasse a cada edição das duas provas.[4]

Depois do final do acordo com o Governo Basco, voltaram a aparecer os problemas económicos do passado. O acordo de dito organismo consistia numa contribuição dentre 350.000 e 400.000 € ao ano durante esses três anos, correspondentes ao Grande Prêmio, que também incluía à Clássica de San Sebastián. A prorrogação não pôde se fazer operativa devido à crise económica de 2008-2012 com o que dito governo "sozinho" pôde contribuir 200.000 € em princípio reservados para a Volta a Espanha.[9] Depois de não encontrar um patrocinador que sufragasse os 150.000 € necessários para sacar as duas provas adiante (Volta ao País Basco e Clássica de San Sebastián) os organizadores fizeram público o problema e fizeram um telefonema de urgência em procura de alguém que contribuísse dita quantidade.[10] O orçamento das provas durante os últimos anos tem sido de 1 milhão de euros para a Volta e 500.000 € para a Clássica os quais o Governo Basco sufragava directamente o 25% aproximadamente.[11] Finalmente conseguiu-se o patrocínio do Banco Guipuzcoano (posteriormente Banco Sabadell) garantindo a disputa da corrida durante 2 anos mais.[12] Enquanto, a Clássica de San Sebastián seguiu com o patrocínio principal de Kutxa.[13]

Maillots de líderEditar

Para facilitar o reconhecimento do líder em prova, nas primeiras edições o primeiro na classificação geral portava um maillot de cor vermelha, cor que nenhum outro corredor podia levar em seu vestuário para evitar as confusões.

A partir do ano 1935 o maillot passaria a ser de cor azul, ao tempo nessa mesma edição suprimiu-se a classificação "nacional" e criaram-se outras novas, a classificação da montanha, e uma classificação para as categorias segundas e terceiras (para ciclistas de menor nível).

Mais adiante, o maillot passou a ser de cor amarela, a semelhança do utilizado no Tour de France. Os líderes das diferentes classificações suplementares também passaram a levar maillots identificativos. No ano 2000 voltou o maillot azul para identificar ao líder ainda que só se manteve durante essa edição.

PalmarésEditar

PodiumsEditar

Ano Vencedor Segundo Terceiro
1924   Francis Pélissier   Henri Pélissier   Charles Lacquehay
1925   Auguste Verdyck   Joseph Pe   Marcel Bidot
1926   Nicolas Frantz   Ottavio Bottecchia   Victor Fontan
1927   Victor Fontan   André Leducq   Lucien Buysse
1928   Maurice De Waele   André Leducq   Mariano Cañardo
1929   Maurice De Waele   Marcel Bidot   Nicolas Frantz
1930   Mariano Cañardo   Antonin Magne   Jean Aerts
1931-1934 Edições não disputadas
1935   Gino Bartali   Dante Gianello   Julián Berrendero
1936 Edição suspendida
1937-1969 Edições não disputadas
1969   Jacques Anquetil   Francisco Gabica   Mariano Díaz Díaz
1970   Luis Pedro Santamarina   Jesús Aranzabal   Andrés Gandarias
1971   Luis Ocaña   Raymond Poulidor   Miguel Mari Lasa
1972   José Antonio González Linares   Jesús Manzaneque   Jesús Esperanza
1973   Luis Ocaña   José Antonio González Linares   Domingo Perurena
1974   Miguel Mari Lasa   Luis Ocaña   Jesús Manzaneque
1975   José Antonio González Linares   Jesús Manzaneque   Agustín Tamames
1976   Gianbattista Baronchelli   Javier Elorriaga   Joaquim Agostinho
1977   José Antonio González Linares   Paul Wellens   Jean Pierre Baert
1978   José Antonio González Linares   José Enrique Cima   José Nazabal
1979   Gianbattista Baronchelli   Vicente Belda   Miguel Mari Lasa
1980   Alberto Fernández   Miguel Mari Lasa   Marino Lejarreta
1981   Silvano Contini   Mario Beccia   Marino Lejarreta
1982   José Luis Laguía   Julián Gorospe   Francesco Moser
1983   Julián Gorospe   Roberto Visentini   Marino Lejarreta
1984   Sean Kelly   Faustino Rupérez   Marino Lejarreta
1985   Peio Ruiz Cabestany   Greg Lemond   Marino Lejarreta
1986   Sean Kelly   Maurizio Rossi   Federico Etxabe
1987   Sean Kelly   Rolf Gölz   Julián Gorospe
1988   Erik Breukink   Luc Suykerbuyk   Julián Gorospe
1989   Stephen Roche   Federico Etxabe   Jesús Blanco Villar
1990   Julián Gorospe   Rolf Gölz   Miguel Indurain
1991   Claudio Chiappucci   Johan Bruyneel   Piotr Ugrumov
1992   Tony Rominger   Raúl Alcalá   Mikel Zarrabeitia
1993   Tony Rominger   Rolf Sørensen   Alex Zülle
1994   Tony Rominger   Yevgeni Berzin   Claudio Chiappucci
1995   Alex Zülle   Laurent Jalabert   Toni Rominger
1996   Francesco Casagrande   Pascal Hervé   Abraham Olano
1997   Alex Zülle   Laurent Jalabert   Marco Pantani
1998   Íñigo Cuesta   Laurent Jalabert   Alex Zülle
1999   Laurent Jalabert   Wladimir Belli   Davide Rebellin
2000   Andreas Klöden   Danilo Di Luca   Laurent Jalabert
2001   Raimondas Rumsas   José Alberto Martínez   Marcos Serrano
2002   Aitor Osa   David Etxebarria   Gonzalo Bayarri
2003   Iban Mayo   Tyler Hamilton   Samuel Sánchez
2004   Denis Menchov   Iban Mayo   David Etxebarria
2005   Danilo Di Luca   Davide Rebellin   Alberto Contador
2006   José Ángel Gómez Marchante   Alejandro Valverde   Antonio Colom
2007   Juan José Cobo   Ángel Vicioso   Samuel Sánchez
2008   Alberto Contador   Cadel Evans   Thomas Dekker
2009   Alberto Contador   Antonio Colom   Samuel Sánchez
2010   Chris Horner   Beñat Intxausti[14]   Joaquim Rodríguez
2011   Andreas Klöden   Chris Horner   Robert Gesink
2012   Samuel Sánchez   Joaquim Rodríguez   Bauke Mollema
2013   Nairo Quintana   Richie Porte   Sergio Henao
2014   Alberto Contador   Michal Kwiatkowski   Jean-Christophe Péraud
2015   Joaquim Rodríguez   Sergio Henao   Jon Izagirre
2016   Alberto Contador   Sergio Henao   Nairo Quintana
2017   Alejandro Valverde   Alberto Contador   Jon Izagirre


Classificações e outros dadosEditar

Ano Geral Tempo do vencedor Quilómetros totais Nº de Etapas[15] Montanha Pontos Equipas Outras classificações
Nacionais (1924-1930)
Metas volantes (1969-)
1924 Francis Pélissier   22h 46' 36" 623 3 - - - Teodoro Monteys  
1925 Auguste Verdyck   24h 50' 34" 670 3 - - - Ricardo Montero  
1926 Nicolas Frantz   27h 13' 59" 746 4 - - - Miguel Mucio
1927 Victor Fontan   26h 33' 16" 747 4 - - - Ricardo Montero   (2)
1928 Maurice De Waele   27h 18' 41" 762 4 - - - Mariano Cañardo  
1929 Maurice De Waele   (2) 24h 27' 55" 723 4 - - - Mariano Cañardo   (2)
1930 Mariano Cañardo   26h 36' 31" 723 4 - - - Mariano Cañardo   (3)
1931-1934 Edições não disputadas
1935 Gino Bartali 20px 30h 09' 28" 873 5 Federico Ezquerra   - - -
1936 Edição suspendida
1937-1968 Ediciones não disputadas
1969 Jacques Anquetil   25h 22' 05" 891 6 Raymond Poulidor   Domingo Perurena   Fagor   Mariano Díaz Díaz  
1970 Luis Pedro Santamarina   25h 00' 45" 877 6 Domingo Perurena   Domingo Perurena   (2) Werner   Vicente López Carril  
1971 Luis Ocaña   24h 31' 53" 875 6 Ventura Díaz   Cyrille Guimard   Bic   Eddy Peelman  
1972 José Antonio Glez. Linares   23h 17' 4" 810 6 José Manuel Fuente   José Antonio Glez. Linares   Kas   -
1973 Luis Ocaña   (2) 17h 46' 21" 824 6 Pedro Torres   Domingo Perurena   (3) Kas   (2) -
1974 Miguel María Lasa   26h 46' 26" 888 6 José Luis Abilleira   Domingo Perurena   (4) Kas   (3) -
1975 José Antonio Glez. Linares   (2) 24h 20' 30" 830 7 Andrés Oliva   Miguel María Lasa   Super Ser   -
1976 Gianbattista Baronchelli   24h 20' 30" 763 6
1977 José Antonio Glez. Linares   (3) 17h 23' 32" 794 7 Miguel María Lasa   Miguel María Lasa   Kas   (4) Rene Wuyckens  
1978 José Antonio Glez. Linares   (4) 17h 23' 32" 811 6 Ismael Lejarreta   José Luis Viejo   Kas   (5) Jaime Albisu  
1979 Giovanni Battaglin   827 6 José Luis Mayoz   Miguel María Lasa   Transmallorca   Juan Fernández  
1980 Alberto Fernández   907 6 Juan Fernández   Miguel María Lasa   Teka   Bruno Leali  
1981 Silvano Contini   813 6 Mario Beccia   Silvano Contini   Teka   Luciano Rabottini  
1982 José Luis Laguía   875 6 José Luis Laguía   Francesco Moser   Kelme   Fiorenzo Favero  
1983 Julián Gorospe   866 6 Felipe Yáñez   Juan Fernández   Reynolds   Modesto Urrutibeazkoa  
1984 Sean Kelly   867 6 Julián Gorospe   Sean Kelly   Skil-Reydel   Modesto Urrutibeazkoa  
1985 Pello Ruiz Cabestany   877 6 Iñaki Gastón   Sean Kelly   (2) MG Orbea   Roberto Gaggioli  
1986 Sean Kelly   (2) 788 6 Iñaki Gastón   (2) Sean Kelly   (3) Teka   Sabino Angoitia  
1987 Sean Kelly   (3) 853 6 Sean Kelly   Sean Kelly   (4) Kas   (6) Antonio Provencio  
1988 Erik Breukink   853 6 Álvaro Pino   Sean Kelly   (5) Reynolds   (2) Alberto Leanizbarrutia  
1989 Stephen Roche   676 6 Juan Tomás Martínez   Federico Etxabe   BH   Tom Cordes  
1990 Julián Gorospe   (2) 818 6 Enrique Alonso   Peio Ruiz Cabestany   Buckler   Roberto Torres  
1991 Claudio Chiappucci   792 6 José Luis Laguía   Ad Wijnands   Seur   Fernando Carvalho  
1992 Toni Rominger   806 6 Julio César Cadena   Toni Rominger   CLAS-Cajastur  
1993 Toni Rominger   (2) 882 6 Claudio Chiappucci   Toni Rominger   (2) CLAS-Cajastur   (2)
1994 Toni Rominger   (3) 869 6 Claudio Chiappucci   (2) Laurent Jalabert   Mapei-CLAS  
1995 Alex Zülle   799 6 Alfredo Irusta   Laurent Jalabert   (2) Mapei-GB   (2)
1996 Francesco Casagrande   818 6
1997 Alex Zülle   (2) 860 6
1998 Íñigo Cuesta   887 6
1999 Laurent Jalabert   838 6 Koos Moerenhout   Laurent Jalabert   (3)
2000 Andreas Klöden   823 6 Alberto López de Munain   Laurent Jalabert   (4)
2001 Raimondas Rumsas   752 6 Pavel Tonkov   Michael Boogerd  
2002 Aitor Osa   755 6 Rafael Casero   David Etxebarria  
2003 Iban Mayo   753 6
2004 Denis Menchov   767 6 Jens Voigt   Alejandro Valverde  
2005 Danilo Di Luca   18h 13' 53 744,3 6 David Latasa   Danilo Di Luca   Liberty Seguros-Würth   Iban Mayoz  
2006 José Ángel Gómez Marchante   20h 31' 47" 829 6 Hubert Dupont   Alejandro Valverde   Saunier Duval-Prodir   Pierrick Fédrigo  
2007 Juan José Cobo   21h 56' 38" 863 6 Aitor Hernández   Juan José Cobo   Saunier Duval-Prodir   (2) Iker Flores  
2008 Alberto Contador   21h 03' 59" 838 6 Egoi Martínez   Damiano Cunego   Rabobank   Iban Mayoz  
2009 Alberto Contador   (2) 20h 48' 30″ 833 6 Rein Taaramae   Samuel Sánchez   Caisse d'Epargne   Egoi Martínez  
2010 Christopher Horner   23h 27' 30" 908 6 Gonzalo Rabuñal   Samuel Sánchez   (2) HTC-Columbia   Christian Meier  
2011 Andreas Klöden   (2) 22h 12' 11" 873,5 6 Michael Albasini   Andreas Klöden   Movistar Team   (2) Bram Tankink  
2012 Samuel Sánchez   20h 58' 15" 836,6 6 Mads Christensen   Samuel Sánchez   (3) Itera-Katusha   Marco Pinotti  
2013 Nairo Quintana   21h 39' 35" 833,1 6 Amets Txurruka   Sergio Henao   Movistar Team   (3) Amets Txurruka  
2014 Alberto Contador   (3) 21h 09' 04" 841 6 Davide Villella   Alejandro Valverde   (2) BMC Racing Team   Omar Fraile  
2015 Joaquim Rodríguez   (1) 21h 49' 38" 845 6 Omar Fraile   Joaquim Rodríguez   Team Katusha   Louis Vervaeke  
2016 Alberto Contador   (4) 22h 44' 43" 852.2 6 Diego Rosa   Sergio Henao   Team Sky Nicolas Edet  
2017 Alejandro Valverde   (1) 20h 41' 25" 828.8 6 Alex Howes   Alejandro Valverde   Bahrain–Merida Lluís Mas  

Palmarés por paísesEditar

País Vitórias
  Espanha 26
  Itália 7
  Suíça 5
  França 4
  Irlanda 4
  Bélgica 3
  Alemanha 2
  Colômbia 1
  Estados Unidos 1
  Lituânia 1
  Luxemburgo 1
  Países Baixos 1
  Rússia 1

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar