Abrir menu principal

Samouco

vila e freguesia de Alcochete, Portugal
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.
Portugal Portugal Samouco 
  Freguesia  
Brasão de armas de Samouco
Brasão de armas
Samouco está localizado em: Portugal Continental
Samouco
Localização de Samouco em Portugal
Coordenadas 38° 43' 13" N 8° 59' 59" O
País Portugal Portugal
Concelho Vila de Alcochete (brasão).png Alcochete
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Pedro Ferreira (PCP-PEV)
Área
- Total 4,76 km²
População (2011)
 - Total 3 143
    • Densidade 660,3 hab./km²
Gentílico Samouqueiro
Código postal 2890

Samouco é uma freguesia portuguesa pertencente ao concelho de Alcochete, juntamente com São Francisco e Alcochete (freguesia), com 4,76 km² de área e 3 143 habitantes (2011). A sua densidade populacional é 660,3 hab/km².`É caracterizada por um núcleo urbano compacto, malha urbana casuística e um forte querer das suas gentes no gosto pela sua terra que transparece no forte movimento associativo existente. Beneficiando de privilegiadas características ribeirinhas, destaque para a praia fluvial e a proximidade com a área protegida da Fundação das Salinas de Samouco, e a poucos minutos de Lisboa, o Samouco reúne condições singulares de atracão de novos habitantes.

Foi elevado a vila em 9 de Dezembro de 2004.

Carlos Pereira Cardoso, do PS, presidiu à Junta de Freguesia do Samouco de 2001 a 2005.

António Almeirim, do PCP, foi re-eleito para Presidente da Junta de Freguesia do Samouco a 29 de Setembro de 2013 até 2017, depois de dois primeiros mandatos (2005-2009; 2009-2013).

Índice

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Samouco [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
501 612 714 956 1 101 1 146 1 160 1 092 1 370 1 823 2 228 2 352 2 144 2 788 3 143
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 441 335 1 564 448 15,8% 12,0% 56,1% 16,1%
2011 576 308 1 780 479 18,3% 9,8% 56,6% 15,2%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Origens HistóricasEditar

"As escavações arqueológicas efectuadas durante a construção da ponte Vasco da Gama revelaram uma abundante indústria lítica no Sítio da Conceição, que remonta ao Paleolítico Médio, confirmando a presença humana na área que hoje corresponde aos limites da freguesia de Samouco derivam de:

As origens de Samouco e os significados atribuídos ao nome “Samouco” são:

1. Paleolítico Samekh: O mesmo que O

2. Latim Samoquo = O mesmo que O

O alfabeto paleo-hebraico tem 22 letras e era escrito da direita para a esquerda, sendo a décima quinta um O.

Samekh ou Simketh é a décima quinta letra de muitos abjads semitas incluindo o fenício Samek, hebreu Samekh, o aramaico Semkat. O alfabeto Árabe, contudo usa uma letra baseada no fenício Sin para representar

S, contudo este glifo toma o lugar de Samekh na ordem tradicional Abadji do alfabeto árabe.

A letra fenícia deu lugar à grega Xi. Contudo, o seu nome deu lugar a letra ‘sigma’que os judeus trouxeram para o alfabeto ibérico quando incluíram a letra S. 

A data estimada para a escrita paleo-hebraica situa-se em 800 A.C..Durante o século III A.C., os judeus começaram a usar uma forma estilizada, “quadrada”, do alfabeto aramaico, usada pelo Império Persa (e que, por sua vez, havia sido adotada pelos assírios) , enquanto os samaritanos continuavam a usar uma forma do script paleo-hebraico chamado o alfabeto samaritano. Após a queda do Império Persa em 330 A.C, os judeus usaram ambos os scripts antes de se estabelecerem na forma assíria quadrada.Talvez seja esta última, a data referência para o nome de Samouco.

Parece ser essa a mensagem contida no nome Samekh (Samouco)” O mesmo que O” do alfabeto paleo-hebraico

Com o aparecimento de pequenos povoamentos ribeirinhos, entre eles a povoação de Samouco em 1241, a maior parte deles relacionados com a exploração de Salinas e consequente produção de sal.

O povoamento do então lugar de Samouco teve então início nos séculos XII e XIII tendo como base a fixação de pessoas, atraídas pelo trabalho existente na exploração das quintas existentes no território, cuja produção agrícola abastecia Lisboa. O território que atualmente corresponde à freguesia de Samouco sempre foi bastante fértil e propício ao cultivo de vinhas, laranjas, figos, trigo e centeio, batatas e cebolas. Destaque também para o negócio do corte de mata e pinhal que foi também bastante lucrativo.

A proximidade com o rio revelou-se um fator importante, quer para o transporte dos produtos agrícolas produzidos, quer na formação de núcleos urbanos neste local desde meados do século XIII até princípios do século XIV." Fonte: Câmara Municipal de Alcochete [2]

CulturaEditar

Possui várias actividades culturais, distribuídas por várias associações, como a ADS (Associação Desportiva Samouquense), a Sociedade Filarmónica Progresso e Labor Samouquense, o Sport Club do Samouco, a Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Samouco. A Banda do Samouco, congregada na Sociedade Filarmónica Progresso e Labor Samouquense (SFPLS), tem mais de 50 membros e é internacionalmente conhecida, tendo sido fundada a 1 de Dezembro de 1919. A Banda é contratada anualmente para animar as corridas de touros no Campo Pequeno em Lisboa, tendo já tido actuações um pouco por toda a Europa com actuações também em outras zonas lusófonas por todo o Mundo como os Açores e o Brasil, e especialmente em Espanha nas Fiestas de Las Angustias em Ayamonte. A SFPLS possui ainda um Grupo Coral também muito reputado, que conta com actuações um pouco por todo o país e ainda além fronteiras como na Catedral de Santiago de Compostela, em Viena de Áustria , Praga e Paris.

Paisagem e patrimónioEditar

A vila é conhecida pela sua praia fluvial na foz do Tejo com vista para a Ponte Vasco da Gama, sendo uma zona de comércio e passagem por pescadores, mercadores e especialmente apanhadores de amêijoas e caranguejos. É também zona de passagem de aviadores, polícias e militares da Força Aérea, devido à sua proximidade com a Base Aérea n.º 6.

Possui também vários monumentos apetecíveis de ver e visitar, como o Mirante, o Coreto, o Memorial do Chafariz, a Igreja de São Braz e a estátua do Cavador, juntamente com construções recentes como o Parque das Merendas, o Novo Centro de Saúde, a Sede da Junta de Freguesia, e o Parque e Ginásio da Praia. Destaque ainda para as antigas casas senhoriais e de quinta em pleno centro histórico como a Quinta do Braga, hoje sede da junta de freguesia, e a Quinta de São Brás, hoje uma unidade hoteleira para eventos.

 
Coreto do Samouco
 
Cais Palafitico
 
Estátua do Cavador
 
Réplica do Chafariz samouquense
 
Flamingos nas Salinas

Religião e FestividadesEditar

O seu Santo Padroeiro é São Brás, realizando-se a sua festa a 3 de Fevereiro. No entanto, a festa Grande é feita em Honra de Nossa Senhora do Carmo, o seu dia é o 16 de julho mas é costume as festas realizarem-se da segunda sexta-Feira de Julho até à terça-Feira seguinte. As festas são tempo de afluência populacional à vila especialmente, de pessoas vindas da Margem Sul, do distrito de Setúbal, e da Grande Lisboa, dando grande destaque ao Concerto da Banda da S.F.P.L.S., à Procissão de Nossa Senhora do Carmo, às Largadas de Toiros e à Homenagem da Charanga da S.F.P.L.S. a Nossa Senhora dentro da Igreja no sábado à noite.

Salinas do SamoucoEditar

"O Complexo das Salinas do Samouco é constituído por uma área de 360 hectares, sendo um local de alimentação, refúgio e nidificação para milhares de aves onde se destacam espécies como a chilreta, o pernilongo e o borrelho-de-coleira-interrompida. Atualmente, as salinas de Samouco apresentam-se como o salgado com a maior riqueza e abundância de aves durante o período de preia-mar de todo o Tejo. A sua importância crescente deve-se, essencialmente, a dois aspetos: em primeiro lugar tem sido alvo de manutenção constante desde 1995 e, em segundo lugar, os outros salgados encontram-se ao abandono e são explorados para captura de camarinha, o que faz com que os níveis de água sejam inadequados para utilização, por parte das aves limícolas. A sua proximidade à maior e mais importante Zona Húmida de Portugal o Estuário do Tejo, faz com que as salinas constituam um ótimo local de abrigo para muitas aves aquáticas que durante as suas migrações, encontram nos diferentes tanques, um ótimo local para se alimentarem e repousarem. Já na época de nidificação, as aves encontram condições ideias para se reproduzirem. Destaca-se ainda a continuidade da produção de Sal e de flor de sal que continua a laborar numa das marinhas." Fonte: Câmara Municipal de Alcochete [2]

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Samouco


  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

[1] Instituto Nacional de Estatística

[2] http://www.cm-alcochete.pt/pages/339