Abrir menu principal

Papa Agapito I

(Redirecionado de Santo Agapito)
Disambig grey.svg Nota: "Santo Agapito" redireciona para este artigo. Para o santo palestrino de mesmo nome, veja Agápito de Palestrina.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Santo Agapito I
Papa da Igreja Católica
57° Papa da Igreja Católica
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Eleição 13 de maio de 535
Fim do pontificado 22 de abril de 536 (11 meses)
Predecessor João II
Sucessor Silvério
Ordenação e nomeação
Dados pessoais
Nascimento 490
Frosinone, Império Bizantino
Morte 22 de abril de 536 (46 anos)
Ponza, Império Bizantino
Sepultura Basílica de São Pedro
dados em catholic-hierarchy.org
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Lista de Papas

Papa Agapito I foi papa da Igreja Católica entre 13 de maio de 535 e 22 de abril de 536.

Agapito era filho de Gordianus, um padre romano assassinado nos tumultos no tempo do Papa Símaco (498-514). O seu primeiro ato oficial foi queimar, na presença de uma assembleia de clérigos, o anátema que o papa Bonifácio II tinha pronunciado contra o seu rival, o Antipapa Dióscoro e ordenou que fosse preservado nos arquivos romanos.[1]

Combateu a doutrina monofisita e fundou em Roma, com Cassiodoro, uma biblioteca de autores eclesiásticos.

Por esta altura Belisário, após ter conquistado a Sicília, preparava-se para invadir a Itália. O rei ostrogodo Teodato, como último recurso, pediu ao pontífice que viajasse a Constantinopla e fizesse valer a sua influência junto do imperador Justiniano I. Para custear as despesas da da viagem, que incluía uma imponente comitiva e cinco bispos, Agapito viu-se obrigado a empenhar vários objectos sagrados da Igreja de Roma. Partiu a meio do inverno e chegou a Constantinopla em fevereiro de 536, sendo recebido com todas as honras condizentes com o seu cargo de chefe da Igreja Católica. O objectivo da sua visita estava condenado ao fracasso, pois não podia contrariar a vontade do imperador de restabelecer os seus direitos em Itália. Mas do ponto de vista eclesiástico, a visita do papa não foi em vão, principalmente no seu combate à doutrina monofisista.[2]

Terá morrido envenenado por tramas obscuras da esposa do Imperador, Teodora em 22 de Abril de 536.

Celebrado pela Igreja Ortodoxa a 22 de abril (data da sua morte) e pelos católicos a 20 de setembro.[3] Seu corpo foi levado de volta a Roma, onde foi sepultado na Basílica de São Pedro.

Referências


Precedido por
João II
 
Papa

57.º
Sucedido por
Silvério
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Papa Agapito I
  Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.