Abrir menu principal

Sergio Ibarra

futebolista argentino

Sergio Ramón Ibarra Guzmán (Río Cuarto, 11 de janeiro de 1973) é um ex-futebolista e treinador de futebol argentino-peruano que atuava como atacante. Embora não fosse um jogador de grande técnica, é o maior artilheiro da história do Campeonato Peruano, com 261 gols.

Sergio Ibarra
Informações pessoais
Nome completo Sergio Ramón Ibarra Guzmán
Data de nasc. 11 de janeiro de 1973 (46 anos)
Local de nasc. Río Cuarto, Argentina
Nacionalidade argentino / peruano
Altura 1,77 m
Apelido Checho, Manteca, Goleador Prehistórico,
El Inacabable, Shevchecho
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-atacante)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1991
1992
1993–1996
1997
1998–1999
2000
2000
2001
2002
2003
2003
2004–2005
2006
2006
2007
2008
2009
2010–2011
2012–2013
2014
2014
Argentina Sportivo Atenas
Peru Ciclista Lima
Peru Alianza Atlético
Peru Deportivo Municipal
Peru Sport Boys
Peru Deportivo Wanka
El Salvador Águila
Peru Universitario
Peru Alianza Atlético
Peru Unión Huaral
Peru Estudiantes de Medicina
Peru Cienciano
Colômbia Once Caldas
Peru José Gálvez
Peru Sport Boys
Peru Melgar
Peru Juan Aurich
Peru Cienciano
Peru Sport Huancayo
Peru José Gálvez
Peru San Simón

– (7)[1]
– (45)
22 (13)
61 (18)
22 (16)

41 (14)
– (22)
15 (7)
29 (9)
77 (44)
15 (2)
21 (13)
37 (12)
46 (20)
32 (15)
51 (17)
70 (30)
11 (4)
6 (0)
Times/Equipas que treinou
2010
2013
2015–2016
2016
2016–2017
2017
Peru Cienciano (jogador-treinador)
Peru Sport Huancayo (jogador-treinador)
Peru Cienciano (auxiliar-técnico)
Peru Deportivo Coopsol (auxiliar-técnico)
Peru Deportivo Coopsol
Peru Cienciano





CarreiraEditar

Tendo iniciado sua carreira nas divisões baixas do futebol argentino (jogando pelo Sportivo Atenas, em 1991), Ibarra jogou a maior parte de seus 23 anos como jogador no Peru, tendo chegado ao país andino em 1992 para defender o Ciclista Lima.

Após defender Alianza Atlético e Deportivo Municipal, começaria a se destacar em 1998, jogando pelo Sport Boys. Nos Rosados, foram 61 jogos e 18 gols em 2 temporadas. Tirando as passagens rápidas por Águila (El Salvador) e Once Caldas (Colômbia), Ibarra permaneceria no Peru, sempre ficando entre os artilheiros do campeonato nacional da primeira divisão. Nesse período, atuou por Alianza Atlético (segunda passagem), Unión Huaral e Estudiantes de Medicina.

Ganharia notoriedade em 2004, quando foi campeão da Copa Sul-Americana, quando seu clube na época, o Cienciano, derrotou o tradicional Boca Juniors na decisão. Ele ainda foi o argentino que mais fez gols no ano: 21 (um a mais que Carlos Tévez, Andrés Silvera e Luis Bonnet, e 2 a mais que o terceiro colocado, Javier Saviola[2]). Pelo Melgar, entrou para a história do futebol peruano ao fazer seu 195º gol no campeonato,[3] ultrapassando os 194 tentos de Oswaldo Ramírez. Teve ainda uma passagem pelo Juan Aurich, onde novamente mostrou seu faro de goleador ao fazer 15 gols em 32 partidas.

Voltaria ao Cienciano em 2010, mas com a crise financeira vivida pelo clube, o atacante chegou a ser jogador e técnico ao mesmo tempo. Passou ainda por Sport Huancayo (também como jogador e treinador), José Gálvez (onde também jogara em 2006) e San Simón, onde encerrou a carreira em 2014 como o maior goleador da história do futebol peruano, com 306 gols. Embora possua a cidadania do país andino, Ibarra nunca foi lembrado para defender a Seleção nacional.

Carreira de treinadorEditar

Além de ter sido jogador e técnico em Cienciano (onde também foi auxiliar-técnico) e Sport Huancayo, Checho foi auxilar e treinador do Deportivo Coopsol entre 2015 e 2016. Seu último trabalho foi novamente pelo Cienciano, em 2017.

Ligações externasEditar

Referências