Seleção Peruana de Futebol

A Seleção Peruana de Futebol também conhecido como A Branca e Vermelha representa o Peru nas competições de futebol da FIFA.[2][3] Sua organização está a cargo da Federação Peruana de Futebol (FPF), criada em 1922,[4][5] que é uma das dez federações membros da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), da qual ingressou em 1925,[6] pela qual participam de competições organizadas pela Conmebol e FIFA. Sua estreia ocorreu em 1º de novembro de 1927 contra a seleção uruguaia no Campeonato Sul-Americano daquele ano realizado no Peru.[7] A seleção peruana joga seus jogos em casa no Estádio Nacional, localizado na capital do país, Lima.[8]

Seleção Peruana
FPF.svg
Alcunhas?  La Blanquirroja (A Branca e Vermelha)
La Rojiblanca (A Vermelha e Branca)
La Bicolor (A Bicolor)
Los Incas (Os Incas)
Associação Federación Peruana de Fútbol
Confederação CONMEBOL (América do Sul)
Material desportivo?  Marathon
Treinador Juan Reynoso
Capitão Carlos Zambrano
Pedro Gallese
Mais participações Roberto Palacios (128)
Melhor marcador?  Paolo Guerrero (39)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

HistóriaEditar

Introdução do futebol e estabelecimento da seleção do PeruEditar

O futebol foi introduzido no Peru no final do século XIX por marinheiros ingleses durante suas frequentes visitas ao porto de Callao.[9][10][11] Durante os seus tempos livres, os marinheiros jogavam futebol e convidaram os "chalacos" a participar.[12][13] O futebol cresceu graças à essa prática, depois, a pratica esportiva se desenvolveu entre os visitantes estrangeiros e os locais, chamando a atenção de Peruanos que vivem em outras cidades.[14][15]

A falta de uma organização centralizada muitas vezes levou a conflitos entre as equipes, razão pela qual em 1922 ocorreu a criação da FPF.

A FPF tornou-se filiada à Conmebol em 1925.[16] Em 1927, foi criada oficialmente a seleção peruana de futebol, que sediou o Campeonato Sul-Americano naquele mesmo ano, onde ficou em terceiro lugar após uma vitória (3 a 2 contra a Bolívia) e duas derrotas. (0-4 contra o Uruguai e 1-5 contra a Argentina). No Campeonato Sul-Americano de 1929 não conseguiu nenhuma vitória e ficou em último lugar. Um ano depois, ela foi convidada a participar da primeira Copa do Mundo de Futebol.[17]

A estreia na Copa do Mundo e o título do Campeonato Sul-AmericanoEditar

Na Copa do Mundo de Futebol de 1930, a seleção peruana fez parte do grupo C junto com as seleções da Romênia e Uruguai, sendo derrotada nas duas partidas que disputou, 1 a 0 contra o anfitrião e 3 a 1 contra os romenos. Como anedota, lembrou-se que a partida contra o Uruguai marcou a inauguração do histórico Estádio Centenário, em Montevidéu.[18][19][20]

 
Seleção peruana que participou das Olimpíadas de Berlim em 1936

Entre setembro de 1933 e março de 1934, a seleção nacional (composta por jogadores de futebol do Alianza Lima, Atlético Chalaco e Universitario de Deportes juntamente com a seleção chilena (formada por jogadores de futebol do Colo-Colo) formou o chamado "Combinado del Pacífico",[21][22] que disputou trinta e nove amistosos na Europa, onde Teodoro Fernández Meyzán se tornou o artilheiro da equipe com quarenta e oito gols. Em 1935, após um recesso de seis anos, o Campeonato Sul-Americano foi realizado novamente e pela segunda vez no Peru. Apenas quatro equipes participaram: Argentina, Uruguai, Chile e Peru como anfitrião. A seleção peruana iniciou sua participação no dia 13 de janeiro com uma derrota contra o Uruguai. Sete dias depois foram novamente derrotados, desta vez pelas mãos da Argentina, e em 26 de janeiro conseguiram sua única vitória do torneio, contra o Chile por 1 a 0, e terminaram na terceira posição.

Nos Jogos Olímpicos de Berlim de 1936, a equipe peruana chegou às semifinais depois de vencer confortavelmente a equipe finlandesa por um placar de 7:3. com cinco gols de Teodoro Fernández e dois de Alejandro Villanueva, e a equipe austríaca 4:2, depois de perder 2:0 e conseguir empatar nos últimos quinze minutos do tempo regulamentar. Isso causou uma suposta invasão do campo de jogo por torcedores peruanos que estavam no estádio. Já na prorrogação, o Peru conseguiu marcar mais dois gols, obtendo a vitória.[23] No entanto, a Áustria protestou à FIFA e ordenou que uma partida de vingança fosse disputada sem espectadores, situação em que o governo peruano decidiu que toda a delegação peruana abandonaria os Jogos Olímpicos, dando os austríacos como vencedores da partida. Em 1938, com a maioria dos "jogadores de futebol olímpico" e depois de vencer facilmente os times da Colômbia, Equador, Bolívia e Panamá, o Peru conquistou a medalha de ouro nos I Jogos Bolivarianos marcando dezoito gols nas quatro partidas.[24][25]

Copa América 1939Editar

Em 1939 a equipe conquistou seu primeiro grande título internacional: o Campeonato Sul-Americano realizado na cidade de Lima. A equipe disputou quatro partidas no campeonato e venceu todas, 5 a 2 contra o Equador, 3 a 1 contra o Chile, 3 a 0 contra o Paraguai e 2 a 1 contra o Uruguai na última partida. O peruano Teodoro Fernández Meyzán foi o artilheiro do campeonato com sete gols, além de ser eleito o melhor jogador de futebol do torneio.[26]

1940-1968Editar

Nas décadas seguintes, a seleção peruana foi sede de quase todos os torneios do continente e, apesar de ter jogadores de grande nível internacional, não conquistou títulos importantes. O declínio na eficácia da seleção nacional foi mais evidente durante o Campeonato Sul-Americano da década de 1940. O Peru não conquistou um título internacional até 1947, quando novamente conquistou a medalha de ouro nos II Jogos Bolivarianos.

Para chegar à Copa do Mundo de 1950, pela primeira vez, a FIFA determinou que fosse disputado um processo eliminatório. Na América do Sul foram formados dois grupos. O primeiro foi formado por Argentina, Colômbia, Bolívia e Chile, e o segundo Equador, Paraguai, Peru e Uruguai. Mas a seleção peruana, por ordem do ditador Manuel Odria, desistiu de participar.[27] As seleções de Argentina, Colômbia e Equador também se retiraram. No final, essa eliminatória não aconteceu e, sem jogar na fase preliminar, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, mais o anfitrião Brasil, foram para a Copa do Mundo. Na década de 1950, voltou a ser um importante protagonista do futebol sul-americano, graças à contribuição de futebolistas como Alberto Terry,[28][29] Guillermo Barbadillo,[30] Valeriano López,[31] Félix Castillo e Óscar Gómez Sánchez que contribuíram para a competitividade da seleção selecionada ao longo desses anos.

Em 1952, participou da primeira edição do Campeonato Pan-Americano de Futebol, que aconteceu na cidade de Santiago do Chile. A seleção peruana começou sua participação vencendo o Panamá por 7 a 1,[32][33][34] depois sofreu duas derrotas consecutivas contra o Uruguai por 5 a 2 e o Chile por 3 a 2.[35] Em seguida, empataram em 0 a 0 com o Brasil e terminaram com uma vitória por 3 a 0 sobre o México,[36] somando 5 pontos e ficando em quarto lugar.[37] Para a Copa do Mundo de 1954, o Peru também não pôde participar das eliminatórias. O governo da época não estava interessado em disputar o torneio classificatório, porque também não era obrigatório pela FIFA e pela Conmebol. Em 1955, no Campeonato Sul-Americano, a seleção nacional ficou em terceiro lugar. No entanto, não foi muito bem no Campeonato Sul-Americano de 1956, no qual terminou em último, não tendo obtido nenhuma vitória. A seleção teve uma leve recuperação no final da década, chegando ao quarto lugar nos Campeonatos Sul-Americanos em 1957 e 1959. Para a classificação para a Copa do Mundo de 1958, a seleção peruana seria agrupada com as seleções brasileira e venezuelana, embora esta última se retirasse. A seleção peruana cairia contra a seleção brasileira por 2 a 1 no placar agregado, sendo eliminada da Copa do Mundo.[38][39]

Em 1961, a seleção peruana jogou as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1962 contra a Colômbia. No primeiro jogo, o time colombiano venceu por 1 a 0, enquanto no segundo jogo ficou empatado em 1 a 1.[40][41][42] No Campeonato Sul-Americano de 1963, ficou em quinto lugar, depois de somar cinco pontos, resultado de duas vitórias, um empate e duas derrotas. Nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1966, ele fez parte do grupo 1 junto com as seleções do Uruguai e da Venezuela.[43] Na série contra os venezuelanos, obtiveram duas vitórias, primeiro por 1 a 0 e depois por 6 a 3,[44] enquanto contra os uruguaios não venceram, então ficaram em segundo lugar em seu grupo, perdendo a oportunidade de se classificar para a Copa do Mundo.

 
Argentina x Peru em 1969 no estádio Alberto José Armando onde a seleção inca se classificaria para a Copa do Mundo de 1970.

Classificação para a Copa do Mundo de 1970Editar

Em 31 de agosto de 1969, ele enfrentou seu colega da Argentina em La Bombonera, uma partida que aconteceu no âmbito das eliminatórias para a Copa do Mundo de 1970. O Peru veio de derrotar o povo do Rio da Prata e os bolivianos em Lima,[45] depois de perder em La Paz, precisava apenas de um empate para se classificar para a Copa do Mundo, deixando bolivianos e argentinos fora da competição. Desde o início da partida houve pressão constante da equipe local, mas graças às defesas de Luis Rubiños o primeiro tempo terminou sem gols, enquanto no segundo tempo os argentinos, com o apoio de seus torcedores, se dedicaram ao ataque, deixando espaços para a seleção peruana criar jogadas de contra-ataque. Desta forma Oswaldo Ramírez aproveitou a sua velocidade para ultrapassar a defesa e marcar o primeiro golo. A seleção argentina reagiu e marcou o gol do empate temporário graças a um pênalti executado por José Rafael Albrecht, no entanto, a esperança da Argentina não durou muito, já que Ramírez novamente, depois de roubar a bola de Roberto Perfumo, marcou o segundo gol peruano,[46] e finalmente o estreante Alberto Rendo escapou da defesa peruana e definiu com um chute cruzado para marcar o gol da partida final.[47][48] Desta forma, a seleção peruana conquistou pela primeira vez em sua história a classificação para uma Copa do Mundo de Futebol por mérito próprio, já que na edição de 1930 se classificou por meio de um convite.

México 70: quartas de finalEditar

Na Copa do Mundo, fez parte do grupo D junto com as seleções da Alemanha Ocidental, Bulgária e Marrocos. Na primeira partida eles conseguiram uma vitória por 3 a 2 contra a Bulgária.[49] Em seu segundo encontro, eles novamente obtiveram uma vitória depois de vencer confortavelmente o Marrocos por 3 a 0,[50][51] com dois gols de Teófilo Cubillas e um de Roberto Challe, enquanto na última partida da fase de grupos foram derrotados pela Alemanha Ocidental por 3 a 1, ocupando o segundo lugar em seu grupo com quatro pontos e se classificando para as quartas de final. Nesta fase, a seleção peruana caiu para o Brasil.[52][53][54]

O surpreendente fracasso em se classificar para a Copa do Mundo de 1974Editar

Diante da desistência da Venezuela, a classificação foi decidida em ida e volta entre Chile e Peru. Essas seleções empataram no placar acumulado de suas partidas de ida e volta, então a classificação para a repescagem intercontinental foi decidida no desempate disputado em Montevidéu. O Chile venceu nesta partida. A eliminação foi muito criticada e inesperada pela torcida peruana já que naquela época a seleção peruana era uma das melhores do continente.[55][56]

Campeão da Copa América de 1975Editar

Após a decepção de não ter conseguido a classificação para a Copa do Mundo de Futebol de 1974, no ano seguinte durante a Copa América que foi disputada sem sede fixa e com formato de ida e volta, o Peru se agrupou com Chile e Bolívia. Com três vitórias e um empate, se classificou para as semifinais junto com as seleções de Colômbia, Brasil e Uruguai.[57][58][59]

Nas semifinais enfrentou o Brasil, obtendo uma vitória por 3 a 1 fora de casa no jogo de ida em Belo Horizonte com dois gols de Enrique Casaretto e um de Teófilo Cubillas.[60][61][62] No jogo de volta disputado em Lima, o Brasil venceu por 2 a 0, e o empate no saldo de gols fez com que o vencedor fosse decidido em sorteio, vencido pelo Peru.[63][64][65][66] A final foi disputada contra a Colômbia, que já havia derrotado o Uruguai por 3 a 1 no total. A primeira partida foi disputada em Bogotá com vitória da Colômbia por 1 a 0,[67] enquanto na partida de volta em Lima a seleção peruana venceu por 2 a 0,[68] pelo que uma partida extra teve que ser disputada em 28 de outubro de 1975, na cidade de Caracas. O Peru venceu por 1 a 0 com gol de Hugo Sotil.[69][70] Os atacantes Juan Carlos Oblitas e Oswaldo Ramírez foram os artilheiros da seleção nacional com três gols cada e Teófilo Cubillas foi eleito o melhor jogador do campeonato.

Argentina 78: bom começo mas péssimo finalEditar

Nas eliminatórias para a Copa do Mundo de Futebol de 1978, o Peru fez parte do grupo 3 junto com as seleções do Chile e do Equador, disputou quatro partidas, das quais venceu duas em Lima por 4 a 0 contra o Equador e por 2 a 0 contra o Chile e empatou as outras duas fora de casa, somando seis pontos e passando para a próxima fase invicto.[71] Na rodada final, enfrentou o Brasil, com quem perdeu por 1 a 0, e depois a Bolívia, que venceu por 5 a 0, alcançando assim sua segunda qualificação para uma Copa do Mundo.

Na primeira partida venceram a Escócia por 3 a 1, a segunda partida foi um empate sem gols contra a Holanda e, finalmente, venceu o time do Irã por 4 a 1. Já na segunda fase, a seleção peruana entrou no grupo 2 junto com Brasil (perdeu por 3 a 0), Polônia (perdeu por 1 a 0) e Argentina (perdeu por 6 a 0), em uma das apresentações mais polêmicas e vergonhosas da história do futebol peruano.

Em 2017 após a vitória pelo placar de 2-1 sobre o Uruguai,com gols de Júlio Marchi Neto e Guerrero a seleção Peruana conseguiu um marco história e alcançou a 18ª posição no ranking da FIFA[72] E ainda em 15 de novembro de 2017, disputando pela vaga de repescagem contra a Nova Zelândia, o Peru conseguiu classificar-se para a 2018 ao vencer a Nova Zelândia por 2x0.[73]

TítulosEditar

Continentais
Competição Títulos Anos
  Copa América 2 1939 , 1975
Seleção olímpica
Mundiais
Competição Títulos Anos
  Jogos Olímpicos da Juventude 1 2014 
Continentais
Competição Títulos Anos
  Jogos Sul-americanos 1 1990 -
Internacionais
Competição Títulos Anos
  Jogos Bolivarianos 6 1938 , 1947 , 1961 , 1973, 1981, 2001

Legenda

  Campeão invicto

Cronologia dos TítulosEditar

Sede Torneio Ano N.º
 Peru Copa América 1939
Várias Sedes Copa América 1975

Campanhas em destaqueEditar

Seleção Principal
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro Quarto
Copa América 2 (1939, 1975) 1 (2019) 8 (1927,1935, 1949, 1955, 1979, 1983, 2011, 2015) 6 (1929, 1941, 1957, 1959, 1997, 2021)
Copa Ouro da CONCACAF 0 0 0 1 (2000)
Campeonato Pan-Americano 0 0 0 2 (1952, 1956)
Seleção de Base
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro Quarto
Campeonato Sul-Americano Sub-20 0 0 0 5 (1954, 1958, 1967, 1971, 1975)
Campeonato Sul-Americano Sub-17 0 0 0 1 (2007)
Campeonato Sul-Americano Sub-15 1 (2013) 0 0 0
Pré-Olímpico Sul-Americano Sub-23 0 1 (1960) 2 (1964 , 1980) 1 (1972)
Seleção Olímpica
Torneio     Ouro     Prata     Bronze
Jogos Olímpicos da Juventude 1 (2014[74])
Jogos Sul-americanos 1 (1990) 2(1982 , 1994)
Jogos Bolivarianos 6 (1938, 1947, 1961, 1973, 1981, 2001) 1 (1997) 4 (1951, 1977, 1985, 2013)


Outros títulosEditar

  • Copa Kirin: 3 (1999, 2005 e 2011)[75][76]
  • Copa do Pacífico: 4 (1953, 1954, 1971 e 1982)
  • Copa Mariscal Sucre: 1 (1973)
  • Copa 75° Aniversário da FPF: 1 (1997)
  • Torneio Quadrangular de Lima: 1 (2007)
  • Torneio Internacional Juvenil de Niigata: 1 (2007)

Participações em Copas do MundoEditar

  • 1930 - 10º lugar (primeira fase).
  • 1934 a 1966 - Não se classificou
  • 1970 - 7º lugar (quartas de final).
  • 1974 - Não se classificou
  • 1978 - 8º lugar (fase semifinal).
  • 1982 - 20º lugar (primeira fase).
  • 1986 a 2014 - Não se classificou
  • 2018 - Primeira Fase
  • 2022 - Não se classificou

Na história das Copas: 5 participações (1 a disputar ainda), 15 jogos, 4 vitórias, 3 empates, 8 derrotas, 19 gols pró, 31 gols contra, -12 gols de saldo, 33% de aproveitamento de pontos.

Elenco atualEditar

Os seguintes jogadores foram convocados para os jogos contra Mexico e o Salvador.

Atualizado até 9 de setembro de 2022

Nome Posição Clube
Gallese Goleiro   Orlando City
Duarte Goleiro   Sporting Cristal
José Carvallo Goleiro   Universitario
Araujo Defesa   Emmen
Santamaría Defesa   Atlas
Trauco Defesa   Saint-Étienne
Loyola Defesa   Sporting Cristal
Abram Defesa   Granada
Corzo Defesa   Universitario
Zambrano Defesa   Boca Juniors
Advíncula Defesa   Boca Juniors
Callens Defesa   New York City
López Defesa   San Jose Earthquakes
Cartagena Médio   Al Ittihad Kalba
Quispe Médio   Universitario
Aquino Médio   América
Reyna Médio   Cantolao
Peña Médio   Malmö
Tapia Médio   Celta de Vigo
Gonzáles Médio   Al-Adalah
Costa Médio   Colo-Colo
Flores Médio   Atlas
Cueva Médio   Al-Fateh
Carrillo Médio   Al-Hilal
Ormeño Avançado   Guadalajara
Valera Avançado   Al-Fateh
Lapadula Avançado   Cagliari
Ruidíaz Avançado   Sounders
Yordy Reyna Avançado   Charlotte FC
Juan Reynoso Treinador


Estatísticas e recordesEditar

Negrito: Jogadores ainda em atividade

Mais partidasEditar

# Nome Período Jogos Gols
1 Roberto Palacios[77] 1992–2012 128 19
2 Héctor Chumpitaz 1965–1981 105 3
3 Jorge Soto 1992–2005 101 9
4 Juan Jayo 1994–2008 97 1
5 Nolberto Solano 1994–2008 95 20
6 Rubén Toribio Díaz 1972–1985 89 2
7 Paolo Guerrero 2004- 87 35
8 Claudio Pizarro 1999–2016 85 20
9 Juan Reynoso 1986–2000 84 5
10 Percy Olivares 1987–2001 83 1

Maiores artilheirosEditar

# Jogador Período Gols (Jogos)
1 Paolo Guerrero 2004– 39 (99)
2 Teófilo Cubillas 1968–1982 26 (81)
3 Teodoro Fernández 1935–1947 24 (32)
4 Jefferson Farfán 2003– 22 (75)
5 Claudio Pizarro 1999–2016 20 (85)
Nolberto Solano 1994–2008 20 (95)
7 Roberto Palacios 1992–2012 19 (128)
8 Hugo Sotil 1970–1978 18 (62)
9 Oswaldo Ramírez 1969–1982 17 (57)
10 Franco Navarro 1980–1989 16 (56)

UniformesEditar

O Peru tem como escudo o emblema da Federação Peruana de Futebol. O primeiro emblema, apresentado em 1927, tinha um desenho de escudo em forma de ferro de engomar com o nome do país e a sigla da federação (FPF). Oito emblemas diferentes se seguiram, com o design mais duradouro sendo o escudo francês moderno estampado na camisa do time de 1953 a 2014. Este design tinha a bandeira peruana em sua base, e o nome do país ou a sigla da federação em seu topo. Desde 2014, o emblema tem um design de escudo de ferro de engomar de inspiração retro, com todo o campo composto pela bandeira do Peru e a sigla da federação, circundada por uma moldura dourada.[78] O primeiro uniforme do Peru é composto tradicionalmente por uma camisa branca, com uma faixa transversal da esquerda para a direita vermelha, calção e meias brancas, enquanto o segundo uniforme é o inverso, com camisa vermelha e a faixa transversal branca, calção e meias vermelhas, porém, recentemente outras cores tem sido utilizadas no uniforme alternativo, como o preto em 2019 e azul em 2021.

Material esportivoEditar

Fornecedor Período
  Adidas 1978–1981
  Penalty 1981–1982
  Adidas 1983–1985
  Calvo 1986–1987
  Puma 1987–1989
  Power 1989–1991
  Diadora 1991–1993
  Polmer 1993–1995
  Umbro 1996–1997
  Walon 1998–2010
  Umbro 2010–2018
  Marathon 2018– presente

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola» (em inglês). FIFA.com. 25 de agosto de 2022. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  2. «Selección peruana: Los cambios de la Blanquirroja a través de la historia» [Seleção peruana: As mudanças da Blanquirroja ao longo da história]. andina.pe (em espanhol). Consultado em 29 de março de 2022. Cópia arquivada em 29 de março de 2022 
  3. «Selección Peruana: la fiebre de la Blanquirroja continúa sumando adeptos en el país» [Seleção Peruana: a febre Blanquirroja continua ganhando adeptos no país]. Depor (em espanhol). 13 de julho de 2019. Consultado em 29 de março de 2022 
  4. «LA FPF CUMPLE 98 AÑOS DE VIDA INSTITUCIONAL » FPF». web.archive.org. 25 de março de 2022. Consultado em 13 de novembro de 2022 
  5. «Federación Peruana de Fútbol: se cumplen 95 años de su fundación» [Federação Peruana de Futebol: 95 anos desde sua fundação]. Depor (em espanhol). 23 de agosto de 2017. Consultado em 3 de junho de 2022 
  6. «Conmebol saluda a la FPF por sus 98 años de vida institucional» [Conmebol saúda a FPF pelos 98 anos de vida institucional]. Nacional (em espanhol). 23 de agosto de 2020. Consultado em 3 de junho de 2022 
  7. «Selección Peruana: la bicolor cumple 91 años de historia, ¿sabes cuál fue su primer partido?» [Seleção Peruana: o bicolor cumpre 91 anos de história, você sabe qual foi seu primeiro jogo?]. Depor (em espanhol). 1 de novembro de 2018. Consultado em 29 de março de 2022 
  8. «Tour del Estadio Nacional». www.ipd.gob.pe (em inglês). Consultado em 29 de março de 2022 
  9. «El corte inglés | ELDOMINICAL». El Comercio Perú (em espanhol). 10 de junho de 2018. Consultado em 22 de junho de 2022 
  10. Portella, Pahuacho; Roberto, Alonso (março de 2018). «Aproximación a los estudios sobre fútbol peruano y comunicación: prensa escrita, radio y televisión» [Abordagem aos estudos sobre futebol e comunicação peruanos: imprensa escrita, rádio e televisão]. Revista de Comunicación (1): 114–132. ISSN 1684-0933. Consultado em 22 de junho de 2022 
  11. «Perú: Artículos». www.el-area.com. Consultado em 22 de junho de 2022 
  12. «La historia del fútbol en el Perú: el Callao | Blog de Juan Luis Orrego Penagos» [A história do futebol no Peru: Callao] (em espanhol). Consultado em 22 de junho de 2022 
  13. «La historia confirma que la 'chalaca' nació en el Perú» [A história confirma que a 'chalaca' nasceu no Peru]. RPP (em espanhol). 4 de abril de 2018. Consultado em 22 de junho de 2022 
  14. «La historia del fútbol en el Perú | Blog de Juan Luis Orrego Penagos» (em espanhol). Consultado em 22 de junho de 2022 
  15. «▷ La apasionante Historia del Fútbol en el Perú ◁». carpetapedagogica.com. Consultado em 22 de junho de 2022 
  16. Castro, Diego Medina (23 de agosto de 2020). «FPF cumple 98 de años y así lo reconoció Conmebol». Futbolperuano.com (em spanish). Consultado em 22 de junho de 2022 
  17. «1930 FIFA World Cup Uruguay ™ - FIFA.com». web.archive.org. 10 de dezembro de 2013. Consultado em 9 de setembro de 2022 
  18. «FIFA.com - Un hito futbolístico y de identidad nacional». web.archive.org. 20 de fevereiro de 2008. Consultado em 9 de setembro de 2022 
  19. «Mundialistas». El Comercio.pe (em espanhol). Consultado em 9 de setembro de 2022 
  20. Combe, Eduardo (18 de julho de 2020). «Mundial de 1930: a 90 años de la inauguración del Estadio Centenario, con el primer Perú mundialista presente». El Comercio Perú (em espanhol). Consultado em 9 de setembro de 2022 
  21. Hopenhayn, Daniel (26 de junho de 2015). «El histórico "Combinado del Pacífico": Cuando Chile y Perú fueron la misma camiseta». The Clinic (em espanhol). Consultado em 10 de setembro de 2022 
  22. «La historia de All Pacific, la selección de Chile y Perú en 1933». El Gráfico (em espanhol). Consultado em 10 de setembro de 2022 
  23. «Controversia | Berlín 36. Un mito derrumbado | LaRepublica.pe». web.archive.org. 5 de fevereiro de 2015. Consultado em 12 de setembro de 2022 
  24. Nieto, Carlos. «PERUFOOTBALL - Perú campeón Bolivarianos 1938». perufootball.org. Consultado em 12 de setembro de 2022 
  25. Combe, Eduardo (17 de agosto de 2018). «Selección Peruana: hace 80 años ganó el primer título de su historia [INFOGRAFÍA] | FUTBOL-PERUANO». Depor (em espanhol). Consultado em 12 de setembro de 2022 
  26. «Selección Peruana: Lolo Fernández y la espectacular recreación de su golazo a Chile en 1939». RPP (em espanhol). 4 de março de 2019. Consultado em 15 de novembro de 2022 
  27. «Los mundiales que nos perdimos». Correo (em espanhol). 31 de maio de 2008. Consultado em 19 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 22 de setembro de 2022 
  28. «Alberto «Toto» Terry: a 15 años de la partida de una de las máximas glorias cremas». Universitario de Deportes (em espanhol). Consultado em 24 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2022 
  29. «Alberto 'Toto' Terry: Gloria eterna de Universitario». universitario.pe. Consultado em 24 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2022 
  30. Behr, Raúl. «Guillermo Barbadillo: El hombre bicicleta - De Chalaca | Futbol para el que la conoce». dechalaca.com. Consultado em 24 de setembro de 2022 
  31. Fernández, Mario (1 de março de 2021). «Las confesiones de Valeriano López, el mejor cabeceador del fútbol peruano». ONCE (em espanhol). Consultado em 24 de setembro de 2022 
  32. «Siete canales del éxito - De Chalaca | Futbol para el que la conoce». dechalaca.com. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  33. «Perú vs. Panamá: ¿cuáles han sido los resultados de la bicolor ante los panameños?». Archivos de balón (em espanhol). 13 de janeiro de 2022. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  34. Moreno, Eduardo (7 de fevereiro de 2011). «La historia de los Panamá vs. Perú». Panamá América (em espanhol). Consultado em 21 de setembro de 2022 
  35. «[02/04/1952] Chile-Perú | 3:2» (em espanhol). Consultado em 21 de setembro de 2022 
  36. «Peru 3-0 Mexico :: Campeonato Panamericano 1952 :: Ficha del Partido :: ceroacero.es». www.ceroacero.es (em espanhol). Consultado em 21 de setembro de 2022 
  37. «Perú en los Panamericanos de Fútbol: No es lo mismo ni es igual». dechalaca.com. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  38. Combe, Eduardo (13 de abril de 2021). «Selección peruana: El detallado minuto a minuto del debut histórico de la Blanquirroja en las Eliminatorias Suecia 1958 | Perú vs. Brasil, 1957 | Didí | Toto Terry | DEPORTE-TOTAL». El Comercio Perú (em espanhol). Consultado em 23 de setembro de 2022 
  39. Combe, Eduardo (14 de março de 2017). «Selección Peruana: la 'folha seca' nos dejó fuera en nuestra primera Eliminatoria | FUTBOL-PERUANO». Depor (em espanhol). Consultado em 23 de setembro de 2022 
  40. Romero, Kenny. «Perú - Colombia 1961: Tren al sur - De Chalaca». dechalaca.com. Consultado em 26 de setembro de 2022 
  41. Combe, Eduardo (16 de março de 2017). «Selección Peruana: la eliminación más dolorosa en Eliminatorias». Depor (em espanhol). Consultado em 26 de setembro de 2022 
  42. «5 enfrentamientos históricos entre Perú y Colombia». Diario AS (em espanhol). 8 de outubro de 2017. Consultado em 26 de setembro de 2022 
  43. «FIFA.com - Copa Mundial de la FIFA Inglaterra 1966». web.archive.org. 5 de maio de 2009. Consultado em 26 de setembro de 2022 
  44. Gando, Roberto. «Venezuela 3 - Perú 6 (1966): Sexto libre - De Chalaca | Futbol para el que la conoce». dechalaca.com. Consultado em 26 de setembro de 2022 
  45. «Perú 1 - Argentina 0 (Eliminatoria Copa Jules Rimet, 1969)». Arkivperu (em espanhol). 10 de setembro de 2012. Consultado em 10 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 10 de novembro de 2022 
  46. «"Cachito" Ramírez celebra sus 73 años». Futbolperuano.com (em spanish). 28 de março de 2020. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  47. «El empate ante Perú en La Bombonera que dejó a Argentina afuera del Mundial de México 1970». espn.com.pe (em espanhol). 31 de maio de 2020. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  48. «Perú vs. Argentina: las visitas más recordadas de la selección peruana por eliminatorias». larepublica.pe (em espanhol). 13 de outubro de 2021. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  49. «Perú derrotó a Bulgaria 3 a 2». El Comercio Perú (em espanhol). 23 de julho de 2021. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  50. «Perú 3, Marruecos 0: el día en que Roberto Chale le enseñó al mundo cómo se jugaba en el Perú». El Comercio Perú (em espanhol). 28 de junho de 2020. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  51. «A 50 años: La goleada ante Marruecos, un golpe de autoridad de Perú en el Mundial de México 1970». espn.com.pe (em espanhol). 6 de junho de 2020. Consultado em 10 de novembro de 2022 
  52. «Los 50 mejores partidos de la historia: Brasil 4-2 Perú Mundial 1970». Marca.com (em espanhol). 4 de abril de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  53. «A 50 años de México 1970: El histórico partido frente a Brasil en cuartos de final». espn.com.pe (em espanhol). 14 de junho de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  54. «Perú vs. Brasil en cuartos de final de México 1970 ¿Por qué se considera que este partido devolvió la fe en los mundiales?». El Comercio Perú (em espanhol). 15 de junho de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  55. «Manuel Uribe: el arquero peruano al que todos culpan por no clasificar a Alemania 74». El Comercio Perú (em espanhol). 7 de outubro de 2019. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  56. «Así fue el Perú vs. Chile, Eliminatorias al Mundial de 1974». ONCE (em espanhol). 9 de novembro de 2020. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  57. «Perú vs. Bolivia en Lima por la Copa América, el inicio del camino hacia el título de 1975 | ARCHIVO-ELCOMERCIO». El Comercio Perú (em espanhol). 7 de agosto de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  58. «Perú vs. Chile en Santiago por la Copa América, el inicio del camino hacia el título entre hostilidades fronterizas». El Comercio Perú (em espanhol). 18 de julho de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  59. «Perú vs. Chile, el triunfo que nos clasificó a las semifinales de la Copa América 1975». El Comercio Perú (em espanhol). 20 de agosto de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  60. «Perú vs Brasil: Recordemos el triunfo 3 a 1 por la Copa América 1975». Depor (em espanhol). 16 de junho de 2021. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  61. «Perú venció 3-1 a Brasil hace 40 años en la Copa América 1975». El Comercio Perú (em espanhol). 30 de setembro de 2015. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  62. «Perú - Brasil 1975: ¿Ese fue Brasil?». dechalaca.com. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  63. «La historia del sorteo que llevó a Perú a la final de una Copa América». americadeportes (em espanhol). Consultado em 20 de novembro de 2022 
  64. «Verónica, la niña que llevó a Perú a la final de la Copa América 1975». Depor (em espanhol). 4 de outubro de 2016. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  65. «La niña que llevó a Perú a la final de 1975». Los Tiempos (em espanhol). 13 de junho de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  66. «Perú vs. Brasil: ex jugador del 'Scratch' recordó una "acción ilícita" en título peruano de 1975». El Comercio Perú (em espanhol). 5 de julho de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  67. «Colombia 1-0 Perú Copa América 1975» 
  68. «Perú 2-0 Colombia Copa América 1975» 
  69. «La increíble historia del héroe de Perú en la Copa América 1975 - TyC Sports». www.tycsports.com. Consultado em 21 de novembro de 2022 
  70. «La historia detrás del 'escape' de Hugo Sotil de Barcelona para jugar por Perú en la Copa América 1975». infobae (em espanhol). Consultado em 21 de novembro de 2022 
  71. «Eliminatorias al Mundial de 1978: la revancha de Perú». ONCE (em espanhol). 9 de novembro de 2020. Consultado em 21 de novembro de 2022 
  72. «Guerrero e Gareca levam seleção peruana à colocação histórica no ranking da Fifa | FOX Sports». FOX Sports 
  73. «Com homenagens a Guerrero, Peru bate Nova Zelândia e volta à Copa após 36 anos». ESPN 
  74. http://elcomercio.pe ¡Perú campeón! Sub 15 de Oré ganó el oro en Nanjing 2014
  75. «Perú es el nuevo campeón de la Copa Kirin junto a Japón y República Checa | DEPORTES». Correo (em espanhol). 7 de junho de 2011. Consultado em 3 de junho de 2022 
  76. Líbero. «¡Perú campeón!: Ganó la Copa Kirín junto con Japón y la República Checa». libero.pe (em espanhol). Consultado em 3 de junho de 2022 
  77. «Guerrero de mil batallas: los nuevos récords que batirá Paolo ante Uruguay» (em inglês). MSN. 26 de março de 2017 
  78. https://depor.com/futbol-peruano/seleccion-peruana/federacion-peruana-futbol-escudos-historia-foto-interactiva-7015/