Abrir menu principal
Shirley Verrett
Nascimento 31 de maio de 1931
Nova Orleães
Morte 5 de novembro de 2010 (79 anos)
Ann Arbor
Cidadania Estados Unidos
Etnia afroamericano
Alma mater Juilliard School
Ocupação cantora, cantora de ópera, professor de música
Prêmios Prêmio Marian Anderson
Empregador Universidade de Michigan
Causa da morte doença
Página oficial
http://shirleyverrett.com/

Shirley Verrett (Nova Orleães, Estados Unidos, 31 de maio de 1931Ann Arbor, 5 de novembro de 2010[1]) foi uma soprano e mezzo-soprano estadunidense da segunda metade do século XX. Verrett foi uma das mais famosas mezzos do século XX , conhecida pela transição de seus papéis do repertório de mezzo para o soprano.

BiografiaEditar

Apesar de mostrar talento para a música desde a infância, Shirley Verrett teve uma educação estritamente religiosa, pois seus pais eram adventistas. Sem contar com o apoio da família para a carreia lírica, mudou-se para estudar na famosa Juilliard School de Nova York. Sua estréia operística deu-se em 1957, no papel de Lucretia em The Rape of Lucretia, de Benjamin Britten. Sua estréia internacional teria lugar em Colônia dois anos mais tarde, em Rasputins Tod, de Nicholas Nabokov.

Em 1962, Shirley Verrett destacou-se como Carmén (Bizet) no Festival de Spoleto. Seguiram-se diversas estréias em teatros importantes neste papel - Bolshoy (1963), La Scala (1964), Metropolitan Opera (1968) e Convent Garden (1973). A partir de então, passou a realizar apresentações regulares nestas e em outras casas de espetáculo de renome, tais como o Wiener Staatsoper, o Opéra de Paris e a San Francisco Opera. A cantora retirou-se dos palcos em 1990.

Verrett também tornou-se uma figura notória na luta pelos direitos civis nos Estados Unidos. Ao longo de sua carreira, foi protagonista de inúmeros incidentes envolvendo preconceito racial. O mais notável teve lugar em 1959, quando a cantora teve de declinar um convite do maestro Leopold Stokowski, com quem trabalhara ainda como aluna da Juilliard School, para apresentar-se em Houston, porque a orquestra sinfônica da cidade recusou-se a tocar tendo uma negra no papel principal de uma ópera.

Shirley Verrett faleceu na sexta-feira, dia 5 de novembro de 2010, aos 79 anos de idade[2]

CaracterísticasEditar

Um dos traços mais notáveis da carreira de Verrett é sua incrível versatilidade. Seu repertório é bastante incomum no cenário operístico internacional, e inclui o bel canto (La Favorita e Maria Stuarda, de Donizetti), algumas obras-primas de Verdi (Macbeth, Un Ballo in Maschera, Don Carlo, Rigoletto), o gran opéra francês (L'Africaine, de Meyerbeer) a até mesmo óperas de compositores contemporâneos, como o supra-citado Britten.

Com uma extensão vocal excepcional, que recobria tanto o alcance de um mezzo-soprano quanto o de um soprano dramático, Verrett também destacou-se por ter interpretado, em mais de uma ópera, dois papéis de registros vocais diferentes, tais como a Amneris ou a Aida de Verdi, ou a Adalgisa e a Norma, de Vincenzo Bellini. Em 23 de outubro de 1973, entrou para a história do canto lírico ao desempenhar, na mesma récita, as duas heroínas de Les Troyens (Berlioz), Cassandra e Dido, após Christa Ludwig, que teria sido sua parceira de palco, ter adoecido.

Além de possuir uma voz brilhante e potente, Verrett também recebeu menções elogiosas da crítica especializada por suas habilidades dramáticas, demonstradas em papéis de intenso teor dramático, tais como Lady Macbeth ou Dalila em Samson et Dalila (Saint-Saëns).

RepertorioEditar

Repertorio Operistico
Ruolo Titolo Autore
Judith Il castello di Barbablù Bartók
Leonora Fidelio Beethoven
Adalgisa
Norma
Norma Bellini
Cassandre
Didon
Les Troyens Berlioz
Carmen Carmen Bizet
Lucretia The Rape of Lucretia Britten
Medée Medée Cherubini
Giovanna Seymour Anna Bolena Donizetti
Maffio Orsini Lucrezia Borgia Donizetti
Elisabetta I Maria Stuarda Donizetti
Leonora di Guzman La Favorita Donizetti
Orfeo Orfeo ed Euridice Gluck
Alceste Alceste Gluck
Iphigénie Iphigénie en Aulide Gluck
Santuzza Cavalleria rusticana Mascagni
Selika L'Africaine Meyerbeer
Madame Lidoine Les dialogues des Carmelites Poulenc
Floria Tosca Tosca Puccini
Neocle L'assedio di Corinto Rossini
Sinaïde Moïse et Pharaon Rossini
Dalila Samson et Dalila Saint-Saëns
Jocasta Oedipus rex Stravinskij
Lady Macbeth Macbeth Verdi
Federica Luisa Miller Verdi
Maddalena Rigoletto Verdi
Azucena Il trovatore Verdi
Amelia
Ulrica
Un ballo in maschera Verdi
Principessa d'Eboli Don Carlo Verdi
Aida
Amneris
Aida Verdi
Desdemona Otello Verdi

GravaçõesEditar

Entre as gravações de Shirley Verrett, destacam-se:

Referências

Ligações externasEditar