Paramount Network

(Redirecionado de Spike TV)
Paramount Network
Tipo Canal de televisão por assinatura
País  Estados Unidos
Fundação 7 de março de 1983 (37 anos)
Pertence a ViacomCBS Domestic Media Networks (ViacomCBS)
Sede Los Angeles, Califórnia
Formato de vídeo 1080i (HDTV)
(reduzido para letterbox 480i para o feed SDTV)
Canais irmãos CBS
The CW
CBS Sports Network
Showtime
Smithsonian Channel
Pop TV
The Movie Channel
Flix
MTV
BET
VH1
Nickelodeon
CMT
Comedy Central
TV Land
Logo
Nome(s) anterior(es) The Nashville Network (1983–2000)
The National Network (2000–2001)
The New TNN (2001–2003)
Spike TV (2003–2006)
Spike (2006–2018)
Página oficial www.paramountnetwork.com

Paramount Network é um canal de televisão por assinatura americano pertencente à divisão ViacomCBS Domestic Media Networks da ViacomCBS. A sede da rede está localizada no estúdio Paramount Pictures em Los Angeles.

O canal foi originalmente fundado por uma parceria entre a estação de rádio WSM e a Westinghouse Broadcasting como The Nashville Network (TNN) e começou a transmitir em 7 de março de 1983.[1][2] Inicialmente, apresentava programas voltados para a cultura do sul dos Estados Unidos, incluindo música country e programas de variedades, programação ao ar livre e cobertura de corridas de automóveis (como NASCAR). A TNN foi comprada pela Gaylord Entertainment Company em 1983.[3] Depois que a Gaylord comprou a CMT em 1991, a programação musical da TNN foi transferida para a CMT, deixando a TNN se concentrando na programação de entretenimento e estilo de vida. Em 1995, a TNN e a CMT foram adquiridas pela Westinghouse, que por sua vez foi adquirida pela Viacom em 1999.

Sob a propriedade da Viacom, a TNN começou a interromper sua programação existente, influenciada pelo país, em favor de mais séries fora da rede, filmes e programas de entretenimento esportivo direcionados a um público mais amplo. Foi renomeada The National Network em setembro de 2000, coincidindo com a estréia do WWF Raw no canal. Nesse ponto, a Viacom descreveu a TNN como um serviço geral de entretenimento, embora um atrativo para a América Central. Em agosto de 2003, a TNN foi relançada como Spike TV, destinada a um público jovem adulto masculino. Em junho de 2006, a Spike renomeou com um foco mais explícito no gênero de ação. Em 2010, a Spike começou a mudar sua programação para um alcance demográfico mais amplo, com um foco maior nas séries de reality. Isso culminou com uma nova marca final em 2015 para enfatizar séries com equilíbrio de gênero, como Lip Sync Battle e um retorno à programação original com script.

Em 18 de janeiro de 2018, a Spike foi relançada como Paramount Network, com o objetivo de alinhá-lo com seu estúdio homônimo (que anteriormente emprestou seu nome à agora extinta rede de televisão UPN). A Paramount Network foi posicionada como uma saída geral "flagship" para séries de scripts originais e como concorrente de outras redes de cabo básicas "premium", como AMC e FX. Em setembro de 2018, aproximadamente 80,24 milhões de famílias nos Estados Unidos receberam a Paramount Network.[4]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: The Nashville Network

O Paramount Network começou como The Nashville Network (TNN) em 7 de março de 1983. O TNN foi propriedade de muitas empresas até que em 1995 foi adquirido pela CBS, que foi adquirida pela Viacom em 1999.

Desde a adquirição da Viacom, o TNN passou por diversas reformas que culminaram no rebatismo da rede, que operou 17 anos como The Nashville Network, para The National Network e depois simplesmente TNN. Mais mudanças foram realizadas e foi criado o The New TNN, que virou o Spike TV em 2003. O nome Spike foi colocado em homenagem ao diretor Spike Lee.

Em 2006 O Spike TV foi renomeado para apenas Spike.

Em 2018 como parte de uma restruturação de marcas da Viacom muda de nome de Spike para Paramount Network para se alinhar com o estúdio de cinema Paramount Pictures. A viacom pretende investir e fortalecer mais suas principais marcas, como Paramount, Nickelodeon, MTV dentre outras.

Ligações externasEditar

  1. Schwed, Mark (5 de março de 1983). «Nashville Network -- Giant Commercial for Country Music». UPI. Consultado em 18 de março de 2018 
  2. UPI (11 de março de 1983). «The Nashville Network Begins With Optimism». The New York Times. Consultado em 18 de março de 2018 – via Proquest 
  3. Berg, Eric N. (2 de julho de 1983). «Grand Ole Opry Finds a Buyer». The New York Times (em inglês). Consultado em 18 de março de 2018 – via Proquest  Verifique o valor de |url-access=subscription (ajuda)
  4. «Nielsen coverage estimates for September see gains at ESPN networks, NBCSN, and NBA TV, drops at MLBN and NFLN». awfulannouncing.com. Consultado em 28 de julho de 2019