Superliga Brasileira de Voleibol Masculino de 2015–16 - Série A

Superliga Série A 2015/2016
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Informações gerais
País  Brasil
Organizador CBV
Período 7 de novembro de 2015 à 10 de abril de 2016
Participantes 12
Resultados
Campeão Minas Gerais Sada Cruzeiro Vôlei (4° título)
Vice-campeão São Paulo Vôlei Brasil Kirin
MVP Cuba Yoandy Leal CRU
Baixa Rebaixamento Paraná Copel Telecom Maringá Vôlei
Minas Gerais Juiz de Fora Vôlei
Estatísticas
Número de jogos 151
Maior pontuador(a) Cuba Yadrian Escobar MTC
(444 pontos)
◄◄ 2014-15 Bola de volei de quadra.svg 2016-17 ►►
Página oficial da competição

A Superliga Brasileira de Voleibol Masculino de 2015–16 - Série A foi a 22ª edição da Superliga Brasileira de Voleibol Masculino - Série A, competição que é realizada anualmente pela Confederação Brasileira de Voleibol. Nesta edição, participaram 12 equipes, incluindo uma equipe promovida da série B de 2014/2015, o vencedor do torneio seletivo e as 10 equipes que restaram da edição anterior. A competição foi disputada entre 7 de novembro de 2015 e 10 de abril de 2016.

Formato de disputaEditar

A fase classificatória da competição foi disputada por doze equipes em dois turnos. Em cada turno, todos os times jogaram entre si uma única vez. Os jogos do segundo turno são realizados na mesma ordem do primeiro, apenas com o mando de quadra invertido. Os oito primeiros colocados se classificaram para os play-offs. Nesta fase, a vitória por 3-0 ou 3-1 garantiu três pontos para o ganhador e nenhum ponto para o perdedor. Já com o placar de 3-2, o ganhador da partida levou dois pontos e o perdedor um. As duas últimas colocadas serão rebaixadas para a Série B 2017.

Os play-offs foram divididos em três fases - quartas-de-final, semi-finais e final.

Nas quartas-de-final houve o cruzamento entre as equipes com os melhores índices técnicos seguindo a lógica: 1ª x 8ª (A); 2ª x 7ª(B); 3ª x 6ª(C) e 4ª x 5ª(D). Estas jogaram partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de campo para cada e o jogo de desempate, quando houve, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.

As semifinais foram disputadas pelas equipes que passaram das quartas-de-final, seguindo a lógica: vencedora do duelo A x vencedora do duelo D; vencedora do duelo B x vencedora do duelo C. Estas jogaram novamente partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de campo para cada e o jogo de desempate, quando houve, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.

As vencedoras se classificaram para a final, que foi disputada em jogo único, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, sede escolhida pela CBV. A terceira e a quarta colocações foram definidas pelo melhor índice técnico da fase classificatória.

Os sets do torneio foram disputados até 25 pontos com a diferença mínima de dois pontos (com exceção do quinto set, vencido pela equipe que fez 15 pontos com pelo menos dois de diferença). Ocorreram paradas técnicas no 8º e no 16º pontos da equipe que primeiro os alcançou.[1]

Equipes participantesEditar

Equipe Cidade Ginásio Capacidade Posição na temporada 2014/15
Bento Vôlei/Isabela   Bento Gonçalves Municipal 5 000 1º (Série B)
Copel Telecom Maringá Vôlei   Maringá Chico Neto 4 538
FUNVIC Taubaté   Taubaté Abaeté 3 000
Juiz de Fora Vôlei   Juiz de Fora UFJF 1 000
Lebes Gedore Canoas   Canoas La Salle 1 200
Minas Tênis Clube   Belo Horizonte Arena JK 3 650
Montes Claros Vôlei   Montes Claros Tancredo Neves 5 000
Sada Cruzeiro Vôlei   Contagem Riacho 2 000
São José dos Campos   São José dos Campos Tênis Clube 1 500 11º[ts]
Sesi-SP   São Paulo Vila Leopoldina 800
Vôlei Brasil Kirin   Campinas Taquaral 2 600
Voleisul Paquetá   Novo Hamburgo Sociedade Ginástica 2 300 10º
Notas
[ts] ^ : O São José dos Campos foi o vencedor do torneio seletivo e conquistou a vaga restante para o campeonato.

Fase classificatóriaEditar

ClassificaçãoEditar

  • Vitória por 3 sets a 0 ou 3 a 1: 3 pontos para o vencedor;
  • Vitória por 3 sets a 2: 2 pontos para o vencedor e 1 ponto para o perdedor.
  • Não comparecimento, a equipe perde 2 pontos.
  • Em caso de igualdade por pontos, os seguintes critérios servem como desempate: número de vitórias, razão de sets e razão de ralis.
Equipes classificadas às quartas-de-final.
Equipes rebaixadas para a Série B 2017.
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1   Sada Cruzeiro Vôlei 55 22 18 4 7 10 1 2 1 1 59 24 2.458 1978 1766 1.120
2   FUNVIC/Taubaté 50 22 17 5 10 3 4 3 2 0 59 26 2.269 1987 1851 1.073
3   Vôlei Renata 44 22 14 8 5 7 2 4 2 2 52 35 1.486 2046 1883 1.087
4   Sesi-SP 37 22 13 9 2 6 5 3 4 2 49 43 1.140 2091 2014 1.038
5   Montes Claros Vôlei 34 22 13 9 2 5 6 1 5 3 46 44 1.045 2021 2049 0.986
6   Bento Vôlei/Isabela 33 22 11 11 3 4 4 4 2 5 43 45 0.956 1959 1947 1.006
7   Minas Tênis Clube 30 22 10 12 2 4 4 4 2 6 40 48 0.833 1975 1975 1,000
8   São José dos Campos 29 22 9 13 5 1 3 5 6 2 43 46 0.935 1985 2005 0.990
9   Lebes/Gedore/Canoas 27 22 9 13 4 2 3 3 4 6 37 47 0.787 1855 1902 0.975
10   Voleisul/Paquetá Esportes 26 22 8 14 4 2 2 4 6 4 38 48 0.792 1918 1968 0.975
11   Copel Telecom/Maringá Vôlei 21 22 7 15 2 2 3 3 4 8 31 53 0.585 1801 1964 0.917
12   Juiz de Fora Vôlei 10 22 3 19 0 0 3 4 8 7 25 63 0.397 1799 2091 0.860


ConfrontosEditar

  BVL CAM CAN TAU MRG MIN MOC VSU CRU SES UJF SJC Pos
  BVL Bento Vôlei/Isabela 3–2 0–3 2–3 3–0 3–1 3–1 3–2 3–0 1–3 3–2 0–3
  CAM Vôlei Renata 3–2 2–3 0–3 3–0 3–1 1–3 3–0 2–3 3–1 3–1 3–1
  CAN Lebes/Gedore/Canoas 0–3 2–3 0–3 3–0 0–3 3–1 3–0 1–3 0–3 3–0 0–3
  TAU FUNVIC/Taubaté 3–0 3–0 2–3 3–2 3–2 3–0 3–1 1–3 3–0 3–0 3–0
  MRG Copel Telecom/Maringá Vôlei 3–0 0–3 3–0 1–3 2–3 1–3 3–1 0–3 1–3 2–3 3–1 11º
  MIN Minas Tênis Clube 3–2 0–3 3–1 0–3 2–3 3–2 3–1 0–3 3–2 3–1 0–3
  MOC Montes Claros Vôlei 3–2 1–3 3–1 3–2 3–0 3–2 3–1 1–3 1–3 3–0 0–3
  VSU Voleisul/Paquetá Esportes 2–3 0–3 3–2 0–3 3–0 3–0 3–0 1–3 2–3 3–0 3–2 10º
  CRU Sada Cruzeiro Vôlei 3–0 3–1 3–1 3–1 3–0 3–0 1–3 3–1 3–1 3–0 3–1
  SES Sesi-SP 1–3 3–2 3–2 2–3 3–1 0–3 2–3 1–3 3–2 3–0 3–2
  UJF Juiz de Fora Vôlei 1–3 1–3 1–3 1–3 2–3 1–3 2–3 3–2 3–2 1–3 2–3 12º
  SJC São José dos Campos 3–1 1–3 2–3 3–2 2–3 3–2 2–3 1–3 0–3 1–3 3–0


PlayoffsEditar

  Quartas-de-final Semifinais Final
   13 de março à 20 de março de 2016  26 de março à 5 de abril de 2016  10 de abril de 2016
                                   
     Sada Cruzeiro Vôlei 3 3  
   São José dos Campos 0 0  
     Sada Cruzeiro Vôlei 3 3  
     Sesi-SP 1 2  
   Sesi-SP 3 3
     Montes Claros Vôlei 1 0  
       Sada Cruzeiro Vôlei 3
     Vôlei Renata 1
     FUNVIC/Taubaté 3 3  
   Minas Tênis Clube 0 2  
     FUNVIC/Taubaté 3 1 2
     Vôlei Renata 1 3 3  
   Vôlei Renata 3 3
     Bento Vôlei/Isabela 0 1  

Classificação finalEditar

Posição Equipe Classificação/rebaixamento
    Sada Cruzeiro Vôlei   Sul-Americano de Clubes de 2017
  Superliga 2016/2017 - Série A
    Vôlei Renata   Superliga 2016/2017 - Série A
    FUNVIC/Taubaté   Superliga 2016/2017 - Série A
4   Sesi-SP   Superliga 2016/2017 - Série A
5   Montes Claros Vôlei   Superliga 2016/2017 - Série A
6   Bento Vôlei/Isabela   Superliga 2016/2017 - Série A
7   Minas Tênis Clube   Superliga 2016/2017 - Série A
8   São José dos Campos   Superliga 2016/2017 - Série A
9   Lebes/Gedore/Canoas   Superliga 2016/2017 - Série A
10   Voleisul/Paquetá Esportes   Superliga 2016/2017 - Série A
11   Copel Telecom/Maringá Vôlei   Série B 2017
12   Juiz de Fora Vôlei   Série B 2017

PremiaçõesEditar

Superliga 2015/2016
 
Sada Cruzeiro Vôlei
Campeão
(4º título)

IndividuaisEditar

MVP   Leal   Sada Cruzeiro Vôlei
Melhor Ataque   Wallace   Sada Cruzeiro Vôlei
Melhor Bloqueio   Maurício   Vôlei Brasil Kirin
Melhor Saque   Giovanni   Bento Vôlei
Melhor Recepção/Passe   Filipe   Sada Cruzeiro Vôlei
Melhor Defesa   Serginho   Sada Cruzeiro Vôlei
Melhor Levantador   William   Sada Cruzeiro Vôlei

[2].

PúblicoEditar

Maiores públicosEditar

Público Mandante Sets Visitante Ginásio Data Rodada Ref.
1 9 374 Sada Cruzeiro Vôlei   3 – 1   Vôlei Renata Nilson Nelson 10 de abril Final [3]
2 5 082 Montes Claros Vôlei   0 – 3   Sesi-SP Tancredo Neves 19 de março Quartas [4]
3 4 283 Montes Claros Vôlei   1 – 3   Sada Cruzeiro Vôlei Tancredo Neves 26 de novembro [5]
4 4 000 Sesi-SP   2 – 3   Sada Cruzeiro Vôlei Lauro Gomes 1 de abril Semifinal [6]
5 3 842 Montes Claros Vôlei   3 – 2   Minas Tênis Clube Tancredo Neves 9 de março 22ª [7]

Menores públicosEditar

Público Mandante Sets Visitante Ginásio Data Rodada Ref.
1 112 Juiz de Fora Vôlei   2 – 3   São José dos Campos UFJF 19 de dezembro 10ª [8]
2 183 Lebes/Gedore/Canoas   3 – 0   Juiz de Fora Vôlei La Salle 30 de janeiro 15ª [9]
3 189 Juiz de Fora Vôlei   1 – 3   FUNVIC/Taubaté UFJF 5 de dezembro [10]
4 189 Lebes/Gedore/Canoas   0 – 3   Bento Vôlei/Isabela La Salle 13 de fevereiro 17ª [11]
5 212 Juiz de Fora Vôlei   3 – 2   Montes Claros Vôlei UFJF 13 de fevereiro 17ª [12]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Regulamento Superliga 2015/2016» (PDF). Confederação Brasileira de Voleibol. Consultado em 2 de outubro de 2015. Arquivado do original (PDF) em 8 de novembro de 2015 
  2. Danielle Rocha. «Cruzeiro passa sufoco, mas leva o tetra da Superliga e é "campeão de tudo"». GloboEsporte.com (em portugues). 10 de abril de 2016. Consultado em 11 de abril de 2016 
  3. «Relatório da partida nº 151». CBV. Consultado em 10 de abril de 2016 
  4. «Relatório da partida nº 138». CBV. Consultado em 21 de março de 2016 
  5. «Relatório da partida nº 27». CBV. Consultado em 26 novembro de 2015 
  6. «Relatório da partida nº 147». CBV. Consultado em 2 de abril de 2016 
  7. «Relatório da partida nº 130». CBV. Consultado em 10 de março de 2016 
  8. «Relatório da partida nº 57». CBV. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  9. «Relatório da partida nº 86». CBV. Consultado em 1 de fevereiro de 2016 
  10. «Relatório da partida nº 38». CBV. Consultado em 7 de dezembro de 2015 
  11. «Relatório da partida nº 101». CBV. Consultado em 16 de dezembro de 2015 
  12. «Relatório da partida nº 98». CBV. Consultado em 1 de fevereiro de 2016 

Ligações externasEditar