Teotónio Machado Pires

Teotónio Machado Pires
Nascimento 7 de novembro de 1902
Angra do Heroísmo
Morte 2 de abril de 1993 (90 anos)
Cidadania Portugal
Prêmios Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo, Grande-Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique

Teotónio Machado Pires GOCGOIH (Terra Chã, 7 de Novembro de 1902Angra do Heroísmo, 2 de Abril de 1993) foi um político e jurista açoriano.

BiografiaEditar

Entre outras funções, foi chefe da secretaria da Junta Geral do Distrito Autónomo de Angra do Heroísmo, deputado pela União Nacional à Assembleia Nacional do Estado Novo e governador civil do Distrito Autónomo de Angra do Heroísmo (de 1959 a 1973). Foi sócio fundador do Instituto Histórico da Ilha Terceira, tendo presidido àquela instituição entre 1958 e 1960. Notabilizou-se na assistência aos sinistrados da crise sísmica dos Rosais, razão pela qual a vila de Velas e a freguesia dos Rosais o lembram na sua toponímia. Também a vila de Santa Cruz da Graciosa e a freguesia da Terra Chã têm arruamentos com o seu nome.

Presidiu também à Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, à Comissão Regional de Turismo de Angra do Heroísmo e à direcção do Montepio Terceirense. Foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique a 15 de Junho de 1962 e Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo a 31 de Maio de 1973.[1]

Foi pai do Prof. Doutor António Manuel Bettencourt Machado Pires, professor catedrático de literatura e cultura portuguesa e durante muitos anos reitor da Universidade dos Açores e Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública a 23 de Agosto de 1988.[1]

Referências

BibliografiaEditar

  • António Manuel Bettencourt Machado Pires, Evocação de meu pai, in A União, edição de 30 de Outubro de 2002, Angra do Heroísmo.

Ligações externasEditar