Think (canção de Aretha Franklin)

"Think" é uma canção gravada pela artista musical norte-americana Aretha Franklin, presente em seu décimo terceiro álbum de estúdio, Aretha Now (1968). Foi composta pela própria artista em colaboração com Teddy White, enquanto sua produção ficou à cargo de Jerry Wexler. Lançada através da gravadora Atlantic Records em 2 de maio de 1968, foi usada como a primeira música de trabalho para auxiliar na divulgação do disco, sendo disponibilizada no formato 7" e, posteriormente, em download digital.

"Think"
Single de Aretha Franklin
do álbum Aretha Now
Lançamento 2 de maio de 1968 (1968-05-02)
Formato(s)
Gênero(s) Soul
Duração 2:16
Gravadora(s) Atlantic
Composição
  • Aretha Franklin
  • Teddy White
Produção Jerry Wexler
Cronologia de singles de Aretha Franklin
"Ain't No Way"
(1968)
"I Say a Little Prayer"
(1968)

Recebida com aclamação da crítica especializada, que prezou suas letras feministas e referências ao movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Comercialmente, se posicionou entre as dez mais vendidas nos Estados Unidos e Canadá, onde alcançou a sétima posição na Billboard Hot 100 e a sexta colocação da The RPM 100, respectivamente. Em 2006, ocupou o décimo quinto lugar na lista das 200 Maiores Canções da Década de 1960s, feita através da revista Pitchfork.

RecepçãoEditar

Crítica profissionalEditar

"Think" recebeu aclamação crítica após o seu lançamento, além de ser reconhecida por seu impacto na música contemporânea. A revista Entertainment Weekly a considera como uma "canção de emancipação" e descreve que a palavra "liberdade" nunca "soou tão verdadeiramente livre" quanto nesta obra.[1] Uma equipe de escritores da Rolling Stone julga a faixa como uma das melhores do repertório de Aretha, afirmando que a canção "repercutiu em um grande nível cultural [...] servindo como tema da América Negra".[2] A publicação refere-se ainda que o tema foi composto após a morte de Martin Luther King Jr..[2] Escrevendo para o jornal The Independent, Graeme Ross reconhece que "após transformar 'Respect' em um hino feminista atemporal, Franklin compôs sua própria emancipação feminina e étnica com 'Think', um clássico imortal".[3]

Brian McCollum do USA Today reconhece que as letras do tema "ostensivamente dirigidas para um amante" foram "discretamente sublinhadas com a consciência social e política que Aretha simbolizava".[4] Jason King da revista Pitchfork considera "Think" como um dos maiores "hinos feministas da história da cultura pop".[5] Pela mesma publicação, Joe Tangari afirma que além de uma mensagem feminista, "Think" funciona como "uma poderosa mensagem de relações raciais", além de julgar que "se as palavras 'liberdade' no tema não te deixa cheio de energia, verifique seu pulso".[6] Ed Hogan do AllMusic acredita que o tema "tem o mesmo tipo de energia estridente" de "Respect" (1967).[7]

ReconhecimentosEditar

Publicação Lista Pos. Ref.
Pitchfork 200 Maiores Canções da Década de 1960s 15 [6]

Apresentações ao vivoEditar

Em 1999, após uma entrevista para o programa The Oprah Winfrey Show, com intuito de divulgar a sua autobiografia Aretha: From These Roots (1998), Franklin apresentou algumas de suas canções mais famosas, incluindo "Respect" e "Think".[8] Em 2001, o canal VH1 concedeu à artista um especial em homenagem ao seu impacto na música, durante a atração VH1 Divas Live.[9] No espetáculo, localizado no Radio City Music Hall, Franklin interpretou "Think" acompanhada por um grupo de backing vocals.[10]

Versões coverEditar

Em 1994, como uma das integrantes do programa infantil The Mickey Mouse Club, Christina Aguilera fez uma apresentação de "Think" ao final do programa.[11] Em 2018, a artista voltou a interpretar a faixa durante um quadro do programa The Tonight Show Starring Jimmy Fallon e a incluiu no repertório de seu concerto, a The Liberation Tour.[12] Para compor seu terceiro álbum de estúdio, How Sweet It Is (2002), Joan Osborne gravou uma versão rock de "Think".[13] Durante sua participação no reality-show American Idol (2005), a competidora Katharine McPhee apresentou o tema em sua terceira semana no programa.[14] Em 13 de fevereiro de 2011, durante um tributo à Aretha Franklin na abertura da 53ª cerimônia do Grammy Awards, Florence Welch apresentou sua própria versão do tema.[15]

Desempenho comercialEditar

Histórico de lançamentoEditar

País Data Formato(s) Gravadora Ref.
  Estados Unidos 2 de maio de 1968 7" Atlantic Records [29]
  Reino Unido 1 de janeiro de 2007 Download digital [30]

Referências

  1. «Aretha Franklin's Best Songs» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  2. a b «The 50 Greatest Aretha Franklin Songs» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  3. «Aretha Franklin's 10 Greatest Songs» (em inglês). The Independent. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  4. «Aretha Franklin: The 10 defining songs from her 60-year career» (em inglês). USA Today. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  5. «How Aretha Franklin Earned Her Crown As the Queen of Soul» (em inglês). Pitchfork. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  6. a b «The 200 Best Songs of the 1960s» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  7. «Think - Aretha Fraklin - Song Review» (em inglês). AllMusic. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  8. «Aretha Franklin: PBS, Oprah Winfrey honor Queen of Soul» (em inglês). Orlando Sentinel. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  9. «'Divas' To Honor Aretha» (em inglês). Billboard. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  10. «POP REVIEW; Bringing Diversity to a Tribute to Aretha Franklin» (em inglês). The New York Times. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  11. «Who was in the Mickey Mouse Club? From Ryan Gosling and Britney Spears to Christina Aguilera and Justin Timberlake» (em inglês). The Sun. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  12. «Xtina Sings Aretha Franklin's "Think" in Disguise On a Subway Platform» (em inglês). Out. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  13. «Joan Osborne - How Sweet It Is» (em inglês). Exclaim!. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  14. Seidman 2008, p. 23
  15. «Aretha Franklin 'enjoyed Grammy tribute'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  16. «Offizielle Deutsche Charts» (em alemão). GfK Entertainment Charts. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  17. «Ultratop Belgian Charts» (em francês). Ultratop 50. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  18. «The RPM 100» (em inglês). Biblioteca e Arquivos do Canadá. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  19. «Aretha Franklin - Chart History - Hot 100» (em inglês). Billboard. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  20. «Aretha Franklin - Chart History - Hot R&B/Hip-Hop Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  21. «Le Top 100 Singles» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  22. «Italia Hit Parade» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  23. «Dutch Single Top 100» (em neerlandês). MegaCharts. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  24. «Official Singles Chart Top 100» (em inglês). Official Charts Company. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  25. «Die Offizielle Schweizer Hitparade und Music Community» (em alemão). Schweizer Hitparade. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  26. «Top Singles of 1968» (em inglês). Biblioteca e Arquivos do Canadá. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  27. «Top 100-Jaaroverzicht van 1968» (em inglês). MegaCharts. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  28. «Gold & Platinum» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  29. «Relive 7 iconic Aretha Franklin performances, from Obama's inauguration to 'Blues Brothers'» (em inglês). The Washington Post. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  30. «Think (Single Version) by Aretha Franklin on Amazon Music» (em inglês). Amazon. Consultado em 27 de dezembro de 2018 

BibliografiasEditar

  • Seidman, David (2008), Katharine McPhee: Who's Your Idol?, ISBN 9781404213739, The Rosen Publishing Group 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um single é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.