Thomas Christiansen

futebolista espanhol

Thomas Christiansen Tarín (Hadsund, 11 de março de 1973) é um ex-futebolista e treinador de futebol hispano-dinamarquês que atuou como atacante. Atualmente comanda a seleção do Panamá.

Thomas Christiansen
Informações pessoais
Nome completo Thomas Christiansen Tarín[1]
Data de nasc. 11 de março de 1973 (49 anos)[1]
Local de nasc. Hadsund, Dinamarca
Nacionalidade espanhol / dinamarquês
Altura 1,80 m
Informações profissionais
Clube atual Panamá
Posição Treinador (Ex-atacante)
Clubes de juventude
1982–1988
1988
1989–1991
1991
Avedøre IF
Brøndby
Hvidovre
B.93
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1991–1996
1993–1996
1993
1993–1994
1994–1995
1996–1997
1997–1999
1999
2000
2000
2001–2003
2003–2006
Barcelona B
Barcelona
Sporting Gijón (emp.)
Osasuna (emp.)
Racing Santander (emp.)
Real Oviedo
Villarreal
Terrassa
Panionios
Herfølge
Bochum
Hannover 96
60 (28)
0 (0)
10 (4)
14 (1)
15 (1)
50 (5)
41 (6)
17 (5)
12 (3)
4 (2)
76 (38)
55 (12)
Seleção nacional
1992–1995
1993
Espanha Sub-21
Espanha
11 (3)
2 (1)
Times/clubes que treinou
2013
2014–2016
2016–2017
2017–2018
2019–2020
2020–
Al-Jazira (auxiliar-técnico)
AEK Larnaca
APOEL
Leeds United
Union Saint-Gilloise
Panamá

CarreiraEditar

Nascido em Hadsund, Christiansen (filho de uma espanhola) foi criado em Copenhague[2][3][4] e deu seus primeiros passos no futebol aos 9 anos, no Avedøre IF. Passou ainda por Brøndby e Hvidovre. Ele chegou a treinar com os juniores do Real Madrid, mas foi impedido por sua mãe de assinar com os Merengues e voltou à Dinamarca para jogar na base do B.93[2], onde permaneceria até 1991, regressando à Espanha novamente para treinar, desta vez no Barcelona[5].

Em julho do mesmo ano, assinou com os Blaugranas por 4 anos, realizando o sonho de jogar com seu ídolo Michael Laudrup[6], porém a concorrência na posição relegou Christiansen ao time B, atuando em apenas 2 partidas pela equipe principal do Barcelona (um pela Copa del Rey e outra pela Supercopa Europeia de 1992). Sem espaço, foi emprestado para Sporting Gijón, Osasuna, Racing Santander, antes de ser reintegrado ao Barça em 1995. Segundo as regras de La Liga, o Barcelona teria que pagar uma compensação financeira ao atacante se ele recusasse alguma proposta de contrato.

Ele chegou a ser vendido ao Manchester City em outubro, mas preferiu seguir na Espanha e acertou sua transferência ao Real Oviedo em janeiro de 1996[7]. Em 1997, foi para o Villarreal, ajudando o Submarino Amarelo a garantir o acesso à divisão principal, embora tivesse feito apenas um gol na campanha que terminou com o rebaixamento à segunda divisão em 1999. Teve ainda passagens curtas por Terrassa[8], Panionios (Grécia) e Herfølge até 2000.

O atacante encerraria sua carreira no futebol da Alemanha, onde passou por Bochum e Hannover 96[9]. O destaque foi na temporada 2002–03, quando terminou como artilheiro da Bundesliga com 21 gols, empatado com o brasileiro Élber, do Bayern de Munique[10]

Carreira internacionalEditar

Selecionável para representar as seleções de Espanha e Dinamarca (onde chegou a defender nas equipes de base), Christiansen atuou pela Fúria na Eurocopa Sub-21 de 1994, chegando à semifinal.

Antes, em janeiro de 1993, o técnico Javier Clemente surpreendeu ao convocar o atacante, então com 19 anos, para um amistoso da seleção contra o México[11]. A escolha gerou polêmica, pois Christiansen era praticamente um desconhecido no futebol nacional. Ele tornou-se o primeiro atleta a ser convocado representando o Barcelona B e um dos poucos que disputavam a segunda divisão espanhola a jogarem pela seleção principal da Espanha. A convocação do jogador foi um pedido de Clemente e da Real Federação Espanhola de Futebol, que viam um grande potencial nele, evitando que a Dinamarca o convocasse.

Ele ainda disputaria um jogo pelas eliminatórias da Copa de 1994 contra a Lituânia[12], porém Clemente não levou o atacante para a competição.

Carreira de técnicoEditar

De volta ao futebol, Christiansen trabalhou como auxiliar-técnico de Luis Milla no Al-Jazira (Emirados Árabes Unidos) em 2013. Sua estreia como treinador foi no Chipre, exercendo o cargo no AEK Larnaca por 2 temporadas[13]. Passou também pelo APOEL, sagrando-se campeão nacional em 2016–17[14][15].

Treinou ainda Leeds United[16] e Union Saint-Gilloise[17] até 2020[18], quando foi anunciado como novo técnico da seleção do Panamá, substituindo o argentino Américo Gallego[19][20], tendo comandado os Canaleros na Copa Ouro da CONCACAF de 2021.

TítulosEditar

Como jogadorEditar

Barcelona

Como treinadorEditar

APOEL

IndividuaisEditar

LinksEditar

Referências

  1. a b «Christiansen: Thomas Christiansen Tarín». BDFutbol. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  2. a b Uno, Steen (4 de julho de 1991). «Cruyffs nye stjerneskud Thomas fra Hvidovre». BT (em dinamarquês) 
  3. «Football: Top to Bochum; Dane from Spain Thomas gives new boys dream start». The Free Library. 26 de agosto de 2002. Consultado em 31 de julho de 2014 
  4. «AEK Larnaca make sixth signing». Parikiaki. 18 de junho de 2014. Consultado em 31 de julho de 2014 
  5. Kristensen, Jens-Carl (30 de junho de 1991). «Pingel bliver den næste». Berlingske (em dinamarquês) 
  6. «Drømmen er at spille med Laudrup» [Dream of playing with Laudrup]. Ekstra Bladet (em dinamarquês). 31 de julho de 1991 
  7. Pihl, Jørgen (7 de janeiro de 1996). «Oviedo scorer mål- sluger». BT (em dinamarquês) 
  8. «En stjerne i mørket» [A star in the dark] (em dinamarquês). Aktuelt. 30 de outubro de 1999 
  9. «Hannover 96: Christiansen ersetzt Bobic» [Hannover 96: Christiansen replaces Bobic]. Frankfurter Allgemeine Zeitung (em alemão). 6 de junho de 2003. Consultado em 3 de junho de 2020 
  10. a b «Aubameyang ist Torschützenkönig 2017» [Aubameyang is 2017 top scorer] (em alemão). Spox. 20 de maio de 2017. Consultado em 22 de junho de 2017 
  11. Román, Rogelio (28 de janeiro de 1993). «Más joven, pero igual de gris» [Younger, but just as grey]. Mundo Deportivo (em espanhol). Consultado em 20 December 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  12. Sanchís, Alberto (25 de fevereiro de 1993). «La selección repite otro 5–0 en Sevilla» [The national team repeat another 5–0 in Seville]. Mundo Deportivo (em espanhol). Consultado em 20 de dezembro de 2014 
  13. «Συμβόλαιο συνεργασίας με Thomas Christiansen» [Cooperation contract with Thomas Christiansen] (em grego). AEK Larnaca. 30 de abril de 2014. Consultado em 1 de maio de 2014 [ligação inativa]
  14. Constantinou, Iacovos (13 de maio de 2017). «Apoel seal title after win over arch-rivals Omonia». Cyprus Mail. Consultado em 15 de junho de 2017 
  15. «Thomas Christiansen: New Leeds United head coach's managerial career in focus». Yorkshire Evening Post. 15 de junho de 2017. Consultado em 15 de junho de 2017 
  16. «Thomas Christiansen: Leeds United name ex-Spain international as head coach». BBC Sport. 15 de junho de 2017. Consultado em 15 de junho de 2017 
  17. «Thomas Christiansen is de nieuwe trainer van Union Sint-Gillis: "Blij dat we iemand met zo'n cv konden aanwerven"». Het Nieuwsblad (em neerlandês). 1 de julho de 2019. Consultado em 1 de julho de 2019 
  18. «Thomas Christiansen: Fin de la collaboration.» (em francês). Royale Union Saint-Gilloise. Maio de 2020. Consultado em 23 de maio de 2020 
  19. Archs, Jordi (23 de julho de 2020). «Thomas Christiansen, nuevo seleccionador de Panamá». Mundo Deportivo (em espanhol). Consultado em 31 de julho de 2020 
  20. «Ex-Spain forward Christiansen takes charge of Panama». Qatar News. 24 de julho de 2020. Consultado em 31 de julho de 2020