Abrir menu principal

Wikipédia β

Unidade de Treino Operacional N.º 4 da RAAF

A Unidade de Treino Operacional N.º 4 foi uma unidade de conversão operacional da Real Força Aérea Australiana (RAAF) durante a Segunda Guerra Mundial. Formada em Outubro de 1942 em Williamtown, Nova Gales do Sul, foi criada para treinar pilotos e atiradores aéreos para prestarem serviço nos bombardeiros de mergulho Vultee Vengeance. A unidade foi equipada com aviões Vengeance e CAC Wirraway. Acidentes e incidentes aéreos eram comuns neste tipo de escolas, tendo esta unidade sofrido vários acidentes fatais durante a sua existência. Em Abril de 1944 a unidade foi dissolvida, entregando a base de Williamtown para a Unidade de Treino Operacional N.º 5.

Unidade de Treino Operacional N.º 4
Vultee Vengeance RAAF WWII AWM P00448.191.jpg
Um bombardeiro de mergulho Vultee Vengeance em Williamtown, por volta de 1943
País Austrália
Corporação Real Força Aérea Australiana
Missão Treino operacional
Período de atividade 1942 – 1944
História
Guerras/batalhas Segunda Guerra Mundial

HistóriaEditar

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Real Força Aérea Australiana (RAAF) estabeleceu oito unidades de treino operacional para converter as tripulações recém-graduadas de aviões de treino para aviões de combate, além de também providenciar treino e instrução de novas técnicas àqueles que já era tripulantes.[1][2] A Unidade de Treino Operacional N.º 4 foi formada no dia 1 de Outubro de 1942 em Williamtown, Nova Gales do Sul, para converter tripulações para o bombardeiro de mergulho Vultee Vengeance, um avião que a RAAF tinha encomendado 400 unidades (eventualmente, apenas 344 foram entregues).[3][4] O comandante inaugural da Unidade de Treino Operacional N.º 4 foi o Wing Commander E. G. Fyfe. Os primeiros pilotos e atiradores para serem instruídos chegaram do Esquadrão N.º 12 no dia 28 de Outubro de 1942, e passaram pelo curso de conversão para o Vengeance até ao dia 25 de Novembro. No final do mês, a Unidade de Treino Operacional N.º 4 tinha uma frota de sete aviões Vengeance. Estes foram reforçados em Janeiro de 1943 pelo primeiro CAC Wirraway da unidade, avião este que começou a ser pilotado pelos alunos antes de passarem para o Vengeance.[3]

 
Uma formação de aviões CAC Wirraway da RAAF em pleno voo

As unidades de treino operacional, ao fazer uso dos mesmos aviões usados na guerra (que eram mais avançados e poderosos que os aviões de treino), e ensinando técnicas de combate aéreo que frequentemente envolviam um grande risco, sofriam geralmente uma maior taxa de acidentes que as outras escolas de treino de voo.[5][6] No dia 3 de Março de 1943, um Wirraway da Unidade de Treino Operacional N.º 4 despenhou-se perto de Williamtown, ceifando a vida dos dois tripulantes.[3] Dois outros também faleceram quando o seu Vengeance despenhou-se e ardeu perto de Goulburn, durante um exercício de voo de longa distância no dia 4 de Agosto.[3][7] A 16 de Agosto ocorreu outro acidente envolvendo um Vengeance, que voou contra um conjunto de árvores depois de o piloto ter puxado para cima a aeronave demasiado tarde, aquando de um mergulho, acabando por destruir a aeronave e provocando mais duas baixas.[8] A 14 de Setembro, os dois tripulantes de um Vengeance faleceram quando a sua aeronave explodiu durante um exercício de bombardeamento de mergulho.[3][9] No mês seguinte, no dia 5 de Outubro, um Vengeance realizava mais um exercício de bombardeamento de mergulho perto de Braidwood e despenhou-se no mar; ambos os tripulantes foram dados como desaparecidos e, eventualmente, mortos.[10] A Unidade de Treino Operacional N.º 4 sofreu mais duas baixas quando um Vengeance foi contra um monte, a meio de um voo de longa distância no dia 26 de Novembro de 1943.[11] A 7 de Abril de 1944, outro Vengeance embateu contra a água e explodiu na baía de Nelson depois de não conseguir recuperar de um mergulho, ceifando a vida dos dois tripulantes.[12]

No dia 1 de Dezembro, o Líder de Esquadrão R. E. Bell tomou o comando da Unidade de Treino Operacional N.º 4 por um breve período, entregando o comando ao Tenente de Voo R. Tuel-Wilkinson no dia 27 de Abril de 1944.[3] Entretanto os Vengeance foram retirados das operações do teatro do Sudoeste do Pacífico, tendo voado a sua última missão no dia 8 de Março.[13] A Unidade de Treino Operacional N.º 4 foi dissolvida no dia 30 de Abril; um pequeno destacamento permaneceu activo em Williamtown para fazer a entrega da base aérea para uma equipa da Unidade de Treino Operacional N.º 5 no dia seguinte.[3][14] O resto da Unidade de Treino Operacional N.º 5 foi transferida de Tocumwal para Williamtown durante o mês de Julho.[3] Quando a Unidade de Treino Operacional N.º 4 foi dissolvida, os aviões Vengeance da unidade tinham realizado um total de 7593 horas de voo e os Wirraway um total de 7646 horas.[14]

Referências

  1. Stephens, The Royal Australian Air Force, p. 71
  2. Stephens, Going Solo, pp. 167–168, 364
  3. a b c d e f g h RAAF Historical Section, Training Units, p. 70
  4. Johnston, Whispering Death, p. 344
  5. Johnston, Whispering Death, p. 30
  6. Mordike, The Home Front, p. 38
  7. Royal Australian Air Force (1943–44). «Vengeance A27 [Accidents Part 2]». National Archives of Australia. pp. 4–7. Consultado em 27 de julho de 2017 
  8. Royal Australian Air Force (1943–44). «Vengeance A27 [Accidents Part 2]». National Archives of Australia. pp. 62–65. Consultado em 27 de julho de 2017 
  9. Royal Australian Air Force (1943–44). «Vengeance A27 [Accidents Part 2]». National Archives of Australia. pp. 9–12. Consultado em 27 de julho de 2017 
  10. Royal Australian Air Force (1942–44). «Vengeance A27 [Accidents Part 1]». National Archives of Australia. pp. 67–71. Consultado em 27 de julho de 2017 
  11. Royal Australian Air Force (1943–44). «Vengeance A27 [Accidents Part 3]». National Archives of Australia. pp. 53–56. Consultado em 27 de julho de 2017 
  12. Royal Australian Air Force (1943–44). «Vengeance A27 [ Part 3]». National Archives of Australia. pp. 34–37. Consultado em 27 de julho de 2017 
  13. Odgers, Air War Against Japan, pp. 196–198
  14. a b «Williamtown units during WWII». Royal Australian Air Force. Cópia arquivada em 8 de julho de 2007 

BibliografiaEditar