Abrir menu principal

Usina Hidrelétrica de Água Vermelha

Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra nº 6 da eliminação rápida.
Usina Hidrelétrica de
Água Vermelha
(José Ermirio de Moraes)
Localização
Localização Iturama / MG
Bacia hidrográfica Bacia do rio da Prata
Rio Grande
Coordenadas 19°51'30"S, 50°20'35"W
Dados gerais
Proprietário AES Tietê
Período de construção 1973-1979
Data de inauguração 1974
Características
Tipo barragem de aterro
Altura 67 m
Reservatório
Área alagada 647 km²
Capacidade de geração 1.396.200 MW

A Usina Hidrelétrica de Água Vermelha (José Ermirio de Moraes) está localizada nos municípios de Ouroeste e Iturama.

CaracterísticasEditar

Teve sua construção iniciada em 1973, sendo concluída em 1979, com potência instalada de 1.396,200 MW, a partir de um desnível máximo de 57m[1]. Está localizada no rio Grande, a 80 km da confluência com o rio Paranaíba, tem sua produção de energia destinada a região que mais consome energia elétrica em todo o país, a região Sudeste.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) o lago da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha é capaz de armazenar 2,22% do volume represável pelos reservatórios do Sistema Sudeste/Centro Oeste, o que representa 8,62% do armazenamento de água do sub-sistema do Rio Grande[2].

A transmissão até o anel energético da Grande São Paulo é feita através das seguintes subestações: Araraquara, São Carlos, Ribeirão Preto e Santa Bárbara d´Oeste.

O local onde foi construída a usina denominava-se Cachoeira dos Índios e era formada por várias quedas com nomes curiosos tais como: "Tombo das Andorinhas", "Caldeirão do Inferno", "Tombo dos Dourados", "Tombo das Três Pedras", Tombo da Fumaça" e "Véu de Noivas".

À montante desta cachoeira há vários afluentes contribuíram para aumentar o volume de água do rio Grande, entre eles o córrego "Água Vermelha" e, em função do deságüe deste afluente ser água barrenta (terra vermelha), proveniente de erosões, surgiu o nome "Água Vermelha".

As obras da usina foram iniciadas em 1973 e foram marcadas pelo emprego de avançadas técnicas de engenharia, como o concreto refrigerado. O primeiro grupo entrou em operação em agosto de 1978.

Ficha técnicaEditar

Início da Operação: 22/08/1978 Extensão da Barragem: 3.940 metros

Reservatório

Área: 647 km² Cota Máxima Útil: 383,30 metros Cota Mínima Útil: 373,30 metros Cota de desapropriação: 384,00 metros A faixa de APP se inicia, conforme a Lei 4771 e Conama 302, na cota máxima útil e se estende por 100 metros nas áreas rurais.

Volume Útil de Água Acumulado: 11 bilhões de m³

Vertedouro

Número de Comportas: 8 Altura da Queda d´Água: 2.481 m³/s

Capacidade Instalada

Número de turbinas: 6 Tipo: Francis Potência por Unidade: 232,700 MW Queda útil nominal: 57,0 m

Subestação Elevadora

Número de Circuitos: 3 Tensão Nominal: 440 kV

Localização | Distâncias

Município

Usina/Água Vermelha : (Município Sede): 22 km Município Sede/Iturama: 22 km

Endereço: Rod. Percy Waldir Semeghini, km 66

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Água Vermelha». www.aestiete.com.br. Consultado em 23 de junho de 2014. Arquivado do original em 9 de novembro de 2014 , acesso em 26 de junho de 2014.
  2. «Situação dos Principais Reservatórios do Brasil». www.ons.org.br. Consultado em 23 de junho de 2014. Arquivado do original em 26 de abril de 2015 , acesso em 23 de junho de 2014.
  Este artigo sobre engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.