Vítor Manuel de Aguiar e Silva

(Redirecionado de Vítor Aguiar e Silva)

Vítor Manuel Pires de Aguiar e Silva (Real, 15 de setembro de 1939[1]) é um professor, escritor e poeta português. Natural da freguesia de Real, concelho de Penalva do Castelo, iniciou os estudos no Liceu Nacional de Viseu. Já na Universidade de Coimbra, concluiu o curso de Letras, licenciando-se em Filologia Românica. Após obter o seu doutoramento em Literatura Portuguesa, assumiu a carreira de professor na Faculdade de Letras da mesma universidade em 1979, sendo transferido para a Universidade do Minho em 1989, onde ocupou o cargo de vice-reitor durante 12 anos.[1][2]

Vítor Manuel de Aguiar e Silva
Nome completo Vítor Manuel Pires de Aguiar e Silva
Nascimento 15 de setembro de 1939 (81 anos)
Real
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Professor, escritor e poeta
Principais trabalhos Competência linguística e competência literária (1977)
Prémios Prémio Vida Literária (2007)

Prémio Vasco Graça Moura – Cidadania Cultural (2018)
Prémio Camões (2020)

Participou na proposta de criação do Instituto Camões, como coordenador do grupo de trabalho. Também coordenou a Comissão Nacional de Língua Portuguesa (CNALP), tendo ainda sido membro do Conselho Nacional de Cultura.[2]

É um dos eminentes professores signatários da Petição em Defesa da Língua Portuguesa Contra o Acordo Ortográfico, que desde 2 de maio de 2008 recolheu mais de 128 000 assinaturas.

Em 2020 foi distinguido com o Prémio Camões[3].

Prémios e distinçõesEditar

ObrasEditar

  • Para uma interpretação do classicismo (1962);
  • O teatro de actualidade no romantismo português: 1849-1875 (1965);
  • Teoria da literatura (1967);
  • Notas sobre o cânone da lírica camoniana (1968);
  • Maneirismo e barroco na poesia lírica portuguesa (1971);
  • O significado do episódio da Ilha dos Amores na estrutura de Os Lusíadas (1972);
  • A oposição democrática e sua ideologia totalitária: discurso proferido na sessão de esclarecimento dos eleitores e apresentação dos candidatos a deputados pela A.N.P., que teve lugar na Figueira da Foz, em 16 de Outubro de 1973 (1973);
  • Reforma do sistema educativo (1973);
  • A estrutura do romance (1974);
  • Competência linguística e competência literária: sobre a possibilidade de uma poética gerativa (1977);
  • Crítica de Livros: teoria literária (1977);
  • Fialho de Almeida e o problema sociocultural do francesismo (1983);
  • Teoria e metodologia literárias (1990);
  • Imaginação e pensamentos utópicos no episódio da "Ilha dos Amores" (1988);
  • Maria Alice Nobre Gouveia: 1927-1988 (1991);
  • Camões: labirintos e fascínios (1994);
  • A lira dourada e a tuba canora : novos ensaios camonianos (2008);
  • Jorge de Sena e Camões: trinta anos de amor e melancolia (2009);
  • As humanidades, os estudos culturais, o ensino da literatura e a política da língua portuguesa (2010);
  • Dicionário de Luís de Camões (2011).

Referências

  1. a b «Vítor Aguiar e Silva homenageado em Penalva e Viseu». RTP. 10 de novembro de 2006. Consultado em 28 de maio de 2008. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. a b c «Ilustre Penalvense Professor Doutor Vítor Manuel Aguiar e Silva galardoado com prémio "Vida Literária" da Associação Portuguesa de Escritores». Câmara Municipal de Penalva do Castelo. Consultado em 28 de maio de 2008 
  3. Castelo (27 de outubro de 2020). «Vítor Aguiar e Silva, o Prémio Camões que não adota o novo acordo». Observador 
  4. «Entidades Nacionais Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Vitor Manuel de Aguiar e Silva". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 12 de julho de 2020