Vhils

pintor português, graffiter, arte urbana

Alexandre Manuel Dias Farto CvSE (Vhils, como é conhecido na cultura graffiti) (Lisboa, 1987) é um pintor e grafiteiro português, conhecido pelos seus "Rostos" esculpidos em paredes.

Vhils
Nascimento 1987 (34 anos)
Seixal
Cidadania Portugal
Ocupação muralista
Prêmios
  • Cavaleiro da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada
Página oficial
http://www.vhils.com
Assinatura
VHiLS'sig.jpg

CarreiraEditar

Nasceu em Lisboa em 1987. Terminou os seus estudos em 2008 na University of the Arts em Londres. Iniciou-se em pintura em 1998 com apenas onze anos. Pintava muros de ruas e comboios da margem sul do rio Tejo.[1][2]

Como artista urbano, mais recentemente, sendo as suas obras, o fruto do seu ideário e o mundo que o envolve. Este artista de Lisboa, a partir das suas raízes do graffiti/street art tem vindo a explorar novos caminhos dentro da ilustração, animação e design gráfico, misturando o estilo vectorial com o desenho à mão livre, aliado a formas contrastadas e sujas, que nos remetem para momentos épicos.

A destacar também a abertura recente da sua exibição de interior/ar livre, "building 3 steps", com Miguel Maurício. [3]

Em 2009, ficou conhecido quando uma das caras esculpidas por ele apareceu ao lado de um graffiti de Bansky no Cans Festival em Londres. [4][5]

Em 2011, desenvolveu uma técnica usando explosivos, grafite, restos de cartazes e até retratos feitos com metal enferrujado para criar retratos e frases. [6][4]

Existem trabalhos seus espalhados por vários locais do mundo como as cidades portuguesas de Lisboa, Porto e Aveiro, além de capitais como Londres, Moscovo, Bogotá, e cidades como Medellín, Cali (na Colômbia), Nova York, Los Angeles, Grottaglie (sul da Itália)."[7]

Em 2012, recriou uma guitarra portuguesa para a colecção Tudo isto é... autores da Malabar. [8]

ReconhecimentoEditar

2012 - Foi orador no TEDxAveiro [9]

2015 - foi feito Cavaleiro da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[10]

2015 - Foi premiado pelo movimento I Support Street Art [11][12]

GaleriaEditar

ExposiçõesEditar

Individuais

  • 2020 - Momentum, Magda Danysz Gallery, Paris [13]
  • 2020 - Haze, Contemporary Arts Center, Cincinnati [14]
  • 2019 - Realm, Danysz gallery, Xangai [15]
  • 2019 - Incisão, CAIXA Cultural Brasília [16]
  • 2018 - Fragments Urbains, Le Centquatre-Paris, Paris
  • 2018 - Décombres, Danysz Gallery, Paris, France
  • 2018 - Annihillation, Over the In fluence Gallery, Los Angeles [17]
  • 2018 - Intrínseco, Vera Cortês Gallery, Lisboa
  • 2017 - Vhils X CAFA Museum, Pequim [18]
  • 2015 - Dissonance, Lazarides, Londres [19]
  • 2014 - Vestiges, Magda Danysz Gallery, Paris [20]
  • 2012 - Entropy, Magda Danysz Gallery, Paris [21]
  • 2012 - Alexandre Farto aka Vhils: Intrínseco , Galeria Vera Cortes, Lisboa [22]
  • 2012 - Visceral, Magda Danysz Gallery, Xangai [23]
  • 2009 - Scratching the surface, Lazarides, Londres
  • 2008 - Even if you win the rat race


Colectivas

2009 - Terroir/Graffiti [24]

2010 - Carris Arte em Movimento [25]

Referências

  1. http://sites.google.com/site/terroirgraffiti/writers-de-renome/alexandre-farto
  2. Público online [1] (pág. visitada em 30 de Março, 2011)
  3. «Wooster Collective: One To Watch - Alexandre Farto (aka Vhils)». Wooster Collective. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  4. a b «Explosive art off with a bang». www.dailytelegraph.com.au (em inglês). 15 de março de 2011. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  5. Alves, Laurinda. «Alexandre Farto, aka Vhils: "Banksy apoiou-me bastante"». Observador. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  6. «Alexandre Farto». formasemeios.blogs.sapo.pt. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  7. BBC Brasil, 11 de Março 2011 BBC
  8. «Tudo Isto É: design irreverente na guitarra portuguesa». Publico - P3. 22 de junho de 2012. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  9. «Alexandre Farto AKA Vhils at TEDxAveiro». Google Arts & Culture. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  10. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Alexandre Farto". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  11. «SIC Notícias | Murais de Odeith, EIME, Bordalo II e Vhils estão entre os melhores do mundo». SIC Notícias. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  12. «Quatro murais portugueses entre os melhores do mundo (em imagens)». TSF Rádio Notícias. 6 de janeiro de 2015. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  13. «Momentum, Vhils». Danysz gallery (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  14. «Vhils - Contemporary Arts Center». www.contemporaryartscenter.org. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  15. «Realm by Vhils at Magda Danysz Gallery | Shanghai - Artland». www.artland.com (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  16. Lusa, Agência. «Vhils expõe 54 portas com 18 retratos de índios em Brasília». Observador. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  17. «OTI Opens New Flagship Gallery in Los Angeles». Over the Influence. 6 de fevereiro de 2018. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  18. «Imprint: Works by Alexandre Farto aka Vhils CAFA Art Museum». www.cafamuseum.org. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  19. «Alexandre Farto aka Vhils | Dissonance». Lazinc (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  20. «VHILS - VESTIGES». magdagallery.com (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  21. «Juxtapoz Magazine - "Entropy" @ Magda Danysz Gallery». www.juxtapoz.com (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  22. «Alexandre Farto aka Vhils Intrínseco» (PDF). GALERIA VERA CORTÊS. 2018. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  23. «Vhils». Danysz gallery (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2020 
  24. «Alexandre Farto - Terroir Graffiti». sites.google.com. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  25. Público. «Carris Arte em Movimento - Alexandre Farto». Guia do Lazer. Consultado em 18 de setembro de 2020 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Vhils