Abrir menu principal
Viaduto Vila Rica
Viaduto das Almas
Antigo viaduto Vila Rica
Nome oficial Viaduto Vila Rica
Outro nome Viaduto das Almas
Arquitetura e construção
Material Concreto armado
Data de abertura 1957
Data de inauguração 1957
Data de encerramento 2010
Dimensões
Comprimento total 262 m
Largura 8 5 m
Altura máxima 30 m
Pedágio Não
Geografia
Via BR-040
País Brasil
Coordenadas 20° 22' 57.4" S 43° 54' 03.5" O

Viaduto das Almas, oficialmente conhecido como Viaduto Vila Rica, é um antigo viaduto da BR-040 que atravessa o Córrego das Almas no limite dos municípios de Itabirito e Ouro Preto, no estado de Minas Gerais.[1]

HistóriaEditar

O Viaduto das Almas localiza-se no km 592 da BR-040, a cerca de 60 km do centro de Belo Horizonte. Inaugurado pelo presidente Juscelino Kubitschek em 1957, fazia parte da então BR-3, rodovia que ligava o Rio de Janeiro até a capital mineira. [2]

A estrutura, em curva acentuada, possui 262 metros de extensão, por 8,5 de largura, sendo em mão dupla. A BR-040, que possui duas faixas por sentido no trecho (sistema multifaixas), estreita-se para entrar no viaduto.[3]

No local ocorreram vários acidentes desde sua inauguração, com destaque para os ocorridos em 2 de agosto de 1969, com trinta mortos em 13 de setembro de 1967, com 14, incluindo a apresentadora Zélia Marinho, da extinta TV Itacolomi.[4]

DesativaçãoEditar

Rebatizado como Viaduto Vila Rica em 1970, desde o início dos anos 1980 já se cogitava a substituição do viaduto por outro mais moderno, cuja obra foi iniciada em 2006.[5]

Em 26 de outubro de 2010 foi inaugurado o Viaduto Márcio Rocha Martins construído a dois quilômetros da antiga e perigosa passagem, no km 592 da BR-040, em Itabirito, a 50 quilômetros de Belo Horizonte. O novo viaduto possui 460 metros de extensão por 21 metros de largura, com duas pistas em cada sentido. A inauguração desse novo viaduto aposentou o Vila-Rica após 54 anos de uso e pelo menos 200 mortes.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Lobato, Pedro Henrique (30 de outubro de 2010). «Fim do pesadelo na BR-040 com a desativação do Viaduto das Almas». Consultado em 4 de Janeiro de 2017 
  2. Lobato, Pedro Henrique (30 de outubro de 2010). «Fim do pesadelo na BR-040 com a desativação do Viaduto das Almas». Consultado em 4 de Janeiro de 2017 
  3. Viana, Arnaldo (03 de setembro de 2012). «Viaduto das Almas está entregue ao esquecimento e ao silêncio de sua trágica história». Estado de Minas. Consultado em 4 de Janeiro de 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Lobato, Paulo Henrique (20 de agosto de 2015). «Marcado por tragédias, Viaduto das Almas agora é usado para treinar socorristas». Estado de Minas. Consultado em 4 de Janeiro de 2017 
  5. Rocha Franco, Pedro (28 de julho de 2010). «Obra para substituir o perigoso Viaduto das Almas só fica pronta em 2011». Estado de Minas. Consultado em 4 de Janeiro de 2017 
  6. Lobato, Paulo Henrique (26 de outubro de 2010). «Viaduto das Almas é desativado depois de 200 mortes em 53 anos». Estado de Minas. Consultado em 4 de Janeiro de 2017