Vicente Emílio Vuolo

político brasileiro

Vicente Emílio Vuolo (Cuiabá, 3 de outubro de 1929Brasília, 20 de maio de 2001) foi um delegado de polícia, promotor de justiça, procurador da República e político brasileiro que representou o estado de Mato Grosso no Congresso Nacional.[1][2][3]

Vicente Vuolo
Vicente Vuolo
Deputado estadual por Mato Grosso
Período 1959-1963
1967-1975
Prefeito de Cuiabá
Período 1963-1966
Antecessor(a) Aecim Tocantins
Sucessor(a) Frederico Campos
Deputado federal por Mato Grosso
Período 1975-1979
Senador por Mato Grosso
Período 1979-1983
Antecessor(a) Mendes Canale
Sucessor(a) Roberto Campos
Dados pessoais
Nascimento 3 de outubro de 1929
Cuiabá, MT
Morte 20 de maio de 2001 (71 anos)
Brasília, DF
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro
Cônjuge Leyde Vuolo
Partido PSD, ARENA, PDS, PMDB
Profissão delegado de polícia, promotor de justiça, procurador da República

Dados biográficosEditar

Filho de Francisco Palmieri Vuolo e Adalgisa Rosa Vuolo. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, atuou em Mato Grosso como delegado de polícia, promotor de justiça em Cuiabá, procurador da República e procurador regional eleitoral. Em 1958 foi eleito deputado estadual pelo PSD e em 1962 prefeito de Cuiabá. Deposto João Goulart e instituído o bipartidarismo, Vicente Vuolo ingressou na ARENA e foi reeleito deputado estadual em 1966 e 1970 e deputado federal em 1974.[4][3]

Criado Mato Grosso do Sul em 1977,[5] o senador Mendes Canale passou a representar o novo estado e sua vaga como dignitário de Mato Grosso foi preenchida numa eleição direta para um mandato de quatro anos em 1978 na qual Vicente Vuolo saiu vencedor.[nota 1] Restaurado o pluripartidarismo no governo do presidente João Figueiredo, Vicente Vuolo migrou para o PDS e com o fim do mandato foi para o PMDB. Nos últimos anos de vida enfrentou problemas de saúde devido a um câncer, mas faleceu em virtude de uma pneumonia.[4][3]

Notas

  1. Em 1978 as demais vagas do "estado-matriz" couberam a Benedito Canelas (eleito para um mandato de oito anos) e Gastão Müller (eleito indiretamente). O artigo 35 da Lei Complementar n.º 31 determinou que o senador eleito por Mato Grosso em 1974 passaria a representar o estado onde estivesse a sede de seu domicílio eleitoral, no caso de Mendes Canale a cidade sul-mato-grossense de Miranda.

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Vicente Vuolo». Consultado em 6 de julho de 2019 
  2. «Senado Federal do Brasil: senador Vicente Vuolo». Consultado em 6 de julho de 2019 
  3. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 6 de julho de 2019 
  4. a b «Biografia de Vicente Vuolo no CPDOC/FGV». Consultado em 6 de julho de 2019 
  5. «BRASIL. Presidência da República: Lei Complementar nº 31, 11/10/1977». Consultado em 6 de julho de 2019