Waikiki é um bairro de Honolulu localizado na costa sul da ilha de O'ahu, no estado americano do Havaí.

Vista aérea de Waikiki

O bairro é mais famoso pela Praia de Waikiki, que é uma das seis praias do distrito, além das praias Queen's, Kuhio, Gray's, Fort DeRussy e Kahanamoku. A Praia de Waikiki é quase inteiramente artificial.[1][2]

Além das praias, Waikiki possui locais públicos como o Parque Regional Kapi'olani, a reserva militar Fort DeRussy, a lagoa artificial Kahanamoku, o parque Kuhio Beach e o porto de pequenos barcos e iates Ala Wai.

HistóriaEditar

A área era um refúgio para a realeza havaiana, que gostava de surfar lá, nas primeiras formas do esporte.[3]

Alguns hotéis pequenos abriram nos anos 1880. Em 1893, o empresário greco-americano George Lycurgus alugou a casa de hóspedes de Allen Herbert e a renomeou como Sans Souci ("sem preocupações", em francês), criando um dos primeiros resorts. No mesmo ano, o poeta escocês Robert Louis Stevenson hospedou-se no resort; posteriormente, a ilha se tornou um destino popular para os turistas do continente.[4]

Waikiki tem problemas de erosão desde o final do século XIX, porque hotéis e casas foram construídos muito perto da costa natural, enquanto paredões e outras estruturas bloqueavam o fluxo e refluxo natural da areia ao longo da praia. Em 1950, mais de 80 estruturas, incluindo paredões, quebra-mares, píeres e galerias pluviais ocupavam a costa de Waikiki.[2]

A área ficou repleta de grandes resorts, como o Hilton Hawaiian Village, Halekulani, Sheraton Waikiki e hotéis históricos que datam do início do século XX, como o Moana e o Royal Hawaiian. A praia é sede de inúmeros eventos, incluindo competições de surfe, performances ao ar livre, hula e corridas de canoa polinésia. As várias lojas e hotéis permitem que Waikiki gere aproximadamente 42% da receita turística do Havaí.[5]

No início do século XX, Waikiki possuía várias zona úmidas, abrigo de mosquitos transmissores de doenças. Para acabarem com os insetos, os nativos da ilha criaram o canal Ala Wai. O canal foi criado por uma empresa havaiana de dragagem liderada por Walter F. Dillingham. O projeto levou cerca de sete anos, de 1921 a 1928.[6]

No mesmo período, Duke Kahanamoku tornou-se um surfista conhecido em Waikiki, e após competir nas Olimpíadas, sua influência fez de Waikiki um ponto de encontro do surfe.[7]

GeografiaEditar

O bairro estende-se do canal Ala Wai, no oeste e norte, até o cone vulcânico Diamond Head no leste. A praia de Waikiki é famosa pela vista do Diamond Head, pelo seu clima geralmente quente e sem nuvens, e seu pico de surf.[8][9][10]

O horizonte de Waikiki é repleto de arranha-céus e resorts. Metade da praia é reservada aos surfistas. As águas são rasas até certa distância da costa, com várias rochas no fundo. As ondas podem ser fortes, especialmente em dias com ventania. O surfe da região é conhecido por ser propício para pranchas longas, iniciantes e tandem surfing (prática havaiana de surfe em dupla).[11][12]

PraiasEditar

Em grande parte como resultado do desenvolvimento da costa, Waikiki possui oito praias distintas: Fort DeRussy, Duke Kahanamoku, Halekulani, Royal Hawaiian, Kūhiō, Kapi'olani, Queen's e Kaimana. Desde 1951, aproximadamente 80 mil metros cúbicos de areia foram utilizados para restaurar as praias de Waikiki. Hoje, no entanto, acredita-se que resta muito pouco da areia adicionada artificialmente. O pôr do sol pode ser visto nas praias de setembro a março.

Vias públicasEditar

A via principal de Waikiki é a Avenida Kalākaua, em homenagem ao Rei Kalākaua, que abriga a maioria dos hotéis e lojas de luxo, além de lojas populares entre surfistas como Quiksilver, Billabong e Volcom. A outra via principal de Waikiki, Avenida Kūhiō, em homenagem ao Príncipe Kūhiō, é mais conhecida por seus restaurantes, cafeterias e mercearias, além da sua vida noturna, clubes e prostituição.[13][14]

Problemas das praiasEditar

ErosãoEditar

A praia de Waikiki teve problemas repetidos com a erosão, levando à construção de quebra-mares e projetos de reabastecimento de areia. A areia importada veio da Califórnia, além de locais do Havaí como Moloka‘i e Kahuku.[5]

Qualidade da águaEditar

A praia de Waikiki teve repetidos problemas de contaminação por causa do derramamento do esgoto em 2017.[15][16][17]

EducaçãoEditar

O Departamento de Educação do Estado do Havaí opera escolas públicas convencionais em todo o estado. A Escola Primária Thomas Jefferson está localizada no próprio bairro de Waikiki, enquanto a Escola Primária Waikiki está localizada no bairro vizinho Kapahulo.[18]

O Sistema de Bibliotecas Públicas do Estado do Havaí opera a Biblioteca Pública de Waikiki.[19]

Cidades-irmãsEditar

Cultura popularEditar

A banda de rock britânica The Kinks satirizou o turismo em massa do bairro na música "Holiday in Waikiki", do seu álbum Face to Face, de 1966.

GaleriaEditar

ReferênciasEditar

  1. «History». web.archive.org. 16 de maio de 2010. Consultado em 25 de junho de 2020 
  2. a b Beat, Sophie Cocke Honolulu Civil (9 de março de 2015). «Waikiki Beach Is Totally Man-Made (And Disappearing)». HuffPost (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2020 
  3. «Waikiki Beach | Oahu Hawaii». www.hawaii-guide.com (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2020 
  4. Chapin, Helen G. (1981). «The Queen's "Greek Artillery Fire": Greek Royalists in the Hawaiian Revolution and Counterrevolution». Hawaiian Journal of History. 15. hdl:10524/422 
  5. a b «Our Waikīkī: King Tides, Beach Erosion and Water Pollution—Can Waikīkī Be Saved?». www.honolulumagazine.com (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2020 
  6. Feeser, Andrea; Chan, Gaye (2006). Waikiki: A History of Forgetting and Remembering (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press 
  7. Wright, Katie (2005). «Duke Kahanamoku: Cultural Icon». Consultado em 25 de junho de 2020 
  8. «Waikikihistorictrail.com». www77.waikikihistorictrail.com. Consultado em 25 de junho de 2020 
  9. Young, Peter T. (11 de maio de 2012). «Ho'okuleana: Waikīkī – Before the Ala Wai». Ho‘okuleana. Consultado em 25 de junho de 2020 
  10. Ejiri, Masakazu (1996). «The Development of Waikiki, 1900–1949: The Formative Period of an American Resort Paradise (Thesis)». University of Hawaiʻi at Mānoa: 1. Consultado em 25 de junho de 2020 
  11. «Queens - Surfing in Oahu, United States of America - WannaSurf, surf spots atlas, surfing photos, maps, GPS location». web.archive.org. 16 de abril de 2015. Consultado em 25 de junho de 2020 
  12. «Queens - Surfing in Oahu, United States of America - WannaSurf, surf spots atlas, surfing photos, maps, GPS location». web.archive.org. 16 de abril de 2015. Consultado em 25 de junho de 2020 
  13. «City to beautify Kuhio Avenue | The Honolulu Advertiser | Hawaii's Newspaper». the.honoluluadvertiser.com. Consultado em 25 de junho de 2020 
  14. «Prostitution shifts from Waikiki | The Honolulu Advertiser | Hawaii's Newspaper». the.honoluluadvertiser.com. Consultado em 25 de junho de 2020 
  15. CNN, Jason Hanna. «Hawaii's Waikiki beaches shut after sewage spill». CNN. Consultado em 25 de junho de 2020 
  16. «Investigation Of Waikiki Beach Sewage Spill Closes». www.wateronline.com. Consultado em 25 de junho de 2020 
  17. «Massive Discharge of Untreated Sewage into the Ala Wai Canal (Oahu, Hawaii): A Threat to Waikiki's Waters? - Redorbit». web.archive.org. 1 de abril de 2017. Consultado em 25 de junho de 2020 
  18. «Hawaii DOE | Home Page». www.hawaiipublicschools.org. Consultado em 25 de junho de 2020 
  19. «Library Building». web.archive.org. 30 de novembro de 2009. Consultado em 25 de junho de 2020