Wikipédia:Esplanada/geral/O "mínimo" perfeito! (11mai2010)

Nem me atrevo a marcar para seja o que for, pois de certeza que haverá quem me venha explicar que falta de informação não é motivo para eliminação. Mas, arre, que eu sou burro!... É que por mais que me expliquem, não vejo o que há de enciclopédico em "artigos" como este: Mitologia armênia. --Stegop (discussão) 02h53min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Hoje encontrei o artigo mínimo Tonelada seca ao ar que dizia apenas que é uma "tonelada de massa secada ao ar", a primeira vista achei um absurdo, mas fazendo uma busca no Google achei uma referência e aumentei um pouco a explicação. Fazendo uma busca agora também achei uma fonte para esse artigo. O problema é: Nós temos que ficar fazendo buscas na internet para cada absurdo que encontrarmos? Eu acho que não, isso é problema de que criou a página e não dos editores que fazem manutenção. Danilo.mac(discussão) 04h00min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Nao tem que fazer nada, pode deixar para alguem que tenha interesse em expandir.--GoEThe (discussão) 09h40min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Pelos vistos já apareceu alguém que resolveu escrever um bom esboço. Será coincidência ele ser um dos editores aparentemente mais ativos (apesar do seu mau feitio de quando em vez :-)? Não me parece! Como diz o Danilo, que sentido tem os editores mais preocupados com a qualidade e, - porque não dizê-lo? - imagem da Wikipédia, terem que andar a limpar o lixo dos outros em nome de que não se podem apagar aberrações como a versão inicial da mitologia armênia? O argumento de que o que aconteceu com a melhora do artigo é um bom exemplo de como um artigo micro-mínimo deve ser mantido porque é um incentivo a que o assunto seja explorado não pega, pois de qq modo o Rafa estaria a contribuir para a Wiki, e se estivesse interessado no assunto, mais dia menos dia, ele criaria o artigo. --Stegop (discussão) 11h32min de 11 de maio de 2010 (UTC)
Eu só reformei o artigo porque é de uma área de interesse minha, fosse ele um "mínimo genérico" de Física ou Matemática, por exemplo, ainda estaria do mesmo jeito... Concordo plenamente com o Stegop, artigos de uma linha que não informam mais que o seu título ("Mitologia armênia é a mitologia dos armênios") têm pouca ou nenhuma utilidade, pelo contrário, são até contraproducentes ao projeto. RafaAzevedo disc 12h34min de 11 de maio de 2010 (UTC)
Da mesma maneira que há usuários activos com interesse em Mitologia armênia, pode haver algum com interesse em Tonelada seca ao ar. Seria mais útil criar um projecto que apanhasse esse mínimos, os dividisse por categoria e os transformasse em esboços razoáveis ou um que procurasse referências para artigos sem elas. GoEThe (discussão) 14h41min de 11 de maio de 2010 (UTC)
Aliás, há um projecto abandonado chamado Wikipedia:Projetos/Encontrar e ampliar esboços. Se houver interessados podemos reactivá-lo e incluir mínimos como prioridade para expansão. GoEThe (discussão) 14h43min de 11 de maio de 2010 (UTC)
Eu já sou a favor de criar uma marcação especial para esses casos, dariamos um tempo mais longo para eliminação, algumas semanas ou meses, quem não quizer que os artigos sejam eliminados que entre na categoria que reune esses artigos e procure fontes e aumente os esboços, se ninguem se interessar pelos artigos nesse período ele é eliminado sem nenhuma avaliação do "potencial" do título. Acho que manter os mínimos indefinidamente até que alguem se interesse em melhorá-los não é a melhor solução. Danilo.mac(discussão) 14h53min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Colegas, não acho que haja uma única resposta correta para a discussão sobre os artigos muito pequenos como os citados, mas uma avaliação de valores, vantagens e desvantagens. De um lado, a existência de artigos pouco informativos geram um certo custo comunitário para mantê-los atualizados e longe de vandalismo, por outro lado há diversas vantagens em mantermos estes esboços: 1)A presença de categorias e interwikis já é útil para encontrar mais informação e ajuda o editor que deseje ampliar o verbete. 2) boa parte de nossos leitores cheguam à Wikipédia através de motores de busca como o Google, pelo que esses artiguinhos ajudam à tornar o projeto conhecido e acessível. 3) Usuários que contribuem com tais verbetes podem se sentir desmotivados ao vê-los eliminados. Por fim, penso que um projeto como o nosso deveria valorizar toda contribuição positiva, mesmo que diminuta. Lechatjaune msg 17h10min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Eu pessoalmente há já algum tempo que aprendi que se deve de tempos a tempos esquecer que isto é uma enciclopédia (se é que é mesmo...) e que não se deve dar demasiada importância tal questão da imagem (para fora). Certamente aparecerão pessoas para completar esses artigos, devemos fazer maior e melhor trabalho em atrair voluntários nessas e noutras áreas. Por aí gasta-se a energia de uma modo positivo. Cumprs. Lijealso (discussão) 20h37min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Que significa esquecer que isso é uma enciclopédia? Lechatjaune msg 22h10min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Agrada-me a ideia da marcação do Danilo, principalmente porque para mim está por comprovar que «certamente aparecerão pessoas para completar esses artigos», ou pelo menos que essas pessoas tenham alguma necessidade da existência desses mínimos. Por sinal até tenho a ideia contrária, a maior parte destes artigos fica assim anos a fio, mas estou cá há pouco tempo, posso estar enganado. Arriscaria mesmo dizer que haverá alguns potenciais interessados que desistem da ideia de colaborar em temas que conhecem quando veem o que existe - haverá assim tantas pessoas interessadas em colaborar num projeto cuja qualidade média consideram muito baixa? Esse é possivelmente um dos problemas maiores de admitir este tipo de artigos. Apesar de aparentemente a realidade não lhe estar a dar razão, uma certa tendência para a wiki afugentar potenciais editores com grandes conhecimentos sobre alguns temas, relacionada com a falta de qualidade, foi uma das razões que levou à saída do co-fundador da wiki, cujo nome agora não me lembro. Não estou a insinuar que os artigos mínimos sejam o único fator a baixar a qualidade média, acho que nem sequer é o mais importante, mas isso não significa que seja insignificante e que se deva ignorar.

Quanto ao que é uma enciclopédia, "apanharam-me", sou péssimo para definições, e essa é uma daquelas bem difíceis, principalmente se quisermos evitar coisas vagas, como o que vou tentar ensaiar: desde pequeno me habituei a ir às enciclopédias quando queria ficar minimamente esclarecido sobre um assunto, nem que fosse de uma forma muito resumida. Associo uma enciclopédia uma certa ideia de "veracidade", ou seja, o que lá está escrito é aceite por pelo menos alguns reconhecidos especialistas de cada tema. Outra ideia importante é a de "organização" e critério: o detalhe com que cada assunto é tratado está relacionado com a importância relativa atribuída a cada um dos temas. Claro que a última parte faz pouco sentido na wiki, seja porque não há limite de espaço, seja porque não tem qualquer sentido obrigar os editores a tratarem determinados temas. No entanto, a parte de organização/estruturação coerente é tanto ou mais importante aqui do que nas enciclopédias de papel. O que é que isso tem a ver com artigos mínimos? É que grande parte, senão a maior parte deles, pouco ou nada adiantam a artigos mais genéricos, sendo até frequente o contrário, ou seja, ter artigos mínimos sobre temas que noutros artigos estão melhor tratados. O exemplo da mitologia hititaarménia até é bom para ilustrar isso - qual é a diferença em relação a ter uma nota num artigo sobre a Arménia, a sua história ou cultura? Provavelmente só uma: é mais provável que alguém se interesse pelo assunto num artigo maior e o desenvolva do que a existência de um artigo solto. Ou será que a quantidade de artigos é mais importante do que a quantidade e qualidade da informação?

Há ainda um aspeto importante da wiki que a diferencia de outros sites, para o qual a proliferação de artigos com pouca informação nada contribui. Na generalidade da web, a informação está muito dispersa, a maior parte das páginas que se encontram nas primeiras páginas do(s) Google(s) trata ou é spam ou tratam os assuntos de forma superficial, pouco cuidada, ou demasiadamente especializada, coisa que, por enquanto na wiki não acontece: aqui ainda é provável encontrar os assuntos tratados de forma estruturada, muitas vezes apresentando uma visão, senão global, pelo menos com uma certa preocupação de generalista, resumindo, com boas chances de ser pelo menos um bom ponto de partida para saber alguma coisa sobre o assunto. E neste ponto, a manutenção de artigos com pouca ou nenhuma informação, só porque "o tema pode vir a ser desenvolvido", nada ajuda, pois torna a wiki parecida com web em geral vista como um todo: um caos onde é requerido muito trabalho para encontrar a informação que cá está.

Como é hábito, já "estou a dar seca"... :D Só espero que faça algum sentido aquilo que disse. Se não fizer, tanto melhor, é sinal que se calhar estou a ver problemas onde eles não existem e tenho que dar razão (ainda mais do que aquela que já acho que teem) aqueles que dizem "dediquem mas é o vosso tempo a editar artigos". --Stegop (discussão) 23h56min de 11 de maio de 2010 (UTC)

Uma vez que este é um assunto que me interessa, deixo também a minha impressão da coisa:

  1. No meu caso pessoal, os mínimos da wiki-pt afastaram--me do projecto durante anos. Cada vez que, andando pela wiki-en, encontrava um interwiki para a wiki-pt e experimentava segui-lo, deparava-me com um desses mínimos sem noção, mesmo sobre assuntos lusófonos. A ideia que me ficava sempre era de coisa sem qualidade e feita à pressa, seguindo a máxima de "mais vale ter qualquer porcaria que não ter nada".
  2. Não consigo entender o interesse em manter mínimos como Colonia Bicha, que nem se sabe se existe, ou Mojón de Fierro (que foi criado cheio de erros - a coisa nem município é). O primeiro pode bem ser uma fake, o segundo é pura desinformação. O trabalho que dá a corrigir esse tipo de coisa é o mesmo ou mais que refazer tudo do zero, e no entretanto fica esse lixo por aí.
  3. Um dos maiores problemas com esta situação é que grande parte dos mínimos não são criados por IPs ou novatos, mas por usuários registados e veteranos, o que denota que grande parte desse problema é de mentalidade e falta de consciência da comunidade.
  4. A minha impressão pessoal é que durante anos foi dominante aqui a "mentalidade do sucateiro", que aproveita todo o lixo que entra porque mais tarde pode servir. Presumo que isso tenha derivado da triste competição inter-wikis que durante anos andaram aí a fazer, gerando um crescimento totalmente artificial deste projecto, muitas vezes através de criação em série com bots, que não tinha qualquer correspondente na qualidade. As consequências nefastas dessa mentalidade miserável e mesquinha de crescimento a todo o custo estão aí: Ficamos conhecidos nas outras wikis pelos "Portubots", a qualidade média do projecto é má ou péssima, temos pouquíssimos artigos de qualidade (ao ponto de terem havido propostas para retirar esse número da Página Principal pois era causa de vergonha e chacota). Uma forma recente dessa mentalidade mesquinha e provinciana foram as chamadas "Comemorações dos 500.000 artigos" e respectiva aposta, tão mais infames quanto o artigo que foi considerado o 500.000 foi um desses mínimos execráveis cheios de erros, criado por um veterano só para fazer número na corrida ao número mágico.
  5. Finalmente, como já disse várias vezes, penso que a solução passa, sobretudo, por um maior controlo do que entra nas PNs. Mínimos como esses podem ser tolerados em IPs ou novatos (que deverão ser avisados para os fundamentar), mas não há qualquer motivo para que se continue a tolerar esse comportamento em veteranos. Neste momento a quantidade de problemas e lixo que existe já é totalmente ingerível, e é uma irresponsabilidade que usuários experientes venham contribuindo para aumentar o problema, em vez de ajudar a resolve-lo ou, ao menos, deixa-lo como está. A tal "mentalidade do sucateiro" deve ser extirpada deste projecto o quanto antes. Se isso pode ter tido alguma utilidade (bem duvidosa, por sinal) nos primeiros tempos do projecto, neste momento é um cancro que só o destrói.

--- Darwin Ahoy! 00h38min de 12 de maio de 2010 (UTC)

Esta questão vem sendo levantada recorrentemente, não apenas aqui mas em todas as wikis. Pela minha parte, Symbol declined.svg Discordo da eliminação ou da restrição da criação de artigos mínimos válidos. E digo válidos porque para mim coisas como "Mitologia armênia é a mitologia dos armênios" e "Tonelada seca ao ar é uma tonelada de massa secada ao ar" deveriam ser eliminadas.

Grosso modo, partilho a opinião do Lechatjaune e do Lijealso sobre este assunto. Não concordo inteiramente com a questão da exposição ao vandalismo dos mínimos, pois passo muito tempo nas ER's e acredito que um link vermelho é pior. Já vi muitos títulos válidos a serem recriados ad nauseam com lixo e disparates até que alguém cria finalmente um mínimo - que em comparação não me parece sofrer nem uma fracção disso com o vandalismo. Também não concordo com o argumento do tempo perdido a refazer mínimos; o tempo que se perderia a procurar e eliminar essas páginas (notem que não é só quem procura e marca os artigos para eliminar que perde tempo; quem discute essa eliminação e os administradores que eliminam também) não seria de certeza menor do que o tempo necessário para se expandir minimamente o verbete; ou seja, gastando-se o mesmo ou mais tempo, teríamos um verbete a menos.

Não estou aqui a defender a inclusão/manutenção de toda e qualquer coisa, longe disso. Partilho algumas das opiniões aqui expressas sobre o problema da quantidade/qualidade dos verbetes na Wikipédia lusófona, mas na minha opinião este não deve ser o caminho. Vale lembrar que mesmo nas enciclopédias tradicionais a grande maioria das entradas são mínimos, e que a Wikipédia é e sempre será um trabalho inacabado e em constante expansão/melhoria. EuTugamsg 14h42min de 12 de maio de 2010 (UTC)

Eu tenho de concordar com o EuTuga de que um mínimo causa menos problemas de manutenção que ligações vermelhas e eu mesmo já usei do artifício de criar um mínimo para parar o vandalismo. Lechatjaune msg 21h55min de 13 de maio de 2010 (UTC)
Aposto que se aplicarmos à letra WP:V, um princípio dos mais sagrados da wiki, eliminamos mais de 90% dos artigos mínimos! O que eu ponho em causa não são "artigos com conteúdo válido"! Mais: concedo de bom grado que se ignore WP:V naqueles casos em que o tema do artigo não "cabe" noutro e ele diz qualquer coisa para além de "X é Y". Mas o problema é que a esmagadora maioria desses mínimos a que me refiro, e acho que todos terão uma ideia relativamente clara de quais são, não teem quaisquer fontes, são paupérrimos em informação, são sobre temas muitas vezes de duvidosa notoriedade enciclopédica e que podiam ser tratados em artigos mais genéricos.
O Darwin levantou um par de questões que eu também estive para levantar. Uma delas é a sua experiência pessoal. Como ele, a baixa qualidade dos artigos foi uma das razões para não me entusiasmar durante muito tempo. Não digo que foi por isso, mas por acaso as minhas primeiras edições foram na en (ou, recuando ainda mais, na gnupedia, mas muito pouco). Foi na en que me familiarizei com as regras e realmente temos muito a aprender com eles, nomeadamente na recepção aos caloiros e à exigência. Por exemplo, por lá é comum que na página de discussão apareçam avisos de que o artigo que acabámos de criar não tem fontes. É certo que para eles é muito mais fácil fazerem as coisas melhor, pois teem mais gente, mas indiretamente o Darwin tocou noutro ponto importante que não nos ajuda nada no que se refere a qualidade: o facto de alguns (muitos?) editores veteranos não só pactuarem com artigos com pouca informação, como inclusivamente serem eles próprios a criarem-nos. Basta olhar para muitos dos portais, para muitos dos projetos, para muitas das caixas de navegação cheias de links vermelhos a incitar à criação de artigos inevitavelmente mínimos sobre ruas, estradas, e sei lá que mais, só para dar um exemplo. E que dizer aqueles (muitos) casos caricatos em que um artigo ou lista da en dá origem a dezenas de artigos por cá, que todos juntos teem muito menos texto do artigo original e que, nem mencionam que são tradução nem trouxeram as fontes?
Acho que estamos completamente errados em ter medo que os novatos fujam se lhes apagarmos o artigozeco com uma ou duas frases mal escritas sobre a personagem de banda desenhada, de televisão, o jogador de futebol, ou a sua escola ou rua! O editor minimamente interessado em participar no projeto, por oposição ao estudante, fã, ou bairrista que quer ver a sua escola, cantor ou rua na wiki, vai tentar perceber como isto funciona e esforçar-se por se integrar. A wiki não é assim tão diferente de outras comunidades, elas só funcionam se existir uma cultura comum, que pode não ser aceite por todos os que querem entrar, os quais, para o fazerem, teem que fazer um esforço de integração; não podemos estar preocupados em agradar a todos - não o podemos fazer, por exemplo, com os que não sabem escrever, e há muitos nesse estado, ou que insistem em pesquisa inédita, etc. Estou convencido que, se conseguirmos melhorar a qualidade, o que envolve inevitavelmente apagar artigos como a versão inicial da mitologia arménia, podemos afugentar muito mais gente que escreve um par (ou mesmo que sejam duas dúzias) de porcarias, mas provavelmente atraímos mais mais pessoas que podem dar muito ao projeto. Não sei exatamente como isso se conseguirá, certamente que haverá muitos dos que defendem com unhas e dentes os artigos mínimos que teem muito mais sensibilidade que eu para saber como melhorar as coisas, mas tb. não estou a falar de cor. Já participei muito ativamente num par de comunidades e sei bem qual a diferença entre aquelas, a grande maioria, onde 95% do que se discute são trivialidades e mundanices, mesmo que o âmbito nada tenha a ver com o social, e as outras onde se aprende alguma coisa. Se nestas últimas não é fácil ganhar "entrar", ganhar "familiaridade", em contrapartida, não se espere encontrar nas outras, por exemplo, no caso de comunidades de âmbito técnico, muita gente que perceba muito dos assuntos.
Provavelmente dou ideia que acho que a wiki deve ser um lugar elitista. Nada disso! Uma das razões para o sucesso a todos os níveis da wiki é o ser tão aberta. Só que, nem tanto ao mar, nem tanto à terra. O enunciado em censura WP:CENSURA não é mais importante que WP:V, WP:RDI, WP:ANARQ, ou outras secções de WP:WNE!
E ainda alguém acredita que a minha intenção quando abri a discussão era apenas "mandar uma boca"? Mas, acreditem que era... Quando me comecei a envolver na triagem das páginas novas, ainda tive esperanças que todo aquele lixo me afastasse da wiki ou que, pelo menos, me fizesse virar-me apenas para editar um ou outro artigo que me interessasse mais, pois isto é vício tremendo que consome tempo infinito, mas infelizmente para mim e para aqueles que leem os meus desvarios isso tem tardado em acontecer. E já chega por agora... Hahao comentário precedente deveria ter sido assinado por Stegop (discussão • contrib.) 06h21min de 13 de maio de 2010

Citação: Stegop escreveu: «Mas o problema é que a esmagadora maioria desses mínimos a que me refiro, e acho que todos terão uma ideia relativamente clara de quais são, não teem quaisquer fontes, são paupérrimos em informação, são sobre temas muitas vezes de duvidosa notoriedade enciclopédica e que podiam ser tratados em artigos mais genéricos.»

Então o problema não é só o tamanho do artigo. Daí, começo a concordar. Lechatjaune msg 22h19min de 13 de maio de 2010 (UTC)
Se quiser pôr assim, o problema não é de todo o tamanho do artigo. Só que quase invariavelmente o tamanho implica o verdadeiro problema: é muito raro que com numa frase ou duas se consiga transmitir alguma informação de jeito, a não ser que seja uma definição de dicionário, e para isso há o Wickcionário. E mais, quantos mínimos ou esboços teem fontes? Não me parece que eu seja o único a frequentemente me abster de colocar a marca de sem fontes e outras em artigos de meia dúzia de linhas por tornar ainda mais ridícula a situação. Já mais do que uma vez estive para tentar investigar porque é que na maior parte das outras wikis acabaram com a predef de "mínimo"... Será que não foi porque acharam precisamente que mínimo não era compatível com enciclopédico? --Stegop (discussão) 23h02min de 13 de maio de 2010 (UTC)
O verbete A-dos-Melros é um mínimo válido ou não na sua opinião? Lechatjaune msg 22h45min de 16 de maio de 2010 (UTC)
Por coerência com o que venho dizendo acima, era inválido antes de eu rever, acima de tudo porque o que era indicado como fonte, no mínimo não é fiável, na medida em que qualquer um pode adicionar um ponto naquele mapa. Tanto é que não era fiável, que estava a apontar para o local errado, pois a localidade figura no Google Maps. Se o nome da terra figurasse diretamente no mapa, aí já seria válido, mas seria um bom/mau exemplo de um artigo paupérrimo e a evitar. Mas confesso que localidades e geografia em geral, é um dos temas em que não me choca assim tanto o minimalismo, desde que o que conste do texto dê para perceber onde é que a coisa fica. É por isso que nunca marco artigos sobre localidades para eliminação. De certa forma, é o oposto de biografias ou temas de índole mais abstrata, que, se forem muito curtos, dificilmente informam de alguma coisa ou então dão uma definição que, precisamente por ser muito curta, é inevitavelmente muito redutora ou simplificada, algo que não é compatível com "enciclopédia". --Stegop (discussão) 01h51min de 17 de maio de 2010 (UTC)
Desculpa pelo fora, mas vamos tentar outros exemplos de páginas com pouca informação ou pouco fiáveis: Veia jugular, William McMaster Murdoch, Don Costa, Caldeira de recuperação, Guerras de Appenzell, Antônio de Souza Vianna. Exceto a primeira, todas foram marcadas pare eliminação. Lechatjaune msg 18h47min de 17 de maio de 2010 (UTC)
Tal como estão agora, não me passaria pela cabeça marcar nenhum deles para ER ou PE. E para as versões originais (não sei qual seria a do Don Costa) talvez só o fizesse para o William McMaster Murdoch. Estou a fechar os olhos WP:V? Sim, mas do mal o menos, ao menos aprendo qq coisa com o texto ou o que lá diz confere com a ideia vaga que eu tinha do assunto, pelo que acho que não devo ser eu a questionar seja o que for. Digamos que me basta o princípio de "assuma boa fé". No entanto, este argumento pode ser usado para fazer o contrário: ou seja, eu ou alguém que marca ESR pode estar a fazê-lo de boa fé, achando que é bom para a wiki questionar a manutenção do artigo. Compreenda que o que eu contesto são coisas do tipo: "Antônio de Souza Vianna foi um pintor brasileiro do século XIX", ou "As Guerras de Appenzell foram conflitos medievais na Suíça", etc. O William McMaster Murdoch é um caso interessante, pois, estando tão mal redigido e com aspeto de ser cópia, confesso que era possível que fosse para ER#20 com Fast Buttons, apesar de ter alguma informação no meio daquele português de mau aluno da primária. Perdia-se muito? Sinceramente, não creio, pois o que existe agora pouco tem a ver com a versão inicial. O biografado é notório? Talvez nem tanto, dificilmente eu o criaria, nem que fosse especialmente fã do Titanic, mas nunca questionaria a relevância. Mas nem que fosse ainda mais relevante, acho que é pior estar representado aquela coisa abjecta que era a 1ª versão do que estar ausente. Poder-se-à alvitrar que aquele mau texto motivou a criação de um bom esboço... Sim, mas quem o fez estaria de qq. forma a fazer trabalho válido. E desse ponto de vista, até foi bom que fosse marcada a ESR, senão passaria despercebido. Podia ser que algum editor casual fizesse o mesmo (melhorar o artigo)... Qual é a probabilidade de isso acontecer? Mas o principal problema desta argumentação é que é um saco sem fundo e torna inúteis quaisquer discussões sobre notoriedade e verificabilidade.
PS: Estou a ganhar coragem e tempo para escrever mais qq. coisa na outra discussão que abri. Talvez amanhã... --Stegop (discussão) 19h48min de 17 de maio de 2010 (UTC)
Quer então dizer que há gente ainda mais radical que eu quanto a mínimos sem fontes?!... :-) Folgo em saber que não sou "dos piores"! De qq. forma, tb. acho que se marcasse algum desses artigos para eliminação o faria com ESR, exceto talvez o do oficial do Titanic se fosse sobre um tema de notoriedade decididamente mais questionável. Confesso que às vezes envio para ER artigos de IP que se fossem de utilizador registado enviaria para ESR. --Stegop (discussão) 09h12min de 18 de maio de 2010 (UTC)
Existe também gente que criticaria seriamente essa marcação, alegando que é para isso que existem os avisos como {{matrad}}, {{sem-fontes}} e {{correção}}. Citação: Stegop escreveu: «IP que se fossem de utilizador registado enviaria para ESR.» Será que é certo fazer essa distinção? Lechatjaune msg 10h19min de 18 de maio de 2010 (UTC)

Alerta, alerta! A bela comuna francesa de Rompéchine, inventada por um bot em 2008, está prestes a desaparecer! Mais um mínimo perfeito que se perde, daqui a um ano, quem se lembrará dela? Será que alguém a chegou a conhecer?.. --- Darwin Ahoy! 03h30min de 20 de maio de 2010 (UTC)



Mais um caso que me parece interessante: Wikipedia:Esplanada/geral/Enxurrada de pseudo-artigos mínimos sobre políticos de Minas Gerais (27mai2010)
--Stegop (discussão) 17h22min de 27 de maio de 2010 (UTC)