Abrir menu principal

Wikipédia Discussão:Revalidação/Rio de Janeiro (cidade)

Parágrafos ou frases anotadas com {{tl|carece de fontes}}Editar

Obs:referenciar ou eliminar?

  • Há muitos anos congrega o segundo maior polo industrial do Brasil[1], contando com refinarias de petróleo, indústrias navais, siderúrgicas, metalúrgicas, petroquímicas, gás-químicas, têxteis, gráficas, editoriais, farmacêuticas, de bebidas, cimenteiras e moveleiras. No entanto, as últimas décadas atestaram uma nítida transformação em seu perfil econômico, que vem adquirindo, cada vez mais, matizes de um grande polo nacional de serviços e negócios.[2][3] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 20h22min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
  • e Star One (maior empresa latino-americana de gerenciamento de satélites).[4] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 20h22min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
  • A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN)[5], a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA)[6] (maior siderúrgica da América Latina [7]) e a filial brasileira da BHP Billiton[8] exercem papel de destaque no setor de mineração.[carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 01h14min de 23 de setembro de 2012 (UTC)
  • Ênfase para Schering-Plough[9], GlaxoSmithKline[10], Roche[11] e Merck[12].[carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 01h14min de 23 de setembro de 2012 (UTC)
  • Uma parcela significativa do parque gráfico-editorial brasileiro faz-se presente. Quanto à indústria fonográfica, figuram gigantes como EMI[13], Universal Music[14], Sony BMG[15], Warner Music[16] e Som Livre[17] .[18] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 20h22min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
  • Muitas empresas estatais, fundações públicas e autarquias federais possuem suas sedes estabelecidas na cidade, com destaque o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)[19], a Eletrobrás (maior companhia do setor de energia elétrica da América Latina)[20], a Casa da Moeda do Brasil[21], as Indústrias Nucleares do Brasil (INB)[22], a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP)[23], o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)[24], o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro)[25], o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)[26], a Comissão de Valores Mobiliários (CVM)[27], e a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN)[28].[carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 22h58min de 25 de setembro de 2012 (UTC)
  • Contudo - e em consonância aos grandes contrastes verificados na metrópole -, em regiões periféricas e empobrecidas, o aparato educacional público de nível médio e fundamental é ainda deficitário, dada a escassez relativa de escolas ou recursos. Nesses locais, a violência costuma impor barreiras ao aproveitamento escolar, constituindo-se numa das causas preponderantes à evasão.[carece de fontes] texto eliminado do artigo principal por falta de fontes.--HTPF (discussão) 21h17min de 1 de outubro de 2012 (UTC)
  • Na capital fluminense também se encontra a sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), fundada em 1937.[29][carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 01h14min de 23 de setembro de 2012 (UTC)
  • A cidade do Rio de Janeiro é um dos mais importantes entrepostos rodoviários do Brasil. Dentre as rodovias que dão acesso à cidade, destacam-se sobretudo a BR-116 (também chamada localmente de Rodovia Presidente Dutra e de Rodovia Rio-Teresópolis), a BR-040 e a BR-101. Estas três rodovias estão entre as mais importantes rodovias federais do Brasil, sendo utilizadas diariamente por milhares de pessoas que entram e saem da cidade do Rio de Janeiro. Já dentre as rodovias estaduais, destaca-se a RJ-071 (mais conhecida como Linha Vermelha) que serve como uma via alternativa à Avenida Brasil. Além destas rodovias, há ainda uma outra rodovia federal que serve à cidade do Rio de Janeiro, sendo esta a BR-465 (antiga Estrada Rio-São Paulo).[carece de fontes] referenciado o artigo principal.--HTPF (discussão) 22h11min de 28 de setembro de 2012 (UTC)
  • O transporte público por ônibus é o mais utilizado no Rio de Janeiro. A qualidade do transporte coletivo de passageiros é reflexo de um trabalho de planejamento estratégico pouco azeitado. Tal como a maioria das grandes metrópoles brasileiras - a despeito de algumas exceções que lograram certo êxito no planejamento do transporte rodoviário urbano (como Curitiba, por exemplo) -, a cidade carece de transporte em massa sobre trilhos, o que também corrobora, não raro, com o aumento do consumo de combustíveis fósseis e, sobretudo, com os congestionamentos nas principais artérias da cidade, além de muitas vias auxiliares.[carece de fontes] eliminado do texto sem prejuízo de conteúdo.--HTPF (discussão) 22h23min de 28 de setembro de 2012 (UTC)
  • Contando com um sistema de ônibus insuficiente às suas dimensões de metrópole, e que sofre com carência de integração, sobreposição de linhas, concorrência direta e indireta com os transportes de massa, regulamentação e fiscalização ainda deficitárias e excesso de poder dos operadores, a cidade necessita, atualmente, de uma eficiente reestrututação e ampliação em seu sistema de transporte coletivo.[carece de fontes] eliminado do texto sem prejuízo de conteúdo.--HTPF (discussão) 22h23min de 28 de setembro de 2012 (UTC)
  • a cidade, as empresas de ônibus encontram-se interligadas ao metrô, visando transportar os passageiros que desembarcam nas linhas finais deste, mas ainda necessitam de um ônibus para chegar ao seu destino. Tais passageiros podem utilizar o chamado "bilhete integração", através do qual pagam pelo metrô e ainda têm direito ao ônibus de integração.[carece de fontes] referenciado o artigo principal.--HTPF (discussão) 22h11min de 28 de setembro de 2012 (UTC)
  • A malha está espalhada por toda a orla, do Leme à praia do Pontal, na Lagoa, no centro, e em outras áreas das zonas Sul e Oeste.[carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 01h23min de 26 de setembro de 2012 (UTC)
  • Além do metrô, o Rio de Janeiro conta com um sistema de trens urbanos. Sob direção da concessionária Supervia, constitui, juntamente com os ônibus, um amplo conjunto de transporte popular. Os veículos partem da Estação Ferroviária Central do Brasil em direção aos subúrbios, à zona oeste e à Baixada, cruzando bairros como Méier, Penha, Bangu e Madureira, e as cidades de Nova Iguaçu e Duque de Caxias. Existem três linhas férreas principais, as quais possuem ramificações denominadas linhas auxiliares.[carece de fontes]
  • No Rio de Janeiro é recorrente a prática do alpinismo (ou escalada), havendo centenas de rotas espalhadas pela cidade. O ponto mais famoso é o do Pão de Açúcar, no qual os esportistas arrostam desafios em vários graus de dificuldade, desde o nível 3 até o 9, acima de 280 metros. Retirado pois consta no artigo Cultura da cidade do Rio de Janeiro e aqui é detalhe (IMHO).OTAVIO1981 (discussão) 12h44min de 24 de setembro de 2012 (UTC)
  • O vôo livre começou a ser exercitado em meados de 1974, e adequou-se rapidamente ao gosto de inúmeros praticantes e às características da cidade, em razão de suas peculiaridades geográficas: no encontro das montanhas com o oceano Atlântico, surgem excelentes posições para decolagem, podendo-se contar com vastas porções desocupadas de areia para aterrissar. De início majoritariamente encenada por amadores, a atividade verteu-se em uma lucrativa indústria que atualmente oferece vôos com pilotos experientes a preços acessíveis.[30][carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal.--HTPF (discussão) 22h58min de 25 de setembro de 2012 (UTC)
  • A prática de esportes é um passatempo muito comum no Rio de Janeiro, sendo o futebol o mais popular deles[31]. O Rio abriga cinco clubes brasileiros bastante tradicionais: America[32], Botafogo[33], Flamengo[34], Fluminense[35] e Vasco[36].[carece de fontes] referenciado e texto transferido para o artigo principal --HTPF (discussão) 22h58min de 21 de setembro de 2012 (UTC).
  • São Petersburgo, Rússia (1986) [carece de fontes]

Referências

  1. «Posição ocupada pelos 100 maiores municípios em relação ao Produto Interno Bruto a preços correntes e participações percentuais relativa e acumulada, segundo os municípios e as respectivas Unidades da Federação» (PDF). IBGE. 2008. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  2. «Polos Tecnológicos e de Inovação». Rio Negócios - Agência de Promoção de Investimentos do Rio de Janeiro. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  3. «Negócios em Rio de Janeiro Brasil Economia fluminense». EENI- Escola de Negócios e Comércio Exterior 
  4. «UOL, Star One e Gilat lançam UOLSAT, serviço inédito de acesso à Internet no Brasil». UOL. 14 de setembro de 2001. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  5. «Companhia Siderúrgica Nacional - CSN, Relatório Anual Exercício 2009» (PDF). fiduciario.com.br. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  6. Glauber Gonçalves. «CSA sai, finalmente, do papel». O Estado de S.Paulo, Caderno de Economia B6 23 de maio de 2010. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  7. «ThyssenKrupp constrói no Brasil o maior Complexo Siderúrgico da América Latina». Portal Metálica. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  8. «BHP Billiton pode iniciar ação direta no Estado». Diário do Comércio, Economia. 25 de abril de 2008. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  9. «As 100 melhores empresas para trabalhar». Revista Época, Editora Globo. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  10. «GlaxoSmithKline, quem somos no Brasil». GlaxoSmithKline Brasil. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  11. Ricardo Boechat. «Medicamento, Made in Brazil». Isto É Independente. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  12. «Merck Brasil». Merck KGaA. Consultado em 22 de setembro de 2012 
  13. «EMI Music». ABPD - Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  14. «Universal Music». ABPD - Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  15. «Sony Music Entertainment». ABPD - Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  16. «Warner Music». ABPD - Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  17. «Som Livre». ABPD - Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  18. «De um sonho idealista a uma realidade de sucesso». PoloRio Cine e Vídeo. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  19. «Ações ambientais desenvolvidas no edifício Sede - BNDES». BNDES. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  20. José Antonio Muniz Lopes (dezembro de 2012). «A Eletrobras quer ser a maior do mundo em energia limpa». Conjuntura da Infra-estruturaAbdib. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  21. «Casas da Moeda». Memória, Receita Federal. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  22. «INB Institucional». INB - Indústrias Nucleares do Brasil. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  23. «FINEP-Rio». Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). Consultado em 24 de setembro de 2012 
  24. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. «o Regimento Interno da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, Portaria nº 215 de 12 de agosto de 2004» (PDF). Consultado em 24 de setembro de 2012  line feed character character in |título= at position 68 (ajuda)
  25. «Edifício do Inmetro no Rio Comprido». Inmetro. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  26. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (10 de maio de 2012). «Inaugurada a nova sede do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi)». Consultado em 24 de setembro de 2012 
  27. «CVM, sede Rio de Janeiro». Comissão de Valores Mobiliários. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  28. Ministério da Ciência e Tecnologia. «Regimento Interno da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN)» (PDF). D.O.U. Nº 78,27 de abril de 2010. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  29. União Nacional dos Estudantes. «História da UNE». Consultado em 22 de setembro de 2012 
  30. Cleber Augusto Gonçalves Dias e Edmundo de Drummond Alves Júnior (fevereiro de 2007). «O vôo livre no Rio de Janeiro: uma visão panorâmica». Anais do Congresso de Engenharia do Entretenimento, Revista Digital - Buenos Aires - Año 11 - N° 105. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  31. João Máximo (dezembro de 1999). «Memórias do futebol brasileiro». Estud. av. vol.13 no.37 São Paulo Sept./Dec. 1999. Consultado em 21 de setembro de 2012 
  32. «America Football Club». Football Club. Consultado em 17 de setembro de 2012 
  33. «Tradição alvinegro». Botafogo de Futebol e Regatas. Consultado em 21 de setembro de 2012 
  34. «A Fundação, O Flamengo já nasceu com a garra e o espírito vencedor». Clube de Regatas do Flamengo. Consultado em 21 de setembro de 2012 
  35. «Fluminense, sede». Fluminense Football Club. Consultado em 21 de setembro de 2012 
  36. «Vasco da Gama, linha do tempo». Club de Regatas Vasco da Gama. Consultado em 21 de setembro de 2012 

Fontes de fiabilidade duvidosa e outras mal formatadasEditar

Obs: Acessar [1].

  • Substituir links mortos ou suspeitos:(40) (36) (31) (27) (24) (16) (11) (9)
  • Acessar demais links, verificar validade e padronizar código (204) (citar web): de 89 a 123   Feito
  • Arquivar as fontes, para evitar futuros links quebrados.
  • Predefinição:Navbox (erro de codificação)   Feito

Layout é sofrívelEditar

  • Reposicionar ou apagar imagens, eliminando: alguns trechos o texto é espremido por uma porção de imagens que invadem o verbete   Feito
  • Melhorar lista ou criar tabela para Cidades-irmãs   Feito

Ainda precisa melhorar. O artigo tem 37 imagens e olha que já cortei uma 4 ou 5. Isto atrapalha em demasiado o leiaute. Por mim, podemos tirar com tranquilidade as imagens do Brasão, a Lagoa Rodrigo de Freitas, Barra da Tijuca (boiando completamente ali, nada a ver com texto da secao), avenida Rio branco, uma rua em campo grande (provavelmente a casa de quem carregou a imagem...hehehe), a da bovespa, o taxi e as criancas jogando bola. Desculpem nao identificar melhor as imagens e por favor abram uma discussao mais abrangente para cada uma se for o caso. Como eh soh cortar, imagino que nao atrapalhe a resolucao dos problemas. Quem concordar, navalhe e vamos discutindo as que ficarem. Meu ponto eh que as imagens devem ser utilizadas para enriquecer visualmente o artigo no sentido de caracterizar a cidade. As imagens que coloquei ai podem servir para a maioria das cidades, acho. Ou devem ilustrar alguma coisa dita na secao como eh o caso dos policiais do BOPE subindo o morro.OTAVIO1981 (discussão) 21h34min de 1 de outubro de 2012 (UTC)

Apaguei: Brasão, Lagoa Rodrigo de Freitas, Barra da Tijuca, Rua de Campo Grande e táxi típico.--HTPF (discussão) 21h34min de 5 de outubro de 2012 (UTC)
Troquei as crianças jogando bola pelo parque aquático maria lenk que tem mais representatividade. Acho que ficou melhor.OTAVIO1981 (discussão) 22h31min de 5 de outubro de 2012 (UTC)

Reescrever ou criarEditar

Obs: Relação copiada para a página de "tentativa de consenso", para ser discutida e consensada.--HTPF (discussão) 22h54min de 19 de setembro de 2012 (UTC)

Não houve consenso, portanto a lista abaixo deve ser ignorada como tarefas a serem executadas até que a discussão evolua.--HTPF (discussão) 20h59min de 20 de setembro de 2012 (UTC)

Ligações vermelhasEditar

Obs:Criar artigos

(Relação de tarefas a ser completada) --HTPF (discussão) 23h19min de 16 de setembro de 2012 (UTC)

Obs: Favor utilizar esta página melhorias e correções a serem feitas no artigo, após "tentativa de consenso" em "Comentários e sugestões".

sem querer ser chato mas ja sendo é preciso procurar uma fonte para estas estatísticas pois pesquisei e não encontrei. Ou então tirar a tabela para dar uma resumida na seção visto que existe um AP para esmiuçar este detalhe.OTAVIO1981 (discussão) 21h18min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
Se os artigos dos censos forem ficar q nem o Censo demográfico de 1900 no Brasil nem precisa ter um artigo para cada censo, melhor juntar tudo em Censo demográfico no Brasil. E por outro lado, se for para desenvolver bem o artigo não vai acabar ficando similar a um Demografia do Brasil por ano? De todo jeito, existindo uma seção específica para cada ano no Censo demográfico no Brasil então é possível simplesmente fazer o redirect para essa seção e desenvolver inicialmente ali um texto introdutório do que for relevante falar do censo daquele ano. Ao menos os artigos de censo acho dispensável para o entendimento do assunto pq o q precisa para entender o contexto já está escrito lá, então esses sou contra exigir o azulamento. Rjclaudio msg 21h32min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
Bem, esta proposta é boa mas é para outro artigo. Não que discorde, mas não podemos perder o foco portanto concordo que a azular aquilo ali não é obrigatório sendo até possível discutir a remoção. off-topic: Demografia da cidade do Rio de Janeiro padece do mesmo mal que havia em Geografia da cidade do Rio de Janeiro e consegui arrumar. Acho que o processo é o mesmo, enxugar os detalhes aqui em virtude de constarem no artigo principal.OTAVIO1981 (discussão) 21h37min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
Só estava querendo dizer q não é necessário criar esses artigos e azular os links. O resto é detalhe mesmo. Rjclaudio msg 21h41min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
Tb acho dispensável ter artigo para Província de Ramallah e Al-Bireh. O foco ali são as cidades irmãs, já tem link azul para o país e para a cidade então o leitor já tem tudo o que ele precisa para entender a informação. O próprio artigo da cidade já tem algo básico sobre em que lugar do país que a cidade está.
Flumitrens e Estrada de Ferro Melhoramentos do Brasil tb acho dispensável pq o foco do texto é que os ramais pertenceram a grandes empresas brasileiras, não é necessário entrar no artigo de cada uma para entender isso. Mas apesar de achar dispensável nesse caso não serei contra q se exija artigo para essas duas já que podem considerar útil saber mais informações e o pq dessas empresas serem importantes nacionalmente. Rjclaudio msg 21h41min de 20 de setembro de 2012 (UTC)


Ligações internasEditar

Vou colocar aqui as seções que já revisei a questão das ligações internas.

  1. História  Feito
    1. Colonização portuguesa e invasões estrangeiras  Feito
    2. Vinda da corte portuguesa e período imperial  Feito
    3. Período republicano  Feito
  2. Geografia   Feito
    1. Clima  Feito
    2. Parques, espaços públicos e meio ambiente  Feito
  3. Demografia  Feito
    1. Composição étnica  Feito
    2. Imigração e migração  Feito
    3. Religião  Feito
      1. Cristianismo  Feito
      2. Contrastes socioeconômicos  Feito
  4. Política  Feito
    1. Cidades-irmãs  Feito
    2. Empresas públicas ou de economia mista  Feito
    3. Autarquias municipais  Feito
  5. Subdivisões  Feito
  6. Economia  Feito
    1. Composição do PIB  Feito
    2. Setores em destaque  Feito
  7. Estrutura urbana  Feito
    1. Saúde  Feito
    2. Educação e ciência  Feito
    3. Segurança, violência e criminalidade  Feito
    4. Transportes  Feito
  8. Cultura  Feito
    1. Literatura  Feito
    2. Música  Feito
    3. Eventos e espaços culturais  Feito
    4. Esportes  Feito
      1. Futebol  Feito
    5. Feriados  Feito

Caixas de navegaçãoEditar

Ver Citação: Rjclaudio escreveu: «em um outro problema. Qnd usei o 'mostrar previsão' apareceu essa mensagem: 'Aviso: O tamanho de inclusão de predefinições é demasiado grande, algumas predefinições não serão incluídas.' O último bloco de navegação não está sendo exibido, temos que rever essas navboxes, sempre achei que tem navbox demais nesses artigos de localidades. Rjclaudio msg 11h48min de 16 de setembro de 2012 (UTC)» na discussão do artigo pois acho que não foi incluído na lista de afazeres. Esta é fácil de resolver.OTAVIO1981 (discussão) 21h23min de 20 de setembro de 2012 (UTC)

Sendo prático, vou retirar as caixas de navegação que não contém um link para o artigo e vamos discutindo os excessos ali.OTAVIO1981 (discussão) 12h53min de 27 de setembro de 2012 (UTC)

Ficou melhor e eliminou o erro de codificação. Inverti a ordem das barras de navegação.--HTPF (discussão) 23h52min de 27 de setembro de 2012 (UTC)

Divisao da secao historia e peso indevidoEditar

Prezados, como mais olhos estao avaliando o trabalho que esta sendo feito creio ser importante aproveitar a oportunidade e avaliar o texto que foi incluido apos 2008 durante a EAD. Acho pertinente dividirmos a ultima secao da historia em "Atualidades" para contemplar o que de mais recente acontece aqui (copa, olimpiadas, etc) e deixar o restante como sendo algo mais "estatico". Imagino que o ponto de corte seja o Pan de 2007 que eh passado e digno de nota na historia da cidade. Outro ponto que gostaria de ressaltar eh o peso indevido de "Entre a noite de sábado, 20 de novembro, até o dia 27 de novembro de 2010, sucederam-se na Região Metropolitana do Rio de Janeiro vários atos de violência organizada. Durante os ataques e depois, durante as operações, registrou-se que pelo menos 181 veículos teriam sido incendiados pelos criminosos. Nesse período, ocorreram ainda 39 mortes, cerca de duzentas detenções para averiguação e quase setenta prisões.[30][31] No dia 25 de novembro, deu-se a maior ofensiva da Polícia Militar do Rio de Janeiro, com seu Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) atuando ao lado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, encabeçada pela Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e em parceria com o Corpo de Fuzileiros Navais, que disponibilizou seis blindados e um grupamento de fuzileiros navais da mesma unidade para apoio logístico da operação, que resultou na ocupação do território da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, regiões da cidade que até então estava em poder dos narcotraficantes do Comando Vermelho.[32]" que esta bem longe de fazer parte da historia da cidade. Foi um fato isolado, talvez digno de nota na secao criminalidade mais ali tomando mais espaco que a copa e a olimpiada tah com o peso indevido.AbsOTAVIO1981 (discussão) 21h41min de 1 de outubro de 2012 (UTC)

Concordo, está com Peso indevido, mt grande para pouca coisa. Isso até seria importante na seção de criminalidade, como parte da história dos crimes na cidade. Mas na história geral da cidade foi algo isolado. Se esse fato teve grandes consequencias e mudanças na cidade aí ele pode ficar ali e fazer a ligação do evento com as mudanças.
Concordo com a divisão criando a seção atualidades, mais fácil de saber que aquela parte fala de eventos relativamente recentes. A divisão no Pan2007 parece apropriada. Rjclaudio msg 22h00min de 1 de outubro de 2012 (UTC)

Consolidação do que ainda precisa ser feitoEditar

Admito que me perdi na lista aí em cima. Tirando o último tópico da seção história, falta mais o que?OTAVIO1981 (discussão) 22h33min de 5 de outubro de 2012 (UTC)

Eu não percebo exatamente o que tem de melhorar na parte de subdivisões. Já da um resumo bom do assunto e indica o artigo principal. Em comparação com outros artigos destacados o que percebo faltar é a predefinição com bairros. Seria isto ou alguém tem mais alguma coisa a acrescentar?OTAVIO1981 (discussão) 19h45min de 8 de outubro de 2012 (UTC)
Eu reescrevi Subdivisões, mas o trecho ainda é curto. Parece-me que ainda falta criar algumas seções. Depois eu olho. Tiago Abreu 20h37min de 8 de outubro de 2012 (UTC)

Encerramento do processoEditar

Prezados,

Imagino que este assunto caiu no esquecimento da maioria que se envolveu por aqui e creio que dificilmente avançaremos para algum lugar. Pretendo na próxima semana encerrar o processo, mesmo tendo participado, pois aberto em indefinido também não pode ficar. Meu entendimento é que o status pode ser mantido mediante a correção dos problemas apontados, nesta mesma discussão. Já acompanhei muitas EADs e observo que os editores reavaliam seus votos mediante estas correções e aqui, implicitamente houve aceitação destas correções pois posteriormente não foram objetados novamente. Os outros problemas apontados foram feitos em último momento e não tiveram ligação com os inicialmente apontados. Novamente fazendo um paralelo com as EADs, um artigo pode ser elevado a destaque mesmo com problemas apontados de última pois ao que me consta, não lembro de ser uma pratica comum anulação de votos na EAD (embora seja permitido). O mérito destes problemas apontados no último instante foi avaliado mas não percebo um consenso claro em relação ao assunto. Problemas na dinâmica também foram apontados e sem uma solução formalizada. Caso não houver comentários contra, procederei com o arquivamento na próxima segunda. Abs, OTAVIO1981 (discussão) 21h03min de 17 de dezembro de 2012 (UTC)

Também argumentei que para mim, que participei do processo ainda não é completo para ser artigo destacado, mas sim despromovido à artigo bom. Tiago Abreu 12h11min de 18 de dezembro de 2012 (UTC)
O artigo foi promovido a destaque basicamente com este texto e suas novas considerações foram de último momento. Se fosse uma votação, manteria o destaque. Além disso, volta a questão de sempre ter algo por fazer no artigo que seria impeditivo ao destaque e toda revalidação removeria o destaque. Infelizmente o processo de RAD precisa ser melhorado para dar flexibilidade quando houver um interessado a arrumar o artigo e não dar pressa a qualidade em 30 dias.OTAVIO1981 (discussão) 17h42min de 18 de dezembro de 2012 (UTC)
"Se fosse uma votação, manteria o destaque." - não sei dizer, é capaz de erros levantados nos últimos momentos de uma votação faça com que os votantes mudem de ideia nos últimos momentos. É capaz tb de aparecer novos votantes q concordem com os erros apontados nos últimos momentos. Não dá para prever como seria se fosse uma votação.
Eu ainda não concordo em encerrar como tendo consenso para manter o destaque, pq não teve consenso, há problemas apontados mesmo q seja no final. Até em uma PE por consenso argumentos nos últimos minutos são considerados, e nas PES tb há um bom espaço para subjetividade. Na escolha dos anexos destacados tb se considera argumentos nos últimos minutos, ou não? Enquanto as regras não falarem que esse tipo de argumento deve ser desconsiderado, ou que há um prazo máximo para se apresentar novos problemas (e na verdade os 30 dias são pro prazo para se considerar os argumentos dados, e não o prazo para apresentar argumentos), ou que argumentos dados no final precisam necessariamente ter alguém falando que concorda (se é consenso não devia ser necessário ir alguém lá colocar 'concordo' pro argumento ser válido), enfim, enquanto as regras não derem tratamento especial, é válido.
Se isso significa que todos os processos de revalidação vão necessariamente tirar o destaque pq sempre vai ter alguém contra e sempre vai ter algo de errado, aí é um problema do processo de consenso na revalidação, mas como a revalidação já é bem antiga esse problema não é novo. Isso é um argumento para ser contra o processo atual de revalidação, e um bom argumento para se propor uma mudança, mas até que uma mudança seja feita vale as regras atuais. Não é pq discordo das regras e/ou que achei erros nelas q não vou segui-la. Seria o mesmo q alguns usuários apontarem as falhas na PE por consenso e usarem isso para cancelar ou mudar o resultado das PEs querendo ignorar argumentos dados nos últimos instantes e que levaram a eliminação / manutenção do artigo.
Eu sou a favor de encerrar removendo o destaque e passando para bom, conforme manda as regras. Mas se isso não for possível, ao invés de manter a situação atual deixando o processo aberto ad infinito, prefiro que seja fechado como inconclusivo, ou fechamento controverso, ou qualquer outra coisa do tipo que não fale q o destaque foi mantido, indicando q houve consenso pq consenso não houve.
Rjclaudio msg 14h44min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)
Bem, as novas considerações foram apresentadas na última hora por isso fiz um comparativo com as votações e presumi que dificilmente alguém veria isto e participasse. Mas como não estamos praticando a futurologia, vamos nos ater ao presente. Que as regras estão mal formuladas, acho que é ponto pacífico restando saber se alguém vai interessar em melhorá-las. Sobre passar para bom ao que parece o HTPF se posicionou contra e teve manifestações para manter o destaque como se fosse votação o que leva a situação de não ter consenso nem para isso e o artigo perder o destaque de AD e AB. Aliás, o consenso aqui na RAD será isso então: a busca de soluções intermediárias através de cedências? A propósito estou indiferente a qualquer desfecho e me incomoda mais as regras ruins que levaram a tamanha demora na conclusão.OTAVIO1981 (discussão) 15h54min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)
Onde as regras dizem q é preciso ter consenso para fechar como AB e perder o status de AD? A regra diz q basta não haver consenso para AD q não será AD, e não sendo AD a regra diz q basta ter consenso q o artigo cumpre os critérios de AB para ser AB (e creio q haja consenso, ninguém disse q não cumpre AB, alguns dizem até q está até melhor q os critérios de AB).
Tb me preocupo mais com as regras. O que não dá é manter o destaque sempre que alguém discordar q algo seja um problema tornando o processo uma verdadeira perda de tempo já que alguém sempre (ou quase sempre) vai achar q não é problema. E tb não dá para remover o AD sempre q alguém achar q é um problema, tornando um processo uma arma (mau uso) para retirar qualquer destaque. E tb não dá para remover o destaque sempre q uma crítica de última hora for feita e não houver tempo para discutir sobre a crítica.
Eu deixo três opções para resolvermos isso: 1. Acabar com a revalidação até decidir isso. 2. Passar a decidir a revalidação por votação até se resolver isso. 3. (menos preferida) Seguir as regras atuais até se resolver isso (e transformar o artigo em AB). Rjclaudio msg 16h33min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)
As regras dizem que se não tem consenso o status AD é removido, ok. Pedi para que o HTPF se manifeste aqui pois é fundamental saber o que ele pensa de deixar como AB. O que eu havia entendido era que ele não concordava com o rebaixamento de status nem sequer para AB (daí disse que não tem consenso) mas só ele para colocar um ponto final neste ponto. Pelo interpretação das regras, tudo indica que vá ficar como AB mas o processo está muito ruim pelo que você expôs e eu concordo. Acho que a opção a ser aplicada é a dois mesmo, até porque as próprias regras já confundem chamando de votação e muitos tratam desta forma. No final das contas, estes consensos na revalidação são "para inglês ver" mesmo.OTAVIO1981 (discussão) 17h57min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)
Se ele defendia q era para manter o status de AD então ele defendia q o artigo cumpre os critérios para AD. Se cumpre os critérios para AD tb cumpre os critérios para AB. Se cumpre os critérios para AB então ele defende q o artigo está apto para ser AB (além de estar apto para ser AD). Se todos concordam q ele está apto para ser AB, há consenso q ele está apto a ser AB. Não havendo consenso q o artigo está apto para ser AD mas havendo consenso q está apto para ser AB, então o resultado é AB. Não vejo o q mais o HTPF pode falar, além de voltar a dizer q prefere q seja AD ao invés de AB. Rjclaudio msg 18h06min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)

WP:Esplanada/propostas/Transformar revalidação em votação (4jan2013). Rjclaudio msg 18h20min de 4 de janeiro de 2013 (UTC)

Voltar à página de projeto "Revalidação/Rio de Janeiro (cidade)".