Álvaro III do Congo

Álvaro III (1595 - 1622) foi o manicongo do Reino do Congo de 20 de agosto de 1622 até sua morte em 5 de maio de 1622.[1]

Álvaro III
Manicongo
Rei do Congo
Reinado 20 de agosto de 1615 - 5 de maio de 1622
Antecessor(a) Bernardo II
Sucessor(a) Pedro II
 
Nascimento 1595
Morte 5 de maio de 1622 (27 anos)
Nome completo Álvaro Nimi Ampanzu
Filho(s) Ambrósio
Álvaro IV
Religião Catolicismo

BiografiaEditar

Nascido em 1595 foi filho de Álvaro II e neto de Álvaro I. Apesar de ter sido declarado herdeiro, seu trono foi usurpado por seu tio D. Bernardo II após a morte de seu pai. Ele ascendeu ao trono com um golpe de Estado contra seu tio que reinava ilegitimamente. Teve o apoio de seu sogro D. Antônio da Silva, Duque de Umbamba.

Após sua ascensão o rei enfrentou uma reivindicação de seu meio-irmão, D. Félix, governador da província de Umbamba que exigiu o título Grão Duque de Umbamba, posição que lhe daria mais poder e autonomia na região. Álvaro se negou a ceder tal título e travou uma guerra contra seu irmão até sua morte em 1620.

O rei Álvaro III foi totalmente contra a dominação holandesa em Luanda e no Congo, conseguindo expulsar os invasores da foz do Rio Congo por um tempo. Faleceu prematuramente em 5 de maio de 1622 com apenas 27 anos de idade. Devido a minoridade de seus filhos D. Ambrósio e D. Álvaro, o Conselho Real do Reino do Congo apontou D. Pedro Ancanga como novo rei. Interrompendo assim a Dinastia Coulo por alguns anos. [2]

Referências