Ogedai Khan

(Redirecionado de Ögedei)

Ogedai, Oguedai[1] ou Ogodai[2] (em mongol: Өгэдэй; romaniz.: Ögedei; 1185 - Caracórum, 1241) foi o terceiro do Império Mongol, após seu irmão Tolui (r. 1227–1229), de 1229 a 1241. Foi o primeiro, no entanto, a adotar o título de grão-cã. Era filho de Gêngis (r. 1206–1227), fundador do Império Mongol.[3]

Ogedai Khan
Retrato de Oguedai produzido durante a dinastia Iuã, hoje abrigado no Museu do Palácio Nacional em Taipé, Taiuã
Grão-cã do Império Mongol
Reinado 1229-1241
Antecessor(a) Tolui Cã
Sucessor(a) Toreguene Catum (regente)
 
Cônjuge Toreguene Catum
Descendência Guiuque Cã
Nascimento 1185
Morte 1241
  Caracórum
Pai Gêngis Cã

VidaEditar

Oguedai nasceu em 1185 e era filho de Gêngis Cã (r. 1206–1227), o fundador do Império Mongol. Em 1229, sucedeu o seu irmão Tolui Cã (r. 1227–1229) como , mas adotaria o título de grão-cã. Estabeleceu a sua base no rio Orcom, onde fundou Caracórum. Tal como seu pai, conduziu várias campanhas simultaneamente ao usar vários generais que agiram independentemente, mas estiveram sujeitos a suas ordens. No Oriente, atacou o nortista Império Jim (1115–1234) com ajuda do sulista Império Songue (960–1279), que desejava recuperar territórios perdidos. A aliança permitiu a captura da capital Jim de Caifengue em 1234. A pedido de Ielu Chucai, não arrasou o norte da China à mongol, e com isso preservou a riqueza e habilidade dos habitantes.[3]

No Ocidente, Oguedai enviou exércitos ao planalto Iraniano, Iraque Árabe (sul da Mesopotâmia) e Rússia de Quieve. Em 1240, após o Saque de Quieve, a resistência russa ruiu. Em 1241, os mongóis derrotaram os forças do Reino da Polônia e Sacro Império Romano-Germânico na Batalha de Legnica e então o Reino da Hungria na Batalha de Mohi. Isso lhes permitiu atravessar o território da Hungria e alcançar o mar Adriático. Essa campanha, no entanto, foi interrompida pela morte de Oguedai devido a problemas de alcoolismo.[3] A evidência dendrocronológica tem apontado, por sua vez, que o inverno de 1241-42 na Hungria foi particularmente rigoroso, levando ao fim da expedição.[4] Seja como for, a viúva de Oguedai, Toreguene, assumiu o papel de regente até 1246, quando cedeu o trono a seu filho mais velho Guiuque Cã.[3]

DescriçãoEditar

As fontes contemporâneas descreveram Oguedai como homem severo e enérgico, amante de bebedeiras e lascívia.[3]

Referências

BibliografiaEditar

  • Carpini, João de Pian del; Rubruquis, Guilherme de; Montecorvino, João de; Pordenone, Odorico de (2005). Crônicas de viagem: franciscanos no Extremo Oriente antes de Marco Polo (1245-1330). Traduzido por Silveira, Ildefonso; Pintarelli, Ary E. Porto Alegre e Bragança Paulista: EDIPUCRS 
  • Vicente, Luiz Rafael Xavier (2004). «As Relações Político-Religiosas entre o Império Mongol e a Europa Ocidental em meados do século XIII: Missionários Franciscanos no Oriente». Revista Vernáculo (11/12/13)