AMC Networks

empresa Americana de entretenimento

AMC Networks Inc. é uma empresa americana de entretenimento com sede no 11 Penn Plaza, Nova Iorque, que possui e opera os canais a cabo AMC (sua marca de mesmo nome), IFC, We TV e Sundance TV; o cinema de arte IFC Center na cidade de Nova Iorque; as empresas cinematográficas independentes IFC Films e RLJE Films; e os serviços de streaming de assinatura premium AMC+, IFC Films Unlimited, Acorn TV, Allblk, Shudder e Sundance Now. A empresa atua na Europa e América Latina por meio de sua divisão internacional, AMC Networks International.

AMC Networks Inc.
Nome(s) anterior(es) Rainbow Media Holdings (1980–2011)
Atividade Conglomerado de mídia
Fundação 1980; há 41 anos
Sede Nova Iorque, Nova Iorque,  Estados Unidos
Proprietário(s) Família Dolan (67% do controle)[1]
Pessoas-chave Charles Dolan
(Executivo)
Josh Sapan
(Presidente, CEO)
Empregados 2.197 (fevereiro, 2014)
Marcas
Divisões AMC Networks International
Subsidiárias IFC Films
RLJE Films
Receita Lucro US$2,971 bilhões (2018)
Lucro Lucro US$726 milhões (2018)
Renda líquida Lucro US$446 milhões (2018)
Website oficial www.amcnetworks.com

Por meio de joint ventures com a BBC Studios, a empresa administra os canais a cabo BBC America e BBC World News nos Estados Unidos. Devido a esse relacionamento, a AMC Networks mantém adicionalmente uma participação minoritária nas operações americanas do serviço de streaming de TV britânica BritBox, uma joint venture entre a BBC e a ITV.

A empresa foi originalmente lançada em 1980 e anteriormente conhecida como Rainbow Media Holdings, LLC (ou alternativamente Rainbow Programming Holdings), uma subsidiária da Cablevision, mas foi desmembrada como uma empresa de capital aberto em julho de 2011. A empresa é de propriedade e controle majoritários pela família Dolan.

HistóriaEditar

Rainbow Media HoldingsEditar

Quando a Rainbow Media Holdings foi formada em meados de 1980, originalmente era uma joint venture de quatro empresas de televisão a cabo: Cablevision, Comcast, Cox Communications e Daniels & Associates. O serviço híbrido, que transmitia via satélite da National Christian Network, apresentava eventos culturais da Bravo nas noites de domingo e segunda-feira e a rede de filmes B voltada para adultos pelo resto da semana.[2] Devido ao envolvimento das quatro empresas de cabo, o novo serviço conquistou assinantes rapidamente. Em agosto de 1981, a Playboy Enterprises tornou-se metade-proprietária do canal Escapade e introduziu um novo bloco de programação para o canal no início de 1982. No final daquele ano, a rede seria relançada como The Playboy Channel.[3][4] Nos anos que se seguiram, as três outras empresas de cabo sairiam da parceria, deixando a Cablevision como a única proprietária da Rainbow em 1983. Em 1984, a Rainbow adicionou outra nova rede ao seu portfólio, American Movie Classics (AMC), que inicialmente apresentava filmes "clássicos" anteriores a 1970. A Cablevision começou a empacotar AMC e Bravo juntos como o Serviço Rainbow. Perto do final de 1984, a CBS e a Cablevision anunciaram um acordo para que a CBS assumisse 50% da propriedade do Serviço Rainbow e do marketing da Rainbow, mas empresas se separaram um ano depois.

Por meio de uma série de transações, começando em 1997, a participação da NBC foi finalmente reduzida.[5] Em 2002, a Cablevision vendeu sua participação na Bravo para a NBC e, como parte do negócio, a NBC cedeu sua participação de 20% na Rainbow. Em 2005, a Cablevision considerou cindir sua subsidiária de conteúdo Rainbow Media como uma empresa de capital aberto e tornar seu negócio principal de cabo privado, mas retirou o plano. Em janeiro de 2007, sem nenhuma palavra sobre se a privatização seria aprovada, a Liberty Media expressou interesse em adquirir a Rainbow Media da Cablevision.[6] Em junho de 2008, a Rainbow adquiriu o Sundance Channel da NBCUniversal, CBS e Robert Redford.[7] A Rainbow Media também possuía a Wedding Central, que foi fechada no mesmo dia em que a AMC Networks se tornou pública.[8]

AMC NetworksEditar

Em 10 de março de 2011, a Cablevision, conforme aprovado por seu conselho em 16 de dezembro de 2010, anunciou que a Rainbow Media seria separada como uma empresa de capital aberto com o nome AMC Networks, no final de 2011 e, como dito em 2005, fazendo seu núcleo de negócio em transmissão de conteúdos via a cabo. O ex-presidente da Rainbow Media, Josh Sapan, atua como presidente e executivo-chefe da AMC Networks[9], que se tornou pública em 1º de julho de 2011.[10]

Em 28 de outubro de 2013, a AMC Networks anunciou que iria adquirir a maior parte da Chellomedia, uma operadora internacional de redes de cabo, da Liberty Global por cerca de US$ 1,04 bilhão. A aquisição não incluiu a Chello Benelux, proprietária da Film1 e Sport1.[11] Em 2 de fevereiro de 2014, a transação foi concluída passando a se chamar AMC Networks International e permitirá que a AMC Networks distribua sua programação em todo o mundo.[12][13]

 
Logo da empresa de 2013 a 2020.

Em 23 de outubro de 2014, a AMC confirmou que comprou uma participação de 49,9% da BBC America, com a BBC Studios mantendo o restante da rede.[14] A joint venture também dará à AMC, que distribui o canal BBC World News nos Estados Unidos, o controle operacional na BBC America, que será administrado isoladamente dos outros canais da AMC.[15][16][17]

Em 2019, a AMC Networks e a emissora pública da Nova Zelândia TVNZ firmaram um acordo para produzir conjuntamente The Dead Lands, uma série sobrenatural com tema maori ambientada na Nova Zelândia pré-contato. A série foi distribuída pelo serviço de streaming da AMC, Shudder, nos EUA, Canadá, Reino Unido e Irlanda e pela TVNZ On Demand na Nova Zelândia.[18][19] No início de 2020, a AMC Networks envolveu o Switzer Group para liderar o redesenho de sua sede de dez andares em 11 Penn Plaza, Nova York.[20] Em setembro de 2020, o presidente executivo Charles Dolan se aposentou de seu cargo, passando a ocupar o cargo de presidente emérito. Seu filho, James L. Dolan, foi então nomeado presidente da AMC Networks.[21]

Modelo de negóciosEditar

Em 2020, a empresa dependia dos programas de televisão que produz e possui, incluindo Mad Men, Breaking Bad, The Walking Dead e Better Call Saul.[22]

Canais principaisEditar

Serviços de streaming premiumEditar

  • Acorn TV [23]
  • AMC+
  • BritBox (participação minoritária)
  • IFC Films Unlimited
  • Shudder
  • Sundance Now
  • UMC
  • WEtv+

OutrosEditar

  • MiTú (investimento)
  • Levity Live (participação majoritária) [24]

Antigos canaisEditar

Referências

  1. Lieberman, David; Lieberman, David (15 de agosto de 2012). «AMC Networks Reports Big Stock Sale By Charles Dolan». Deadline (em inglês). Consultado em 7 de janeiro de 2021 
  2. «MSO's look for a pot of gold in new Rainbow» (PDF). Broadcasting Magazine: 66–68. 15 de dezembro de 1980 
  3. «Cable TV 'skin' competition gets hot» (PDF). Broadcasting Magazine. 24 de agosto de 1981. Consultado em 26 de abril de 2021 
  4. Sandra Salmans (15 de março de 1983). «PLAYBOY'S HOPES IN CABLE TV». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 12 de outubro de 2017 
  5. «NBC consolidates its Rainbow stake» (PDF). Broadcasting Magazine: 86–87. 7 de abril de 1997. Consultado em 27 de abril de 2021 
  6. Stelter, Brian (18 de junho de 2008). «Cablevision Buys Sundance». The New York Times. Consultado em 28 de abril de 2021 
  7. Stelter, Brian (18 de junho de 2008). «Cablevision Buys Sundance». The New York Times. Consultado em 28 de abril de 2021 
  8. Umstead, Thomas (8 de julho de 2011). «AMC Networks Divorces Wedding Central». Multichannel News. Consultado em 24 de outubro de 2014. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2013 
  9. James, Meg (10 de outubro de 2011). «Cablevision moves forward with spinoff of AMC Networks». Los Angeles Times. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  10. Lieberman, David (30 de junho de 2011). «AMC Networks Goes Public With Hot Shows, And Analysts Looking for a Sale». Deadline Hollywood. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  11. Chatterjee, Soham (28 de outubro de 2013). «AMC to buy most of Liberty Global's international content unit». Reuters. Consultado em 28 de outubro de 2013 
  12. The Deadline Team (2 de fevereiro de 2014). «AMC Networks Completes Acquisition of Liberty Global's Chellomedia». Deadline Hollywood. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  13. Molloy, Tim (3 de fevereiro de 2014). «AMC Networks Completes Chellomedia Purchase for $1 Billion». TheWrap (em inglês). Consultado em 7 de janeiro de 2021 
  14. «AMC Networks and BBC Worldwide Enter Partnership». BBC America. 23 de outubro de 2014. Consultado em 23 de outubro de 2014. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2014 
  15. Lieberman, David (23 de outubro de 2014). «AMC Networks Pays $200M For 49.9% Of BBC America». Deadline Hollywood. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  16. Steinberg, Brian (23 de outubro de 2014). «AMC Networks To Operate BBC America After $200M Investment». Variety. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  17. Szalai, Georg (23 de outubro de 2014). «AMC Networks, BBC America Deal Is About Premium Content, Executives Say». The Hollywood Reporter. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  18. Collis, Clark (5 de dezembro 2019). «The newly deceased hunt the living in trailer for Shudder TV's The Dead Lands». Entertainment Weekly. Consultado em 31 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 2 de março de 2020 
  19. Webb-Liddall, Alice (24 de janeiro de 2020). «How The Dead Lands hopes to change New Zealand television». The Spinoff. Consultado em 4 de abril de 2020. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2020 
  20. «Switzer Group leads multi-phase build out for AMC Networks: Redesign and restack its 10-floor corporate headquarters». nyrej.com (em inglês). Consultado em 6 de abril de 2021 
  21. «MSG CEO James Dolan Replacing Dad as Chairman of AMC Networks». Consultado em 19 de outubro de 2021 
  22. «AMC Growth Could Be Stunted by Weak Ad Demand, Lowering Fair Value Estimate to $52». analysisreport.morningstar.com. Consultado em 11 de abril de 2020 
  23. «AMC NETWORKS' STREAMING SERVICE ACORN TV SURPASSES MAJOR MILESTONE – ONE MILLION SUBSCRIBERS». www.amcnetworks.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  24. «AMC Networks Buys Majority Stake in Comedy Venue Operator Levity Live». The Hollywood Reporter 
  25. Romano, Allison. "NBC Puts Its Stamp on Bravo." Broadcasting and Cable. 17 de fevereiro de 2003.
  26. «AMC Networks Takes Minority Stake in Funny or Die, Plans Integrations With IFC». Variety 
  27. Romano, Allison (8 de abril de 2003). «MuchMusic rebrands as Fuse». Broadcasting & Cable. Consultado em 5 de abril de 2021 
  28. «NUVOtv PARENT COMPANY SÍTV MEDIA COMPLETES ACQUISITION OF FUSE NETWORK FROM THE MADISON SQUARE GARDEN COMPANY» (PDF). Consultado em 7 de janeiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 6 de setembro de 2014