Abrir menu principal

Circuito Mundial Masculino de Surfe

Evento esportivo
(Redirecionado de ASP World Tour)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Circuito Mundial Masculino de Surfe[1][2][3][4] (em inglês: WSL Men's Championship Tour, World Men's Championship Tour, WCT, ASP World Tour) é uma competição internacional de surfe profissional organizado anualmente pela Liga Mundial de Surfe (em inglês: World Surf League, WSL) e é uma liga profissional de surfe.[5] Era organizada pela Associação dos Surfistas Profissionais (em inglês: Association of Surfing Professionals, ASP).[6] Corresponde à divisão de elite mundial e começou em 1992, quando a ASP decidiu dividir o Circuito Mundial em duas divisões: WCT e WQS. O australiano Peter Townend foi o primeiro a vencer a competição, quando este já era unificado, em 1976.

RegulamentoEditar

No WCT competem apenas os 36 melhores surfistas do mundo, seguindo este critério de classificação:

  • Os 22 primeiros colocados no ranking ao fim da temporada asseguram a permanência para o ano seguinte.
  • 2 surfistas recebem os “injury card”, ou seja, convites, por terem se machucado e, com isso, terem ficado de fora de algumas etapas.
  • 10 surfistas se classificam através do ranking do circuito acesso, o WQS.
  • 2 surfistas locais são convidados através do "wild card".

Durante alguns anos, foi criada a "Etapa Móvel", em que um ex-militar francês viaja o mundo todo em busca de ondas perfeitas; a que ele selecionar, irá ser uma atração do WCT, mas só em uma temporada. Para 2007 foi escolhida Arica, no Chile.

CampeõesEditar

EtapasEditar

Etapas brasileirasEditar

AnosEditar

Vitórias Brasileiras no MasculinoEditar

Os brasileiros sempre estiveram marcando presença no Circuito Mundial de Surf. Mas até 1989, no Circuito Masculino, o Brasil só tinha duas vitórias em etapas do circuito, as duas no Arpoador, no Rio de Janeiro, no Waimea 5000, competição pioneira em levar os maiores surfistas do mundo ao Brasil, que fazia parte do circuito mundial organizado na época pela International Professional Surfing (IPS).

É nos Anos 1990, com uma nova geração de surfistas brazucas que as vitórias começam a acontecer com mais frequência. A maior sequência de vitórias acontece nos Anos 2010, com o estouro do que o circuito mundial batizou como Brazilian Storm (a Tempestade Brasileira), eclodindo no título mundial de Gabriel Medina em 2014, seguido pelo título de Adriano de Souza, o Mineirinho, em 2015, temporada que teve vitórias brasileiras em 6 etapas do circuito.

# Ano Campeão Vice Etapa do Circuito
1 1976   Pepê Lopes   Jeff Crawford   Waimea 5000, Arpoador, Rio de Janeiro
2 1977   Daniel Friedmann   Pepê Lopes   Waimea 5000, Arpoador, Rio de Janeiro
3 1990   Fábio Gouveia   Matt Hoy   Hang Loose Pro Contest, Praia das Pitangueiras (Guarujá), São Paulo
4 1991   Fábio Gouveia   Martin Potter   Arena Surfmasters, Biarritz
5 1991   Flávio "Teco" Padaratz   Sunny Garcia   Rio Pro, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
6 1991   Fábio Gouveia   Matt Hoy   World Cup, Sunset Beach, Oahu
7 1992   Fábio Gouveia   Jeff Booth   Marui Pro, Chiba
8 1994   Flávio "Teco" Padaratz   Kelly Slater   Rip Curl Pro Landes, Soorts-Hossegor
9 1994   Ricardo "Tatuí" Aguiar   Jeff Booth   Arena Surfmasters, Biarritz
10 1995   Victor Ribas   Todd Holland   Gotcha Lacanau Pro, Lacanau
11 1998   Peterson Rosa   Michael Campbell   Rio Pro, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
12 1999   Percy "Neco" Padaratz   Fábio Gouveia   Gotcha Pro, Huntington Beach, Califórnia
13 2002   Percy "Neco" Padaratz   Andy Irons   Quiksilver Pro, Soorts-Hossegor
14 2008   Bruno Santos   Manoa Drollet   Billabong Pro Teahupoo, Teahupo'o, Tahiti
15 2009   Adriano de Souza   Chris Davidson   Billabong Pro Mundaka, Mundaca, Biscaia
16 2010   Jadson André   Kelly Slater   Imbituba, Santa Catarina
17 2011   Adriano de Souza   Taj Burrow   Rio Pro, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
18 2011   Gabriel Medina   Julian Wilson   Quiksilver Pro, Soorts-Hossegor
19 2011   Adriano de Souza   Kelly Slater   Rip Curl Pro, Peniche
20 2011   Gabriel Medina   Joel Parkinson   Rip Curl Search, San Francisco
21 2013   Adriano de Souza   Nat Young   Rip Curl Pro, Bells Beach, Vitoria
22 2014   Gabriel Medina   Joel Parkinson   Quiksilver Pro Gold Coast, Snapper Rocks, Queensland
23 2014   Gabriel Medina   Nat Young   Volcom Pro, Tavarua
24 2014   Gabriel Medina   Kelly Slater   Billabong Pro Teahupoo, Teahupo'o, Tahiti
25 2015   Filipe Toledo   Julian Wilson   Quiksilver Pro Gold Coast, Snapper Rocks, Queensland
26 2015   Adriano de Souza   John John Florence   Drug Aware Pro, Margaret River
27 2015   Filipe Toledo   Bede Durbidge   Rio Pro, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
28 2015   Gabriel Medina   Bede Durbidge   Quiksilver Pro, Soorts-Hossegor
29 2015   Filipe Toledo   Bede Durbidge   Moche Rip Pro, Peniche
30 2015   Adriano de Souza   Gabriel Medina   Billabong Pipeline Masters, Banzai Pipeline
31 2016   Gabriel Medina   Matt Wilkinson   Fiji Pro, Tavarua
32 2017   Adriano de Souza   Adrian Buchan   Praia de Itaúna, Saquarema, Rio de Janeiro
33 2017   Filipe Toledo   Frederico Morais   Corona J-Bay Open, Baía de Jeffreys
34 2017   Filipe Toledo   Jordy Smith   Hurley Pro, Trestles, Califórnia
35 2017   Gabriel Medina   Sebastian Zietz   Quiksilver Pro, Soorts-Hossegor
36 2017   Gabriel Medina   Julian Wilson   MEO Rip Curl Pro, Peniche
37 2018   Ítalo Ferreira   Mick Fanning   Rip Curl Pro, Bells Beach, Vitoria
38 2018   Filipe Toledo   Wade Carmichael   Praia de Itaúna, Saquarema, Rio de Janeiro
39 2018   Ítalo Ferreira   Michel Bourez   Corona Bali Protected, Keramas Beach, Bali, Indonésia
40 2018   Willian Cardoso   Julian Wilson   Margaret River /   Uluwatu, Bali, Indonésia
41 2018   Filipe Toledo   Wade Carmichael   Corona J-Bay Open, Baía de Jeffreys
42 2018   Gabriel Medina   Owen Wright   Tahiti Pro Teahupoo, Teahupo'o, Tahiti
43 2018   Gabriel Medina   Filipe Toledo   Surf Ranch Pro, Califórnia (Ondas Artificiais)
44 2018   Ítalo Ferreira   Joan Duru   MEO Rip Curl Pro, Peniche
45 2018   Gabriel Medina   Julian Wilson   Billabong Pipeline Masters, Banzai Pipeline
46 2019   Ítalo Ferreira   Kolohe Andino   Quiksilver Pro Gold Coast, Snapper Rocks, Queensland
47 2019   Filipe Toledo   Jordy Smith   Praia de Itaúna, Saquarema, Rio de Janeiro
48 2019   Gabriel Medina   Ítalo Ferreira   Corona J-Bay Open, Baía de Jeffreys
49 2019   Gabriel Medina   Filipe Toledo   Freshwater Pro, Califórnia (Ondas Artificiais)
50 2019   Ítalo Ferreira   Jordy Smith   MEO Rip Curl Pro, Peniche

Total de Vitórias por SurfistaEditar

# Vitórias   Brasileiros Naturalidade
14 Gabriel Medina   São Sebastião, Caraguatatuba
8 Filipe Toledo   Ubatuba
7 Adriano de Souza   Guarujá, Santos
5 Ítalo Ferreira   Baía Formosa
4 Fábio Gouveia   Bananeiras
2 Teco Padaratz   Blumenau
2 Neco Padaratz   Blumenau
1 Willian Cardoso   Balneário Camboriú
1 Jadson André   Natal
1 Bruno Santos   Niterói
1 Peterson Rosa   Matinhos
1 Victor Ribas   Cabo Frio
1 Ricardo Tatuí   Niterói
1 Daniel Friedmann   Rio de Janeiro
1 Pepê   Rio de Janeiro

Vitórias por País da Etapa do CircuitoEditar

# Vitórias País da Etapa
11   Brasil
8   França
7   Austrália
5   Estados Unidos
5   Portugal
3   Hawai
3   Polinésia Francesa
3   África do Sul
2   Ilhas Fiji
2   Indonésia
1   Espanha
1   Japão

Tríplice Coroa HavaianaEditar

 Ver artigo principal: Tríplice Coroa Havaiana

Campeões do World Junior Championship (WJC)Editar

Campeões do World Longboard Tour (WLT)Editar

Campeões do Big Wave Tour (BWT)Editar

Ver tambémEditar

Notas e referências

Notas

  1. a b c d e No surfe, o Havaí é considerado uma nação à parte pela Associação dos Surfistas Profissionais.[8]

Referências

  1. Woohoo. «Woohoo - Etapa de Trestles tem confrontos definidos». www.woohoo.com.br (em inglês). Consultado em 25 de maio de 2017 
  2. «Surfista brasileira que disputará o WCT pelo Havaí chama atenção pela beleza nas redes sociais». Extra Online 
  3. «Mineirinho vence com folga no primeiro dia do Circuito Mundial de surfe no Rio - Esportes - Estadão». Estadão 
  4. «Sabrina Sato exibe as curvas com vestido curto e colado em coletiva de imprensa» 
  5. «World Surf League, Frequently Asked Questions, What is the WSL?». Consultado em 30 de agosto de 2015 
  6. «ASP History». ASP World Tour. Consultado em 30 de agosto de 2015. Arquivado do original em 1 de junho de 2015 
  7. «ASP World Tour». Consultado em 31 de maio de 2011. Arquivado do original em 30 de novembro de 2010 
  8. «Medina é o primeiro campeão mundial sem ter o inglês como idioma oficial». Folha de S Paulo. Consultado em 20 de dezembro de 2014 

Ligações externasEditar