Abrir menu principal

"A Noite do Meu Bem" é uma canção composta pela cantora e compositora brasileira Dolores Duran em 1959. Além de um grande sucesso da música brasileira, é talvez o maior exito de Dolores Duran. A canção é de estilo samba-canção e contém estrofes de três versos. Na letra, há um eu-lírico esperando ansiosamente o seu amor, para uma noite romântica, bela e apaixonada. Durante a canção, sentimentos puros são cantados, até que no fim, cansado de esperar, a personagem se mostra desesperançada e amargurada. A Noite do Meu Bem foi escolhida como uma das 100 Maiores Músicas Brasileiras de Todos os Tempos pela Revista Rolling Stone Brasil.[1]

Segundo a cantora Marisa Gata Mansa, amiga de Dolores, "A Noite do Meu Bem" foi escrita cuidadosamente. Em 1959, Dolores fez um rascunho da letra em casa e durante alguns dias, fosse na rua ou na boate, parava pensativa para modificar e acrescentar os versos.[2] Dolores gravou a canção cerca de um mês antes de morrer. Sua versão contém um instrumental que lembra uma caixinha de música chamado Celesta. Com o falecimento de Dolores, o lançamento da canção foi apurado e em menos de quinze dias era comercializado num disco 78rpm, junto com "Fim de Caso", também de sua autoria e também um sucesso. A notícia da morte da cantora era embalada por estas e outras canções divulgadas postumamente.[3]

Ainda em 1959, Elza Laranjeira e Marisa Gata Mansa regravaram a canção, ambas em discos 78rpm e Agostinho dos Santos em seu LP Inimitável. No ano seguinte, Elizeth Cardoso gravou a canção para seu álbum A Meiga Elizeth, Lúcio Alves para seu álbum hômonimo à canção e Nelson Gonçalves para seu disco Seleção de Ouro, além de Dalva de Oliveira em um 78rpm. A cantora Maysa, também amiga de Dolores, gravou "A Noite do Meu Bem" em 1961 para o Maysa Sings Songs Before Dawn, seu nono álbum de estúdio. Lançado somente nos Estados Unidos e na Argentina, o álbum contém somente "A Noite do Meu Bem" como canção em língua portuguesa, cuja gravação de Maysa contou com seu famoso tom dramático. Em 1968, foi a vez de Elis Regina que gravou em Paris a versão de Pierre Barouh em francês e em 1970 de Tito Madi. Na década de 1980 as regravações foram de Milton Nascimento, Ângela Maria e Cauby Peixoto e nos anos 90, Agostinho dos Santos e Nana Caymmi. No século XXI, "A Noite do Meu Bem" entra no repertório de Zezé Mota, Alcione, Kid Abelha, Agnaldo Timóteo e Hebe Camargo.

"A Noite do Meu Bem" ganhou versões em outras línguas também. Em 1961, o cantor argentino Roberto Yanés gravou "La Noche de Mi Amor", com letra adaptada por Rafaelmo. O cantor Brasileiro Altemar Dutra também gravou a canção em versão castelhana, porém com letra adaptada por Quezada. Lenita Bruno, para seu álbum Lenita Bruno em Hollywood, de 1968, gravou "Velvet", uma versão em inglês. A poliglota cantora brasileira Bia Krieger, gravou em 1999 a canção numa versão francesa por Pierre Barouh, chamada "La Nuit de Mon Amour". Fábio Jorge e Cândido Fernandes também gravaram esta versão em 2008 e 2010, respectivamente.

A Noite do Meu Bem é também o nome de um filme biográfico sobre a vida de Dolores Duran lançado em 1968 sobre a direção de Jece Valadão, o filme conta sobre as lutas de Dolores pra ingressar sua carreira de cantora e seus amores e desilusões. Sobre o papel principal de Dolores Duran interpretada por Joana Fomm

Referências

  1. Barbo, Sérgio. «AS 100 MAIORES MÚSICAS BRASILEIRAS». Rolling Stone Brasil. Consultado em 18 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 22 de julho de 2018 
  2. [1][ligação inativa]
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 12 de julho de 2011. Arquivado do original em 28 de junho de 2011 

Ligações externasEditar

  • [2] - Histórico completo de gravações