Abrir menu principal

Aldamira Guedes Fernandes

Aldamira Fernandes
Prefeita de Quixeramobim
Período 25 de março de 1959
até 25 de março de 1963
Dados pessoais
Nome completo Aldamira Guedes Fernandes
Nascimento 4 de junho de 1923
Iguatu, Ceará
Morte 16 de março de 2013 (89 anos)
Fortaleza, Ceará
Esposo Joaquim Fernandes

Aldamira Guedes Fernandes (Iguatu, 4 de junho de 1923Fortaleza, 16 de março de 2013) era política brasileira, ex-prefeita de Quixeramobim, município do Estado do Ceará, o qual governou de 1959 a 1963. Foi a primeira mulher a assumir uma prefeitura no Brasil eleita por voto popular.

BiografiaEditar

Nasceu em Iguatu, município localizado no Centro-Sul do Ceará, filha de Alda Teixeira e de Mário Gurgel Guedes. Seu irmão mais velho, Mário Teixeira Gurgel, tornou-se religioso da Sociedade do Divino Salvador e foi bispo da Diocese de Itabira-Fabriciano, em Minas Gerais. Pelo lado materno, era prima do advogado e compositor Humberto Teixeira.[1] O nome Aldamira faz referência à sua mãe e à sua avó paterna, Jesumira Gurgel Guedes, filha mais nova do major José Gurgel do Amaral Filho, patriarca da família Gurgel no Ceará e no Rio Grande do Norte.

Mudou-se para Quixeramobim aos dezessete anos, depois de se casar com o médico Joaquim Fernandes, o qual também foi prefeito do dito município.

Em 1958, Aldamira se candidatou à prefeitura de Quixeramobim pelo Partido Social Democrático, em oposição a Álvaro Araújo Carneiro, candidato pela União Democrática Nacional.[2] Aldamira venceu as eleições, realizadas em 12 de outubro, com 58% dos votos, tornando-se assim a primeira prefeita brasileira eleita por voto direto. Antes dela, no entanto, outra mulher fora eleita prefeita, Alzira Soriano, no interior do Rio Grande do Norte, em 1928. Depois, outra, Joana da Rocha Santos, em São João dos Patos, Maranhão, em 1934. Ambas, no entanto, haviam sido eleitas de forma indireta.[3]

Aldamira exerceu seu mandato de 25 de março de 1959 a 25 de março de 1963. Depois disso, ela não mais ocupou qualquer cargo político.[4]

Nas eleições de 2010, contando 87 anos de idade, embora desobrigada a fazê-lo por questão de idade, Aldamira fez questão de dar seu voto à primeira mulher candidata à Presidência da República.[5]

Em janeiro de 2013, a ex-prefeita foi internada em hospital particular em Fortaleza, Ceará, após fraturar o fêmur num acidente doméstico. Ela passou por uma cirurgia e, após dois meses de internação, quando se preparava para ter alta, teve uma parada cardíaca e faleceu aos 89 anos de idade, madrugada de 16 de março. O corpo então foi levado de volta a Quixeramobim, onde foi velado no Paço Municipal. Após a missa de corpo presente realizada na Matriz, foi sepultado no Cemitério Municipal.[6] A Prefeitura Municipal declarou luto oficial de cinco dias.[7]

Referências

  1. Ex-prefeita Aldamira Fernandes é destaque em jornal de Iguatu. Blog Cristiano Teixeira, 6 de setembro de 2012. Consultado em 15 de abril de 2018.
  2. MENDES, João Bosco Fernandes. 1958, ano fatídico para Quixeramobim. Blog AQUILetras, 22 de outubro de 2015. Consultado em 15 de abril de 2018
  3. «Prefeito Zé Mário inaugura galeria dos Ex. prefeitos». O Quarto Poder - A notícia do Maranhão para o mundo. 11 de junho de 2012. Consultado em 15 de abril 2018 
  4. Alex Pimentel (4 de outubro de 2008). «Primeira prefeita do Brasil». Diário do Nordeste. Consultado em 15 de abril de 2018 
  5. Alex Pimentel (1 de novembro de 2010). «Prefeita pioneira vota em Quixeramobim». Diário do Nordeste. Consultado em 15 de abril de 2018 
  6. «Corpo de ex-prefeita é sepultado em Quixeramobim». Monólitos Post. 18 de março de 2013. Consultado em 15 de abril de 2018 
  7. «Morre ex-prefeita de Quixeramobim, primeira mulher eleita por voto direto no Brasil». Diário do Nordeste. 16 de março de 2013. Consultado em 15 de abril de 2018 
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.