Alexandre Karađorđević

Alexandre Karađorđević (sérvio Александар Карађорђевић) (Topola, 11 de outubro de 1806Timişoara, 3 de maio de 1885) foi o príncipe da Sérvia entre 1842 e 1858 e membro da Casa Real de Karađorđević.[1]

Alexandre
Príncipe da Sérvia
Pretendente ao Trono da Sérvia
Reinado 23 de dezembro de 1858
a 3 de maio de 1885
Predecessor Ele mesmo
(Príncipe da Sérvia)
Sucessor Pedro Karađorđević
Príncipe da Sérvia
Reinado 14 de setembro de 1842
a 23 de dezembro de 1858
Predecessor Miguel III da Sérvia
Sucessor Miloš I da Sérvia
 
Nascimento 11 de outubro de 1806
  Topola, Sérvia Revolucionária
Morte 3 de maio de 1885 (78 anos)
  Timișoara, Império Austríaco
Sepultado em Igreja de São Jorge, Topola, Reino da Sérvia
Nome de nascimento Aleksandar Đorđević Karađorđević
Esposa Persida Nenadović
Descendência Princesa Poleksija da Sérvia
Princesa Cleópatra da Sérvia
Príncipe Aleksij da Sérvia
Príncipe Svetozar da Sérvia
Rei Pedro I da Sérvia
Princesa Helena da Sérvia
Príncipe André da Sérvia
Princesa Elizabeth da Sérvia
Príncipe Jorge da Sérvia
Príncipe Arsen da Sérvia
Casa Karađorđević
Pai Jorge Karađorđević
Mãe Jelena Jovanović
Religião Ortodoxa Sérvia
Assinatura Assinatura de Alexandre
Brasão

Filho mais novo de Karađorđe e Jelen (Helena), foi educado em Khotin, Bessarábia (então parte da Rússia, hoje Moldávia), sob a tutela do Tsar. Em 1 de junho de 1830, casou-se com Persida Nenadović, filha do Voivoda Jevrem Nenadović e de Jovanka Milovanović. Tiveram 10 filhos (Poleksija, Cleópatra, Aleksij, Svetozar, Pedro, Helena, André, Elizabeth, Jorge e Arsen). Dos 10 filhos do casal Alexandre e Persida, apenas 6 deles chegaram a idade adulta (Poleksija, Cleópatra, Pedro, Helena, Jorge e Arsen).

Após o decreto do Sultão reconhecendo o principado de Miguel Obrenović III em fins de 1839, os Karađorđević retornaram à Sérvia. Alexandre engajou-se no quartel-general do exército sérvio, na qualidade de tenente, e indicado como adido do Príncipe Miguel. Após os conflitos políticos causados pelo desrespeito à chamada Constituição turca, e as abdicações de Milosh e Miguel Obrenović, Alexandre Karađorđević foi eleito o príncipe-regente da Sérvia na Assembléia Nacional, em Vračar, aos 14 de setembro de 1842. Tendo seu título sido reconhecido pelos Impérios Russo e Otomano, Príncipe Alexandre começou as reformas e fundou inúmeras instituições a fim de aprimorar e agilizar o progresso do estado sérvio. Ele implementou um código civil, introduziu um exército regular, construiu uma metalúrgica de canhões, melhorou o ensino e criou novas escolas, uma biblioteca nacional e um museu nacional.

Durante a Revolução Húngara de 1848, em Vojvodina, o príncipe Alexander Karađorđević enviou voluntários sérvios sob o comando de Stevan Knicanin para ajudar na luta pela autonomia sérvia. Como conseqüência do movimento nacional-político de 1848, a idéia pan-eslava duma monarquia iugoslava emergiu, e com o documento chamado “Nacertanije” (“Rascunho”), escrito como um programa político sérvio por Ilija Garasanin quatro anos antes, tornou-se objetivo primordial da política exterior sérvia a emancipação de povos eslavos setentrionais sob o domínio do Império Otomano.

Internamente, o príncipe Alexandre entrou em conflito com os membros do Conselho, culminando na convocação duma Assembléia Nacional no dia de Santo André, em dezembro de 1858, o que o forçou a abdicar.

Após sua abdicação, Príncipe Alexandre retirou-se para sua propriedade próxima a Timişoara (atual Romênia). Sua vida pacífica foi agitada pela acusação de ter fornecido armas e subsídios para a conspiração que culminaria no regicídio do príncipe Miguel. Apesar de ter sido absolvido pela falta de provas, Alexandre passou, a partir de então, a utilizar de todos os meios para colocar novamente um Karađorđević no trono sérvio.

Alexandre foi enterrado em Viena, sendo seus restos trasladados em 1912 para a Igreja Memorial de São Jorge, em Oplenac.

Referências

  1. «Alexandre Karađorđević». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 20 de novembro de 2021