Algérie (cruzador)

O Algérie foi um cruzador pesado operado pela Marinha Nacional Francesa. Seu batimento de quilha ocorreu em meados de março de 1931 nos estaleiros do Arsenal de Brest e foi lançado ao mar no final de maio do ano seguinte, sendo comissionado na frota francesa no meio de outubro de 1934. Era armado com uma bateria principal composta por oito canhões de 203 milímetros montados em quatro torres de artilharia duplas, tinha um deslocamento carregado de mais de 13 mil toneladas e alcançava uma velocidade máxima de 31 nós (57 quilômetros por hora).[1]

Algérie
 França
Operador Marinha Nacional Francesa
Fabricante Arsenal de Brest
Homônimo Argélia
Batimento de quilha 19 de março de 1931
Lançamento 21 de maio de 1932
Comissionamento 19 de outubro de 1934
Destino Deliberadamente afundado em 27
de novembro de 1942; desmontado
Características gerais (como construído)
Tipo de navio Cruzador pesado
Deslocamento 13 677 t (carregado)
Maquinário 4 turbinas a vapor
5 caldeiras
Comprimento 186,2 m
Boca 20 m
Calado 6,3 m
Propulsão 4 hélices
- 84 000 cv (61 800 kW)
Velocidade 31 nós (57 km/h)
Autonomia 8 000 milhas náuticas a 15 nós
(15 000 km a 28 km/h)
Armamento 8 canhões de 203 mm
12 canhões de 100 mm
4 canhões de 37 mm
16 metralhadoras de 13,2 mm
6 tubos de torpedo de 530 mm
Blindagem Cinturão: 110 mm
Convés: 30 a 80 mm
Anteparas: 70 mm
Torres de artilharia: 50 a 100 mm
Barbetas: 70 mm
Torre de comando: 70 a 100 mm
Aeronaves 2 hidroaviões
Tripulação 746
Características gerais (1941)
Armamento 8 canhões de 203 mm
12 canhões de 100 mm
8 canhões de 37 mm
20 metralhadoras de 13,2 mm
6 tubos de torpedo de 530 mm

O projeto do Algérie foi realizado sob as limitações de tamanho impostas pelo Tratado Naval de Washington e seu desenvolvimento começou no final da década de 1920 em resposta à Classe Zara da Marinha Real Italiana. Seu projeto representou uma grande mudança em relação aos cruzadores pesados franceses anteriores, incorporando novas caldeiras de alta-pressão, um sistema de propulsão com quatro hélices, bateria secundária e antiaérea fortalecida e um esquema de blindagem muito mais pesado e amplo, incluindo um sistema de proteção subaquático.[2]

O Algérie serviu no Mar Mediterrâneo durante toda sua carreira em tempos de paz. A Segunda Guerra Mundial começou em 1939 e pelos meses seguintes ele realizou patrulhas no Atlântico à procura de corsários alemães e depois participou de um bombardeio contra Gênova depois da entrada da Itália na guerra. A França foi derrotada em junho de 1940 e o cruzador passou a maior parte dos dois anos seguintes atracado em Toulon. Foi deliberadamente afundado em novembro de 1942 para não ser tomado pelos alemães,[3] com seus destroços sendo desmontados após 1956.[4]

Referências editar

Bibliografia editar

  • Campbell, John (2002) [1985]. Naval Weapons of World War Two. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-459-4 
  • Jordan, John; Moulin, Jean (2013). French Cruisers 1922–1956. Barnsley: Seaforth Publishing. ISBN 978-1-84832-133-5 
  • Pallud, Jean Paul (1992). «The French Navy at Toulon». Londres: Battle of Britain Prints International. After the Battle (76). ISSN 0306-154X 
  • Roberts, John (1980). «France». In: Gardiner, Robert; Chesneau, Roger. Conway's All the World's Fighting Ships, 1922–1946. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-913-9 
  • Whitley, M. J. (1995). Cruisers of World War Two: An International Encyclopedia. Londres: Arms and Armour Press. ISBN 1-85409-225-1 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.