Amar-Sim

Amar-Sim (em sumério: 𒀭𒀫𒀭𒂗𒍪; romaniz.: DAmarDSîn, descendente do deus da lua Sim, sendo o 𒀭 um honorífico silencioso de Divino, inicialmente era traduzido como Bursim) foi o terceiro rei da Terceira dinastia de Ur durante o chamado Renascimento Sumério, reinou no período que se estendeu entre 2 048 a.C. e 2 039 a.C. Foi antecedido no trono por sei pai Sulgi e sucedido no trono pelo irmão Su-Sim.[1]

Amar-Sim
Rei de Ur
Rei da Suméria e Acádia
Rei dos Quatro Cantos do Mundo
Selo de Amar-Sim
Reinado 2 048 a.C. - 2 039 a.C.
Antecessor(a) Sulgi
Sucessor(a) Su-Sim
Pai Sulgi
Mãe Abisinti

ReinadoEditar

Os nomes dos anos dos nove anos de seu reinado são conhecidos. Neles foram intitulados homenageando as campanhas realizadas contra Urbilum e várias outras regiões com nomes obscuros: Sasrum, Surudum, Bitum-Rabium, Jabru e Hunuri.[2] Sabe-se também que Amar-Sim fez campanha contra governantes elamitas, como Aruiluquepi, de Marhasi. Sob seu reinado o "império" de Ur, se estendeu até as províncias ao norte como Lulubi e Hamazi, onde escolhia seus próprios governadores. Ele também suprimiu uma rebelião em Assur, onde nomeou um governador acadiano, Zaricum, como confirmado por sua inscrição monumental.[3]

O reinado de Amar-Sim foi notável por sua tentativa de regenerar os antigos locais sagrados da Suméria. Aparentemente, ele trabalhou na reconstrução do zigurate de Eridu,[4] mas problemas com a salinidade fizeram com que as atividades agrícolas nessa região não fossem lucrativas.[5]

A Crônica da Weidner, que faz parte das Crônicas da Babilônia registra o seguinte: "Amar-Sim alterou a prática normal de sacrificar touros e ovelhas no festival de Aquibetu na Esaglia, pois haviam predito que morreria de uma chifrada de um boi, mas ele acabou morrendo por uma mordida [de escorpião ?] no seu sapato."[6]


Precedido por
Sulgi
  3º Rei da Terceira dinastia de Ur
2 048 a.C. - 2 039 a.C.
Sucedido por
Su-Sim

Ver tambémEditar

Referências

  1. John Bagnell Bury; et al. (1925). The Cambridge Ancient History. Part II of volume I History of the Near East from about 3000 to 1750 B.C. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 656. ISBN 0521077915 
  2. «Year-Names of Amar-Sin». Cuneiform Digital Library Initiative (UCLA). Consultado em 19 de fevereiro de 2020 
  3. Zaricum não aparece nas Listas dos Reis da Assíria, mas geralmente é colocado pelos arqueólogos entre Aquia e Puzurassur I. Ele é bem conhecido em documentos contemporâneos como um governador de carreira que também foi nomeado para Susa em vários momentos entre os anos 40º ano do reinado de Sulgi e o quarto ano de reinado de Su-Sim, ver Potts, D. T. (2016). The Archaeology of Elam:. Formation and Transformation of an Ancient Iranian State (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press, p. 126. ISBN 978-1-107-09469-7 
  4. Haughton, Brian (2010). History's Mysteries:. People, Places, and Oddities Lost in the Sands of Time (em inglês). [S.l.]: Red Wheel/Weiser, pp. 69-70. ISBN 978-1-60163-107-7 
  5. Leick, Gwendolyn (2002). Mesopotamia:. The Invention of the City (em inglês). [S.l.]: Penguin UK, pp. 49-50. ISBN 978-0-14-192711-4 
  6. Thomas, Benjamin D. (2014). Hezekiah and the Compositional History of the Book of Kings (em inglês). [S.l.]: Mohr Siebeck, p. 129. ISBN 978-3-16-152935-1