Abrir menu principal
Anderson Daronco
Nome completo Anderson Daronco[1]
Nascimento 5 de janeiro de 1981 (38 anos)
Santa Maria
Nacionalidade brasileiro
Estatura 1,88 m[2]
Ocupação Professor de Educação Fisíca e árbitro profissional
Filiação FGF
Árbitro FIFA Sim (desde 2015)

Anderson Daronco (Santa Maria, 5 de janeiro de 1981) é um árbitro de futebol brasileiro. Já trabalhou como árbitro no Campeonato Gaúcho, na Copa do Nordeste, no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.

Biografia e carreiraEditar

Anderson Daronco jogou handebol dos dez aos vintes e um anos.[2] Em 1998 entrou na faculdade de Educação Física.[3] Fez curso de árbitro na Federação Gaúcha de Futebol.[4] Encerrou a carreira como professor de Educação Física para dedicar mais tempo à arbitragem.[2]

Em 30 de outubro de 2014, foi escolhido para integrar o quadro de árbitros da FIFA, tornando-se o terceiro gaúcho integrante desse quadro, junto com Leandro Pedro Vuaden.[5][6] Daronco revelou que deseja participar de campeonatos a nível mundial. Foi cotado para a Copa do Mundo FIFA de 2018.[4]

Durante o campeonato gaúcho de 2018, viralizou uma foto e notícia falsa envolvendo Daronco. Para desmentir o boato, o jornal GaúchaZH contatou o professor Robert Tietzman, coordenador do grupo de pesquisa ViDiCa Cultural Cultura Audiovisual Digital da PUCRS que apresentou em vídeo cinco erros "grotescos" entre a foto original e a falsa.[7]

Em janeiro de 2019 relatou que o diretor da equipe do Veranópolis, Ademir Bertoglio proferiu diversas xingamentos contra a equipe de árbitros durante o jogo. Mais tarde, um torcedor com a camisa do Veranópilos invadiu o vestiário, xingou e ameaçou os árbitros de morte.[8]

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS) estudou denunciar o VEC devido as ameaças direcionadas aos árbitros.[9] Em artigo escrito para o GaúchaZH, Diori Vasconcelos disse que não há motivos que justifiquem as ameaças direcionadas aos árbitros e que alguma medida forte deveria ser tomada pela Federação Gaúcha de Futebol. "As coisas passaram de todos os limites, não só pelo que aconteceu em Veranópolis. Estamos vivenciando um Gauchão em que o presidente do Pelotas levou um soco no rosto de um 'torcedor'. O que mais precisará acontecer para que uma atitude seja tomada?"[10]

Em julho de 2019 é um dos temas de uma série de paródias de Marcelo Adnet, "Soy loco por Copa América", da Rede Globo que abordou o fato do árbitro não aceitar insultos e o seu porte atlético,[11] que o fez ficar conhecido como "juiz fortão".[2] Em agosto de 2019, Daronco paralisou um jogo entre o Vasco da Gama e o São Paulo em virtude de gritos homofóbicos proferidos pela torcida vascaína. A postura foi elogiada pela Confederação Brasileira de Futebol.[12][13] Foi a primeira vez que uma partida de futebol foi interrompida no Brasil devido a cânticos homofóbicos.[14]

Mais tarde, Daronco explicou que a atitude de parar o jogo "não é algo da minha cabeça. Temos uma orientação nesse sentido. (…)a gente não se apega somente a um canto homofóbico, tem toda uma questão envolvendo o racismo, ou fatos que (Sic) podem incitar a violência, como faixas no campo e cantos xenofóbicos".[15]

Vida pessoalEditar

Sua esposa se chama Luciane Daronco. Tem dois filhos, Arthur e Heitor Daronco.[16] Anderson Daronco não expõe a vida pessoal ao público, devido aos riscos com o trabalho.[17] Nasceu e reside em Santa Maria, Rio Grande do Sul.[2] Era próximo de seus alunos de Educação Física, que morreram no Incêndio na boate Kiss, em 2013.[2]

Seu salário anual foi de cerca de 100 mil reais em 2015[18] e 84 mil em 2017.[19] Disse que sua paixão pelo esporte o fez ficar grande, mas que não era sua intenção. Em 2017 chegou aos 90kg, após perder cerca de 3 ou 4kg, aceitando os conselhos de comissões e instrutores físicos que o orientaram para que reduzisse o peso extra para evitar problemas em sua carreira em curto e a longo prazo.[2] É capaz de correr 40 metros em menos de seis segundos e treina praticamente todos os dias.[2]

"Não gosto desse negócio de ficar me medindo. O respeito vem da forma como trato os jogadores e todos os envolvidos. E pelo nível de acerto nas decisões tomadas. Não costumo acompanhar muito o que falam a respeito de mim neste sentido. Mas o apelido de que tive mais conhecimento foi juiz fortão."[2]

Anderson Daronco

Daronco disse que é "a favor de todo tipo de tecnologia que torne as decisões mais justas e que não prejudiquem o trabalho de ninguém."[2]

TítuloEditar

Foi eleito o quarto melhor árbitro pela CBF no Campeonato Brasileiro 2015.[20]

Referências

  1. «Anderson Daronco» 
  2. a b c d e f g h i j «Perfil: Anderson Daronco, o 'juiz fortão' que não gosta de medir os músculos». O Globo. Rede Globo. 17 de agosto de 2017. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  3. Laura Frajndlich. «Anderson Daronco desmente rumores de que virou árbitro por não saber jogar futebol». Consultado em 24 de setembro de 2019 
  4. a b Redação (18 de abril de 2018). «Conheça um pouco da história de Anderson Daronco». Folha do Noroeste. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  5. Zero Hora. «"É um primeiro passo antes de um objetivo maior", diz Anderson Daronco, novo árbitro Fifa». Consultado em 31 de outubro de 2014 
  6. Clicrbs. «Anderson Daronco é confirmado no quadro da FIFA para 2015: "não é o último passo na carreira"». Consultado em 31 de outubro de 2014 
  7. Carlos Rollsing, Rodrigo Lopes (4 de maio de 2019). «VÍDEO: cinco erros na foto falsa de Daronco com camisa do Grêmio». GaúchaZH. Consultado em 3 de outubro de 2019 
  8. «Vamos matar vocês': Daronco relata ameaças em súmula após partida do Internacional». Fox Sportes. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  9. «TJD-RS prepara denúncia ao VEC por ameaças ao árbitro Anderson Daronco». Globo Espote. Rede Globo. 1 de fevereiro de 2019. Consultado em 3 de outubro de 2019 
  10. Diori Vasconcelos (1 de fevereiro de 2019). «Ameaça de morte a árbrito no Gauchão não pode ser ignorada». Consultado em 3 de outubro de 2019 
  11. «"Soy loco por Copa América": Marcelo Adnet vai de Daronco a Léo Batista na zoeira». 28 de junho de 2019. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  12. «Homofobia em São Januário: CBF aprova paralisação de Daronco». Extra. 26 de agosto de 2019. Consultado em 30 de agosto de 2019 
  13. Alexandre Alliatti (26 de agosto de 2019). «Opinião: se as torcidas não pararem com os gritos homofóbicos, o jogo deve parar». Globo Esporte. Consultado em 30 de agosto de 2019 
  14. «Com homofobia não tem jogo». El País. 28 de agosto de 2019. Consultado em 25 de setembro de 2019 
  15. «Daronco explica paralisação de jogo por cantos homofóbicos». Grupo RBS. 26 de agosto de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  16. Sérgio Gandolphi e Marco Aurélio Souza (6 de dezembro de 2015). «Daronco já voou pelas Américas o equivalente a duas voltas ao mundo». Globo Esporte. Rede Globo. Consultado em 24 de setembro de 2019 
  17. «"Árbrito não é inimigo", diz Daronco. Eleito o melhor do brasileirão 2015». Grupo RBS. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  18. «Árbitro recordista de jogos em 2015 ganhou R$ 100 mil no Brasileirão». Gazeta do Povo. 4 de janeiro de 2016. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  19. «Árbitros ganham salário top para apitar o Brasileirão». Gazeta do Povo. 4 de maio de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  20. «CBF divulga lista dos 10 melhores árbitros do Campeonato Brasileiro». Gazeta Esportiva. Consultado em 24 de setembro de 2019 

Ligações externasEditar