Abrir menu principal

Anitápolis é um município brasileiro do estado de Santa Catarina localizado na área da Grande Florianópolis, a cerca de 85 km da capital do estado. É servida pela rodovia SC-108 (antiga SC-407), que a liga a Rancho Queimado e a Florianópolis (via BR-282, ao norte) e aos municípios de Santa Rosa de Lima, Rio Fortuna e Braço do Norte (ao sul).

Município de Anitápolis
Bandeira de Anitápolis
Brasão de Anitápolis
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 29 de dezembro de 1961 (57 anos)
Gentílico anitapolitano
Prefeito(a) Laudir Pedro Coelho (PSDB)
( – 2020)
Localização
Localização de Anitápolis
Localização de Anitápolis em Santa Catarina
Anitápolis está localizado em: Brasil
Anitápolis
Localização de Anitápolis no Brasil
27° 54' 07" S 49° 07' 44" O27° 54' 07" S 49° 07' 44" O
Unidade federativa Santa Catarina
Mesorregião Grande Florianópolis IBGE/2008 [1]
Microrregião Tabuleiro IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Águas Mornas, Alfredo Wagner, Bom Retiro, Rancho Queimado, Santa Rosa de Lima, São Bonifácio e Urubici
Distância até a capital 98,6 km
Características geográficas
Área 542,380 km² (BR: 2310º)[2]
População 3 236 hab. (SC: 234º) –  estimativa IBGE/2018[3]
Densidade 5,97 hab./km²
Altitude 430 m
Clima mesotérmico úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,773 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 40 141,411 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 12 290,70 IBGE/2008[5]

HistóriaEditar

EtimologiaEditar

No encrave dentre as montanhas da Serra Geral, Anitápolis é a segunda cidade cujo nome é também uma homenagem à legendária guerreira Anita Garibaldi, a mulher que, lutando por seu ideal, depois de participar ativamente na Guerra dos Farrapos, e, resultando desta, na República Juliana, (em sua terra, a Laguna), no Uruguai, na Argentina e na Itália, perdeu a vida naquele último país, com 27 anos de idade. Dessa forma, no estado de nascimento da "Heroína dos Dois Mundos", são existentes dois municípios que homenageiam seu nome.

Origens e povoamentoEditar

A história do município é prendida em profundidade à de Santo Amaro da Imperatriz, do qual se desmembrou. Sua população é descendente, em sua maioria, de colonizadores que vieram da Alemanha, que já na metade do século XIX, deram início ao povoamento do território anitapolitano.

Formação administrativaEditar

Em 1917, o governo estadual elevava Anitápolis à categoria de distrito. Anitápolis foi elevado à categoria do município, em 19 de dezembro de 1961, por meio da lei nº 789. O município foi instalado no dia 29 de dezembro de 1961. O prefeito que venceu as primeiras eleições municipais

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 27º54'07" sul e a uma longitude 49º07'43" oeste, estando a uma altitude de 430 metros. Sua população estimada em 2010 era de 3 214 habitantes. Possui uma área de 576,42 km² e sua população, conforme estimada do IBGE de 2018, era em 3 236[3] habitantes.

É cortada pelo rio do Povoamento, a montante do qual (a cerca de 500 m da cidade) foi construída uma pequena usina hidrelétrica para abastecer a cidade, hoje desativada. As pequenas barragens e a queda d'água do local hoje servem como área de lazer para os moradores. Ao redor existem várias churrasqueiras e uma lanchonete construída pela prefeitura e mantida por particulares através de concessão.

RelevoEditar

O relevo é muito acidentado, havendo elevações que atingem aproximadamente 1000 m de altitude. A agricultura, predominantemente a cultura da cebola, é feita nas várzeas.

Bairros e distritosEditar

Originalmente o núcleo colonial era dividido em 32 distritos, quase todos com nomes de rios. Hoje, além do centro, há um bairro próximo, ao sul, popularmente conhecido por "Vila Nova".

Distritos:

  • Rio dos Pinheiros, na rodovia SC-108, a 11 km do centro.
  • Rio do Sul e Varginha, a caminho de Santa Rosa de Lima,
  • Rio Branco, também na SC-108,
  • São Domingos,
  • Rio Alfa
  • Rio Cachimbo
  • Rio do Ouro
  • Rio da Prata
  • Rio das Pedras
  • Rio da Várzea
  • Rio do Povoamento
  • Rio do Meio
  • Rio do Norte
  • Rio Itiriba
  • Rio Ladeia
  • Maracujá
  • Rio Perdido

Uma grande área do município foi desapropriada devido às jazidas de fosfato, porém este nunca foi explorado. Esta desapropriação causou um certo prejuízo para o município, pois na área desapropriada estão as terras mais férteis. A área pertence à Adubos Trevo, empresa do grupo Bunge.

O êxodo do município é um dos problemas. A população tem decrescido ao longo dos últimos anos, fato este que se agravou após a desapropriação.

Das encostas do sudoeste do município descortina-se a deslumbrante vista da Serra Geral, podendo-se mesmo ver ao longe a cúpula da antena do controle de tráfego aéreo do sul do Brasil.

TurismoEditar

Cachoeira da Usina e a Serra da Garganta. Turismo rural: pousadas do programa Acolhida na Colônia. Trilhas ecológicas: Trilha do Índio, na subida da Serra Geral, em direção a Urubici.

EducaçãoEditar

Durante muito tempo foi mantida uma instituição para educação de menores, o "Patronato Agrícola", desativado no governo de Getúlio Vargas.

Hoje Anitápolis conta com duas escolas, a Manila Campos da Rosa (Escola Pública Municipal), que atende os estudantes do Ensino Fundamental (1º ao 5º Ano) de todo o município e, a EEB Altino Flores. Esta, atende os estudantes de Ensino Fundamental (6º ao 9º Ano) e os estudantes do Ensino Médio.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 26 de abril de 2019 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar