Campo, António do foi um militar e navegador português.

Biografia

editar

Foi um navegador português, capitão de nau da Armada de 1502 e 1506 [1]. Esteve com Duarte Pacheco Pereira no combate travado em Cochim, contra o Samorim do Reino de Calecute. Mais tarde foi com Afonso de Albuquerque e Pêro de Ataíde a Coulão, carregar as embarcações de pimenta. António do Campo chegou ao Reino a 13 de Julho de 1504. Em 1506, integrou a armada comandada por Afonso de Albuquerque [2]. Uma vez chegados à Índia, dirigiram-se a Socotorá e, depois para Ormuz, onde António do Campo, Afonso Lopes e Manuel Teles Barreto abandonaram Afonso de Albuquerque. Em Setembro de 1508, sob o comando de Pero Barreto Magalhães, patrulhava a costa de Calecut e Baticalá. A 12 de Dezembro do mesmo ano, na Batalha de Diu em 1509, capitaneou a caravela redonda Flor da Rosa. Antes da batalha, os fidalgos discordaram da prudência do enfrentamento direto com a grande nau Frol de la mer, capitaneada pelo próprio vice-rei, expondo-o em primeira linha [3]. Ele, ainda ressentido da perda do filho, ansiava por estar na linha de frente. Para convencê-lo do contrário, António de Campo foi escolhido como porta-voz dos fidalgos por ser o mais velho e experimentado dos capitães da frota. Viria a falecer com o vice-rei D. Francisco de Almeida na aguada do Saldanha, África do Sul, em 1510, junto a outros navegadores portugueses (Francisco de Almeida, Manuel Teles Barreto, Jorge de Melo Pereira, Pero de Barreto de Magalhães, Diogo Pires …)

Referências

  1. Castanheda, História do Descobrimento e Conquista da Índia pelos Portugueses
  2. Lacerda, Os Capitães das Armadas da Índia, p.199
  3. Villas-Boas, Os Magalhães, 1998, p.231
  • Castanheda, Fernão Lopes de. História do Descobrimento e Conquista da Índia pelos Portugueses, Lello & irmãos, Porto, 1979.
  • Lacerda, Teresa. Os Capitães das Armadas da Índia no reinado de D. Manuel I, Universidade Nova de Lisboa, Departamento de História, Lisboa, 2006.
  • Villas-Boas, Manuel. Os Magalhães: Sete séculos de aventura. Editorial Estampa, 1998.

Ver também

editar