Abrir menu principal

Apeadeiro de Araújo

apeadeiro em Portugal
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o antigo apeadeiro na Linha de Guimarães. Se procura o antigo apeadeiro na Linha de Leixões, veja Apeadeiro de Custió-Araújo.
Araújo
Inauguração 14 de Março de 1932
Encerramento 24 de Fevereiro de 2002
Linha(s) L. de Guimarães
(PK 7,7)
Coordenadas 41° 13′ 00,7″ N, 8° 38′ 27,69″ O
Concelho Matosinhos
Serviços Ferroviários
Horários em tempo real

O Apeadeiro de Araújo foi uma gare da Linha de Guimarães, que servia a localidade de Araújo, no Concelho de Matosinhos, em Portugal. Foi substituída pela Estação Araújo do Metro do Porto.

HistóriaEditar

Esta interface foi inaugurada em 14 de Março de 1932 e posta ao serviço no dia seguinte, com a classificação de apeadeiro, como parte do lanço da Linha de Guimarães entre Senhora da Hora e Trofa, construído pela Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal.[1][2] Na altura da sua abertura, prestava serviço completo, nos regimes de grande e pequena velocidades.[2][1] O comboio inaugural fez uma paragem no apeadeiro de Araújo, onde foi recebido por uma grande multidão.[1]

Em 1 de Janeiro de 1947, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses passou a explorar as antigas linhas da Companhia do Norte.[3]

No XIII Concurso das Estações Floridas, organizado em 1954 pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses e pelo Secretariado Nacional de Informação, o apeadeiro de Araújo foi premiado com um diploma de menção honrosa especial.[4]

Em Junho de 1984, apresentava a categoria de apeadeiro, e era servido por comboios regionais e tranvias da operadora Caminhos de Ferro Portugueses.[5]

Em 24 de Fevereiro de 2002, foi encerrado o troço entre a Senhora da Hora e Trofa, para ser convertido numa linha do Metro do Porto.[6] O troço da Linha C do Metro do Porto entre a Senhora da Hora e Fórum da Maia (no qual se insere a estação de metro de Araújo) foi aberto à exploração em 30 de Julho de 2005.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «A Visita do Chefe de Estado ao Norte e a Inauguração do Túnel da Trindade e Linha da Senhora da Hora à Trofa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 45 (1062). 16 de Março de 1932. p. 135-143. Consultado em 28 de Julho de 2013 
  2. a b «Viagens e Transportes» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 45 (1065). 1 de Maio de 1932. p. 218. Consultado em 2 de Setembro de 2010 
  3. REIS et al, 2006:63
  4. «XIII Concurso das Estações Floridas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 67 (1608). 16 de Dezembro de 1954. p. 365. Consultado em 26 de Setembro de 2017 
  5. Caminhos de Ferro Portugueses (3 de Junho de 1984). «Horário de Verão 1984» (PDF). O Comboio em Portugal. 52 páginas. Consultado em 2 de Setembro de 2010 
  6. Silva, Samuel (14 de novembro de 2010). «O comboio foi-se há muito. O metro talvez nunca venha a chegar». Público. Consultado em 31 de maio de 2018 

BibliografiaEditar

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. [S.l.]: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 



  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.