Abrir menu principal

Ara Ketu

banda musical
(Redirecionado de Araketu)
Ara Ketu

Dan Miranda (vocalista do Ara ketu)
Informação geral
Origem Salvador, na Bahia
País  Brasil
Gênero(s) Axé music
Período em atividade 1980 – atualmente
Gravadora(s) Onerpm
Integrantes Dan Miranda
Ex-integrantes Larissa Luz (2007–2012)
Tatau (1987–2007; 2012–2015), Tonho Matéria e Linnoy (2015 até 2018)
Página oficial www.araketu.com.br

Ara Ketu (também conhecido como Povo de Ketu, que é sua tradução a partir da língua iorubá) é um grupo brasileiro de axé e pagode baiano fundado em 1980[1] por moradores do subúrbio ferroviário de Periperi, em Salvador, na Bahia.[1] O bloco desfilou pela primeira vez em 1981, homenageando o rei caçador, Oxóssi, que é o orixá protetor do Ara Ketu. Por isso, o símbolo do bloco é o ofá e as cores são azul e branco.

HistóriaEditar

Fundado em 8 de março de 1980, na comunidade de Periperi, Subúrbio Ferroviário de Salvador, tem sua essência afro, com muita luta e resistência ao longo de todos esse anos.

Foi campeão do carnaval de Salvador nos anos de 1981, 1982 e 1983, não podendo mais competir nos anos seguintes.

O Ara Ketu foi idealizado por Vera Lacerda, professora de história e mestra em filosofia, e seu primo Augusto César (falecido em agosto de 2016), guru espiritual de diversos artistas do Brasil.

Assemelhante aos outros blocos afros como Ilê Aiyê e Olodum, o bloco Afro Ara Ketu desenvolvia também um trabalho social voltado para a sua comunidade. Embora durante os anos 1980 os blocos afros tenham ficado quase invisíveis para o grande público no Brasil, as suas músicas foram interpretadas por outros artistas como Banda Reflexu's e Margareth Menezes. Por exemplo: a música "Uma história de ifá" foi gravada no primeiro LP do Ara Ketu em 1987, e lançada no CD de Margareth Menezes do ano seguinte, tendo grande sucesso no Brasil e no exterior. Constituído inicialmente por um bloco de percussão, dançarinos e associados, o "Ara", como é mais conhecido, incorporou instrumentos de sopro, bateria e teclado para se reformular.

Em 1987, lançaram seu álbum de estreia, pela gravadora Continental. Em 1994, foram para a gravadora Columbia, e em novembro do mesmo ano lançaram o álbum Bom Demais. Em 1998, lançaram o álbum Ao Vivo, que foi certificado diamante.[2]

Em 2007, Tatau, vocalista da banda, se desligou do grupo para seguir carreira solo e foi substituído pela cantora Larissa Luz até junho de 2012. No dia 5 de junho de 2012, o antigo vocalista Tatau retornou ao comando da banda.

Em 1 de março de 2015, Tatau deixa mais uma vez o Ara Ketu, dessa vez em definitivo. Entra, no comando dos vocais do Ara Ketu, Tonho Matéria, fazendo o seu primeiro show no em maio de 2015, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim.

Nesse mesmo ano, é feito um concurso para um segundo cantor da banda. Foi escolhido Linnoy (ex-integrante da banda Os Sungas).

Essa formação se manteve até o mês de maio de 2018.

A banda Ara Ketu, hoje composta por Dan Miranda, (ex-integrante da banda Filhos de Jorge), que teve sua voz eternizada com a música Ziriguidum. Essa formação já se apresentou em diversos Estados do Brasil, levando suas músicas alegres e dançantes por todos os locais aos quais passam. Hoje, além de todos os sucessos do Ara Ketu (Pipoca, Mal Acostumado, Bom Demais, Avise a Vizinha etc.) o Ara já começa a ter musicas autorias, com lançamento nas principais plataformas digitais, como O Som do Ara (composição de Dan Miranda) e Praça da paixão (Samir, Breno e Rubão), com lançamento previsto para o mês de julho de 2019.

Essa formação segue junta até os dias atuais, tocando em diversas cidades do Brasil.

DiscografiaEditar

 Ver artigo principal: Discografia de Ara Ketu

PrêmiosEditar

  • 1997 - Troféu Dodô e Osmar - Melhor bloco Afro
  • 1998 - Prêmio Top de Marketing - Entretenimento, Turismo e Lazer
  • 1998 - Troféu Planeta Xuxa - Melhor música
  • 2001 - Troféu Caymmi - Melhor CD de Axé
  • 2005 - Troféu Raça Negra -
  • 2006 - Troféu Dodô e Osmar - Melhor bloco Barra / Ondina
  • 2009 - Press Ward - Melhor grupo de Axé
  • 2011 - Troféu Dodô e Osmar - Melhor Cantora Afro

Referências

  1. a b Nei Lopes (2004). «Enciclopédia brasileira da diáspora africana». Google Books. Consultado em 26 de fevereiro de 2013 
  2. «ABPD - Álbuns certificados do Ara Ketu». ABPD. Consultado em 23 de dezembro de 2012 

Ligações externasEditar

 A Wikipédia possui o
  Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.