Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Arquidiocese de Gniezno
Archidiœcesis Gnesnensis
Catedral de Gniezno
Localização
País Polônia
Dioceses sufragâneas Diocese de Bydgoszcz
Diocese de Włocławek
Estatísticas
Área 8 122 km²
Informação
Rito romano
Criação da diocese século X
Elevação a arquidiocese século X
Padroeiro Santo Adalberto
Governo da arquidiocese
Arcebispo Wojciech Polak
Jurisdição Sé Primacial Metropolitana
Contatos
Página oficial www.archidiecezja.pl

A Arquidiocese de Gniezno (Archidiœcesis Gnesnensis) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Gniezno, na Polônia.[1] Acompanha seu título o de Primaz da Polônia. Seu atual arcebispo é Wojciech Polak. Sua é a Catedral Basílica da Assunção da Beata Virgem Maria e Santo Adalberto.

Em 2016, possuía 266 paróquias servidas por 516 padres, contando com 97,3% da população jurisdicionada batizada.[1]

HistóriaEditar

A Arquidiocese de Gniezno foi eregida nos anos 999-1000. Em 999, durante a canonização de Santo Adalberto, o Papa Silvestre II erigiu canonicamente a arquidiocese e nomeou como primeiro arcebispo o irmão de Adalberto, Radzym-Gaudenty. No ano seguinte, o legado papal Cardeal Robertus foi dar execução ao decreto de ereção. Tinha originalmente como sufragâneas as dioceses de Kołobrzeg, Cracóvia e Wroclaw e em 1075 foi adicionada a diocese de Poznań.

Pertenceu ao arcebispo de Gniezno o privilégio de coroar os reis da Polônia e em 1418 recebeu o título de Primaz da Polônia e da Lituânia. Em 1466, a diocese de Chełmno tornou-se sufragânea da arquidiocese de Gniezno .

O arcebispo Jan Laski no início do século XVI recebeu para si e seus sucessores o título do Papa Leão X de legados naturais. Dessa forma, os arcebispos serviram como interrex na República das Duas Nações.

Em 1807, a diocese de Cracóvia tornou-se a metrópole de Lviv. Em 16 de julho de 1821 pela Bula Papal De salute animarum do Papa Pio VII foi unida à diocese de Poznań e assumiu o nome de Arquidiocese de Gniezno-Poznań. Ao mesmo tempo, a diocese de Breslau tornou-se imediatamente sujeita à Sé Apostólica.

Em 28 de outubro de 1925 com a bula Vixdum Poloniae unitas do Papa Pio XI foram reorganizadas as províncias eclesiásticas polonesas do rito latino: A arquidiocese de Gniezno-Poznań recebe como sufragâneas as dioceses de Pelplin e Włocławek. Entre 1946 e 1992, a arquidiocese ficou unida à de Varsóvia.

Em 12 de novembro de 1948 a arquidiocese voltou a se dividir, dando origem a esta Arquidiocese e da Arquidiocese de Poznań.

Em 25 de março de 1992, como resultado da reorganização territorial das dioceses na Polônia ordenada pelo Papa João Paulo II com a bula Totus tuus Poloniae populus a arquidiocese perdeu partes de seu território, para o benefício da ereção da Diocese de Kalisz e Toruń, a Diocese de Chełmno tomou o nome da diocese de Pelplin e se tornou parte da província eclesiástica da Arquidiocese de Gdansk.

Em 24 de fevereiro de 2004 rendeu uma parcela adicional de terra para o benefício da ereção da Diocese de Bydgoszcz.

Prelados nos séculos XX e XXIEditar

Administração local:[1]

Referências

  1. a b c Cheney, David M. (2019). «Archdiocese of Gniezno». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 22 de julho de 2019. Cópia arquivada em 6 de abril de 2019 

Ligações externasEditar