Atherina boyeri


Atherina boyeri Risso, 1810, conhecida pelos nomes comuns de peixe-rei-do-mediterrâneo ou piarda, é uma espécie de peixe teleósteo da família Atherinidae. A espécie tem distribuição natural nas águas costeiras e no curso inferior de alguns rios do Mar Mediterrâneo, Mar Negro e Mar Cáspio, ocorrendo no Oceano Atlântico nas regiões costeiras mais próximas do Estreito de Gibraltar, desde o norte de Portugal até à Mauritânia.[3]

Como ler uma infocaixa de taxonomiaAtherina boyeri
Atherina boyeri.
Atherina boyeri.
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Superclasse: Osteichthyes
Classe: Actinopterygii
Subclasse: Neopterygii
Infraclasse: Teleostei
Ordem: Atheriniformes
Família: Atherinidae
Género: Atherina
Espécie: A. boyeri
Nome binomial
Atherina boyeri
A. Risso, 1810
Sinónimos[2]
  • Atherina anterina Nardo, 1847
  • Atherina mochon Cuvier, 1829
  • Hepsetia mochon (Cuvier, 1829)
  • Atherina caspia Eichwald, 1831
  • Atherina pontica Eichwald, 1831
  • Atherina risso Valenciennes, 1835
  • Atherina sarda Valenciennes, 1835
  • Atherina lacustris Bonaparte, 1836
  • Atherina anterina Nardo, 1847
  • Atherina rissoi Günther, 1861
  • Atherina hyalosoma Cocco, 1885
  • Atherina riqueti Roule, 1902
  • Atherina sardinella Fowler, 1903
  • Atherina bonapartii Boulenger, 1907
Atherina boyeri no Golfo de Odessa, Mar Negro.

DescriçãoEditar

A espécie Atherina boyeri é um pequeno peixe prateado, de corpo alongado que não ultrapassa os 20 cm na fase adulta, atingindo 14,5 cm de comprimento padrão, com base na medição de indivíduos de sexo indeterminado.[4] Apresenta a mandíbula superior leigeiramente protuberante. Duas barbatanas dorsais, a primeira situada na região média do corpo e a segunda no terço posterior.

Apesar de ser um peixe marinho, A. boyeri tolera bem baixas salinidades, sendo uma espécie de água doce, de água salobra e marinha. Em consequência, para além das águas costeiras, ocorre em zonas húmidas costeiras, estuários e no curso inferior de alguns rios que desembocam na sua região de distribuição natural. Forma cardumes densos junto à costa e na foz de rios e ribeiras.

A espécie é capturada nas águas costeiras de toda a bacia do Mediterrâneo, no Mar Negro e no Cáspio para alimentação humana e é utilizada para isco na pesca de espécies de maior porte. É consumida tradicionalmente em fritos, em confecções conhecidas por vários nomes, entre os quais jol, joels ou mangetout ( sul da França).[5]

Sub-espéciesEditar

São reconhecidas duas subespécies de A. boyeri:

  • Atherina boyeri pontica (Eichwald, 1838) - Mar Negro e Mar de Azov;
  • Atherina boyeri caspia (Eichwald, 1838) - Mar Cáspio.

Notas

  1. «Atherina boyeri». Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas da UICN 2021 (em inglês). 2008. ISSN 2307-8235 
  2. «FishBase: boyeri». Consultado em {{{3}}}  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. (em inglês) World Conservation Monitoring Centre 1996. Atherina boyeri. 2006 IUCN Red List of Threatened Species. Dados de 4 de agosto de 2007.
  4. Atherina boyeri - Froese, R. and D. Pauly. Editors. 2014. FishBase. World Wide Web electronic publication. www.fishbase.org, (11/2014).
  5. «L'Athérine ou Joël, sa pêche, sa vie, son comportement». Chasseur d'antan .

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Atherina boyeri
O Wikispecies tem informações sobre: Atherina boyeri