Abrir menu principal

Bernardo de Caula

Soldado Português de origem Francesa
Bernardo de Caula
Nascimento 1763
Morte 8 de outubro de 1793 (30 anos)
Cidadania França
Filho(s) Carlos Frederico Bernardo de Caula
Ocupação militar, engenheiro, cartógrafo
Belém e Ajuda - Vista e perspectiva da Barra, Costa e Cidade de Lisboa (Bernardo de Caula, 1763)
Torre de Belém - Vista e perspectiva da Barra, Costa e Cidade de Lisboa (Bernardo de Caula, 1763)

Bernardo de Caula, foi um soldado de origem francesa, que ingressou no Exército Português, como primeiro tenente da Companhia de Mineiros e Sapadores do Regimento de Artilharia de Lagos, em 7 de novembro de 1763. Em 17 de outubro de 1771, foi promovido a capitão e em 26 de março de 1789, passou à situação de reforma por motivo de doença. Foi pai do general Carlos Frederico Bernardo de Caula e avô do também general Carlos Maria de Caula. [1][2][3][4]

Desenhador e cartógrafo, o militar realizou diversos projetos para a Marinha Portuguesa, muitos dos quais hoje encontram-se em museus e bibliotecas ao redor do mundo.[5][6] Bernardo retratou a costa e a cidade em pleno processo de recuperação do terrível terremoto de Lisboa, marcado como um dos sismos mais mortíferos da história, apontando o que alguns historiadores chamam a pré-história da Europa Moderna. Os sismólogos estimam que o sismo de 1755 atingiu magnitudes entre 8,7 a 9 na escala de Richter. Foi em 1 de novembro de 1755.[3][7][8]

Referências

  1. (cf. Arq. Hist. Militar, Processo de Bernardo de Caula, Arq. Hist. Militar Cx. 363)
  2. «Biblioteca Genealógica de Lisboa». www.biblioteca-genealogica-lisboa.org. Consultado em 14 de março de 2018 
  3. a b «OLISIPO» (PDF). "Amigos de Lisboa". Outubro de 1938 
  4. Grande enciclopédia portuguesa e brasileira: Carr-Coca. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, limitada 
  5. «Obras publicadas em1763 - PURL.PT - Biblioteca Nacional Digital». purl.pt. Consultado em 14 de março de 2018 
  6. «Lisboa: Vista e perspectiva da Barra Costa e Cidade de Lisboa Capitale do Reino de Portugal, Situada na borda do Rio Tejo em 38 graos 42 minutos e 50 Segundos de latitude e em 8 graos 26 minutos e 15 Segundos de longitude. Ainda que por causa do memoravel - Biblioteca Nacional Digital». purl.pt. Consultado em 14 de março de 2018 
  7. Sepúlveda, Cristovão Aires de Magalhães. Manuel da Maya e os engenheiros militares portugueses no Terramoto de 1755. [S.l.]: Library of Alexandria. ISBN 9781465567437 
  8. (Portugal), Biblioteca Nacional (2001). A ciência do desenho: a ilustração na colecção de códices da Biblioteca Nacional. [S.l.]: Biblioteca Nacional Portugal. ISBN 9789725653203 

Ver tambémEditar