Bicudo-verdadeiro

Os bicudos (Oryzoborus maximiliani) são ave passeriformes da família dos emberizídeos, de ampla distribuição, original do Brasil oriental e central e da América do Sul tropical.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaBicudo
Bicudo.JPG
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Subordem: Passeri
Família: Emberizidae
Género: Oryzoborus
Espécie: O. maximiliani
Nome binomial
Oryzoborus maximiliani
Cabanis, 1851

Na espécie, o macho é negro, com espéculo, axilares e lado inferior das asas brancos, e a fêmea, por sua vez, é pardo-escura. Por causa das plantações que destroem seu habitat natural, já desapareceu de várias regiões do Brasil.

Raramente é encontrada espécimes dessa espécie livres na natureza, quando são vistas, tendem a ser resultados de trabalhos de reintrodução [1]. No Brasil há a Portaria do Ministério do Meio Ambiente n° 444 de 17 de Dezembro de 2014 e, em Minas Gerais, a Deliberação Normativa COPAM n° 147 de 2010 que tratam a espécie como espécies da fauna ameaçadas de extinção. A criação em cativeiro conseguiu manter o estoque genético, entretanto a mesma prática que incentivou a captura predatória do mesmo, devido ao valor comercial que o bicudo tem entre criadores de passeriformes.

Em 2013, a IUCN reclassificou a espécie como vulnerável[1].

Também são conhecidos pelos seguintes nomes: angulista, bico-preto, bicudo-grande, bicudo-maior, bicudo-maquiné, bicudo-preto, bicudo-verdadeiro, cuitelão, maquiné.

Referências