Boa Nova

município do Estado da Bahia, Brasil

Boa Nova é um município brasileiro do estado da Bahia. Está localizado na região centro-sul da Bahia (14°22'05 S e 40°12'24 O), possuindo na zona urbana uma temperatura média de 24°C. Possui uma população de 15.409 habitantes, espalhados por uma área de 856 km², onde predominam a agricultura e a pecuária. É conhecida internacionalmente por sua elevada biodiversidade especialmente para o grupo das aves, onde já foram registradas mais de 450 espécies.

Boa Nova
  Município do Brasil  
Boa nova.jpg
Símbolos
Bandeira de Boa Nova
Bandeira
Brasão de armas de Boa Nova
Brasão de armas
Hino
Gentílico boanovense
Localização
Localização de Boa Nova na Bahia
Localização de Boa Nova na Bahia
Boa Nova está localizado em: Brasil
Boa Nova
Localização de Boa Nova no Brasil
Mapa de Boa Nova
Coordenadas 14° 21' 46" S 40° 12' 28" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Poções, Manoel Vitorino, Mirante, Dário Meira, Itagibá
Distância até a capital 480 (100 km de Vitória da Conquista) km
História
Fundação 6 de agosto de 1921 (101 anos)
Administração
Prefeito(a) Adonias Rocha (PSD, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 856,886 km²
População total (IBGE/2010[2]) 15 409 hab.
Densidade 18 hab./km²
Clima frio e seco
Altitude 748 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 45250-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,567 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 44 974,850 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 2 825,76
Sítio www.boanova.ba.gov.br (Prefeitura)

HistóriaEditar

Os primeiros desbravadores da região onde se situa o município foram os bandeirantes João da Silva Guimarães, André da Rocha Pinto e João Gonçalves da Costa. Eles estavam em busca do ouro das lendárias minas auríferas existentes na serra do Timorante. Tal exploração se deu no período de 1744 a 1790.

Próximo a 1800 se estabeleceu definitivamente na chamada Fazenda de Uruba, o Capitão-mor Antônio Dias de Miranda, filho do bandeirante João Gonçalves da Costa. Dessa fazenda e a partir de seus descendentes se irradiou os primeiros povoamentos que com o tempo passou a se denominar Boca do Mato.

O príncipe Maximilian zu Wied-Neuwied fez um relato de sua passagem pela região em 1817 no seu livro 'Viagem ao Brasil'.[5]

O nome Boa Nova surgiu mais ou menos em 1860, quando, ao passar por essa região, certo frade que voltando de uma missão na vila de Vitória da Conquista se perdeu nas selvas, sendo socorrido por moradores da terra. Em recompensa o frade ofereceu uma estampa de Nossa Senhora da Boa Nova, pedindo que construísse no local uma capela. O fazendeiro Antonio Coelho Sampaio, seu genro e um dos filhos de João Gonçalves Costa, foi quem se encarregou disto. Foi seu primeiro vigário o Padre Exupério de Souza Gomes.

A povoação foi elevada à vila em 1903, e em 1918 foi criada a freguesia. O município de Boa Nova foi elevado a cidade no dia 6 de agosto de 1921.

GeografiaEditar

O município fica situado a 480 km de Salvador e 110 km de Vitória da Conquista. Possui um território de 868 km2 cortado por uma cadeia “montanhosa” (que atinge até 1.120 metros acima do nível do mar), conhecida localmente como Serra da Ouricana. Tal elevação de relevo funciona como barreira natural para a umidade vinda do Oceano Atlântico, ocorrendo uma “alta” precipitação pluviométrica no seu contraforte leste. Já a oeste dessa montanha, uma faixa de cerca de 8 km de largura ainda é influenciada por essa umidade, recebendo precipitações residuais em forma de neblina; no entanto 42% do município (a oeste) tem seu período chuvoso relacionado exclusivamente à massa de ar equatorial continental, originada na Amazônia. Essa situação cria três cenários bem distintos em termos de clima e vegetação, ocorrendo no território duas zonas especificas, uma de Caatinga e outra de Mata Atlântica. A transição entre esses dois biomas é conhecida localmente como Mata-de-Cipó. O trecho leste é rico em rios e cachoeiras e uma biodiversidade nacionalmente reconhecida, especialmente para o grupo das aves.

Dentro os distritos que compõem o município, destaca-se o Valentim, pela tradicional feira livre dominical, situado na Zona da Mata Atlântica, e no outro extremo o Penachinho, localizado na Zona da Caatinga.

Meio AmbienteEditar

O município de Boa Nova está situado na Mata de Cipó, que é uma área de transição entre os biomas da Mata Atlântica e Caatinga, e por muito tempo o bioma sofreu com a caça e com o intenso desmatamento para a produção de lenha.

O gravatazeiro (Rhopornis ardesiacus), uma ave endêmica da Mata de Cipó e ameaçada de extinção é encontrada nas matas da região, e se tornou o símbolo dos esforços de conservação das florestas de Boa Nova.

 
Gravatazeiro

De 2003 à 2017, a SAVE Brasil, representada pelo ornitólogo Edson Ribeiro Luiz, atuou na região de Boa Nova, uma área que abriga quase 450 espécies de aves, sendo algumas endêmicas e ameaçadas. Nesse sentido, a SAVE Brasil desenvolveu um trabalho de engajamento comunitário no município, para sensibilizar a população sobre a importância do gravatazeiro, culminando com inúmeros resultados práticos de conservação. Em pouco tempo, a ave se tornou um orgulho para a cidade, virando nome de time de futebol, tema para o trabalho de artistas, e ao mesmo tempo o desmatamento e a caça entraram em declínio.[6]

Para proteger o habitat do gravatazeiro e das outras várias espécies ameaçadas de extinção que viviam ali, era necessário também transformar essa região em área protegida. Após o entrave envolvendo a licença da mineradora Rio Tinto para extrair bauxita nas áreas onde as unidades de conservação seriam construídas, a SAVE Brasil negociou com a empresa para que esta formalizasse a desistência de explorar a área e, assim, abrisse o caminho para a criação das unidades de conservação.

Em 2010 foi criado por decreto presidencial o Parque Nacional de Boa Nova e o Refúgio de Vida Silvestre de Boa Nova que totalizam mais de 27.000 hectares de áreas protegidas, isso representa cerca de 31% da área do município. Somente o Parque Nacional ocupa uma área de aproximadamente 12.000 hectares, dos quais 2.000 hectares são referentes à Fazenda Liberdade, que pertenceu ao Dr. Mauro Barreira de Alencar, que em vida sempre se preocupou em preservar a área que hoje denomina-se, em sua homenagem, Mata Dr. Mauro, e que faz parte da unidade de conservação.[7][8][9][10]

Atualmente a SAVE Brasil é membro do Conselho Gestor das unidades de conservação de Boa Nova e preside o Conselho Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, importantes fóruns para a gestão dos recursos naturais da região.

CulturaEditar

Entre agosto de 1987 e julho de 1990 foi publicado na cidade o 'Jornal Sem Censura', vinculado a Associação de Desenvolvimento Comunitário de Boa Nova, feito de forma artesanal em formato A4 por estudantes universitários e de ensino médio que residiam em Boa Nova e Salvador. O jornal era impresso em gráficas de sindicatos de trabalhadores em Salvador e distribuído em Boa Nova com apoio de parte da população local.[11]

O jornalista Roberto D´arte lança o Jornal GAMBOA (acrônimo de Grupo dos Amigos de Boa Nova), em maio de 2000, uma iniciativa inovadora para o município, buscando cumprir a missão de resgatar a cultura e história boanovense.[12]

O advogado boanovense Nesmar Andrade publica o livro de crônicas 'Retratos de Boa Nova' pela Editora Scortecci no ano de 2003, que trata dos esportes, política, cultura e sobre o povo singular dessa pacata cidade baiana. Levando para o Brasil e para o mundo as histórias inusitadas do município. O Campeonato de Queima de Pentelho, os jogos de futebol no campo da Lapinha, a água da Biquinha, as partidas de bilhar no bar de Zé Marinho e outras singularidades da cidade, passaram a ser íntimos de muitas pessoas que nem sequer tinham ido a Boa Nova. Em novembro de 2003, as curiosas histórias de Boa Nova narradas por Nesmar Andrade em seu livro o levaram a ser entrevistado no Programa do Jô apresentado pelo comediante Jô Soares na Rede Globo.[13]

Em março de 2008 é criado o Instituto Adroaldo Moraes – IAM, uma organização civil sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover, apoiar e defender a educação, a cultura e a cidadania, em todas as suas manifestações, além da defesa do meio ambiente e preservação do patrimônio histórico-ambiental no município de Boa Nova e região. A partir do projeto 'Baú de Fotos & Recordações de Boa Nova' iniciado em em 2013 pelo Instituto Adroaldo Moraes, em janeiro de 2022 é lançado o livro 'Boa Nova 100 imagens, 100 anos'.[14][15][16]

TurismoEditar

É possível fazer diversas trilhas em serras e morros com os guias locais disponíveis para acompanhar os visitantes, bem como existe um crescente turismo científico, ecológico e de observação de aves.

Há uma série de cachoeiras e mirantes que atraem frequentemente diversos turistas da região, como a cachoeira Sete de Setembro, Caldeirões do Rio do Chumbo, Lagedo dos beija-flores, Serra do Timorante, Mirante do Rio do Chumbo, Morro do Inglês, Cruzeirão, etc.

 
Cachoeira Sete de Setembro

O turista que visitar Boa Nova, além de conhecer uma região de rara beleza, será presenteado pela rica cultura boa-novense, como as Pastorinhas, o Terno de Reis, os presépios, o tradicional São João, e quando setembro chegar, participará do marco dos festejos da cidade, a Festa da Padroeira.[17][18]

Ações de promoção do turismo foram também desenvolvidas na região pela SAVE Brasil como o estabelecimento de um centro de recepção ao turista na cidade, capacitação de guias locais e sinalização dos atrativos dentro das unidades de conservação.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Jornal Gamboa» (htm). Jornal Gamboa Digital - Edição 50. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  6. «SAVE Brasil» (htm). Edson Ribeiro, o guardião do gravatazeiro em Boa Nova-BA. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  7. Unidade de Conservação: Parque Nacional de Boa Nova, MMA: Ministério do Meio Ambiente, consultado em 9 de junho de 2016 
  8. RVS de Boa Nova (RVS), ISA: Instituto Socioambiental, consultado em 23 de outubro de 2016 
  9. «Unidades de Conservação Ambiental na BA têm biodiversidade rica na BA» (htm). G1. Globo Rural. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  10. «Parques do Brasil - Parque Nacional de Boa Nova - Gravatazeiro». YouTube. Consultado em 24 de agosto de 2018 
  11. «Jornal Sem Censura - Edição 05» (htm). Associação de Desenvolvimento Comunitário de Boa Nova. Consultado em 26 de outubro de 2013 
  12. «Jornal Gamboa» (htm). Instituto Adroaldo Moraes. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  13. «Nesmar Andrade conta causos de Boa Nova no Programa do Jô». YouTube. Consultado em 20 de abril de 2013 
  14. «IAM: história, projetos e parceiros» (htm). Instituto Adroaldo Moraes. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  15. «Instituto Adroaldo Moraes - IAM» (htm). Instituto Adroaldo Moraes. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  16. «Boa Nova 100 Anos 100» (htm). Boa Nova 100 Anos 100. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  17. «Boa Nova dá show de cultura com reisados» (htm). Meus Sertões. Consultado em 20 de setembro de 2022 
  18. «Pastorinhas de Boa Nova». YouTube. Consultado em 21 de setembro de 2022 
  Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Boa Nova