Brava Gente Brasileira

filme de 2000 dirigido por Lúcia Murat

Brava Gente Brasileira é um filme de longa-metragem brasileiro de 2000, do gênero drama, dirigido por Lúcia Murat.[2] Teve como principal elenco os atores Diogo Infante, Floriano Peixoto e Luciana Rigueira.[3]

Brava Gente Brasileira
Luciana Rigueira, destaque no cartaz do filme.
 Brasil
2000 •  104 min 
Direção Lúcia Murat
Roteiro Lúcia Murat
Elenco Luciana Rigueira
Floriano Peixoto
Leonardo Vilar
Buza Ferraz
Sérgio Mamberti
Género drama
Lançamento 19 de janeiro de 2001[1]
Idioma português

"Brava Gente Brasileira" é um dos versos que o jornalista Evaristo da Veiga escreveu para o refrão do Hino da Independência, que ganhou música do imperador Dom Pedro I e que foi, até 1890, o Hino Nacional Brasileiro.[4]

Recebeu diversos prêmios e indicações no Brasil e no exterior.[5]

SinopseEditar

Ao chegar na região do Médio-Paraguai no Pantanal, em 1778, ao envio da Coroa Portuguesa para realizar um levantamento topográfico, Diogo de Castro e Albuquerque (Diogo Infante) acompanhado de alguns soldados, passam por alguns desencontros[6].[2] O grupo de portugueses se direcionam ao Forte Coimbra, construção localizada às margens do Rio Paraguai[7], local esse em que o grupo tenta negociar um acordo de paz com os índios cavaleiros, que tem um grande interesse pelo Forte[2][6]. Nesse ínterim, os portugueses se envolvem no estupro de mulheres índias da tribo Kadiwéu que estavam tomando banho num rio.[3] No seguimento da aventura, Diogo passa por conflitos ao ver a dura realidade e os interesses nessa missão.

O enredo do filme retrata o conflito de dois mundos, da cultura entre brancos (colonizadores) e nativos (colonizados), portugueses e índios do século século XVIII[2][6].

Elenco principalEditar

 
Leonardo Villar interpretou o personagem "Comandante"

O filme contou com a participação de atores e atrizes brasileiros e portugueses.

Ator Personagem
Diogo Infante Diogo de Castro e Albuquerque
Floriano Peixoto Capitão Pedro
Luciana Rigueira Ánote
Leonardo Villar Comandante
Buza Ferraz Antônio
Murilo Grossi Alfonso
Sérgio Mamberti Padre
Adeílson Silva Januya
Hilário Silva Cacique Kadiwéu
Vanessa Marcelino Anoã
Sandra da Silva Mãe de Anoã
William Soares Pai de Anoã
Alvanir Matchua Jovem guerreiro
Edna Marcelino Irmã de Anoã
Lair da Silva Mulher com livro
Vânia Matchua Leite Mulher do comandante
Aracy Matchua Parente de Ánote
 
Sérgio Mamberti interpretou o Padre

Prêmios, indicações e festivaisEditar

A estreia mundial do filme Brava Gente Brasileira aconteceu no dia 8 de setembro de 2000 no Festival de Toronto.[8][5]

Mídia caseiraEditar

O filme ganhou uma versão de DVD lançado pela Europa Filmes.[15]

CréditosEditar

  • Lúcia Murat - Produção, roteiro e direção
  • Antonio Luiz Mendes - Direção de fotografia
  • Mair Tavares e Cezar Migliorin - Montagem
  • Cristina Aché - Produção executiva
  • José Joaquim Salles - Direção de arte
  • Heron Alencar - Som direto
  • René Bittencourt - Direção de produção
  • Shell Jr - Cenário
  • Simone Petrillo e Carlos Cox - Edição de som
  • Inês Salgado - Figurino

Referências

  1. «"Brava Gente Brasileira" estréia no cinema e recria história de Iracema». Folha Online. 19 de janeiro de 2001. Consultado em 30 de maio de 2015 
  2. a b c d AdoroCinema, Brava Gente Brasileira 
  3. a b «Brava Gente Brasileira». www.historianet.com.br 
  4. «Nasce Evaristo da Veiga, autor do Hino da Independência». HISTORY. UOL. 3 de setembro de 2013. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  5. a b «Prêmios e Festivais». www.taigafilmes.com 
  6. a b c «O Filme». www.taigafilmes.com 
  7. «Forte Coimbra pode se tornar Patrimônio Mundial pela Unesco». UFMS. 18 de maio de 2018 
  8. AdoroCinema, Brava Gente Brasileira: Curiosidades 
  9. Arantes, Silvana (19 de janeiro de 2001). «Folha de S.Paulo - Cinema/estréias - "Brava Gente Brasileira": Lúcia Murat volta ao Brasil subterrâneo». Folha de S. Paulo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  10. Grillo, Cristina (2 de junho de 1998). «Folha de S.Paulo - Cinema: Sundance faz laboratório de roteiros no Rio - 02/06/98». Folha de S. Paulo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  11. a b Tragtenberg, Lívio (18 de janeiro de 1998). «Portal Bonito - Filme: Brava Gente Brasileira». Portal Bonito. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  12. «Prêmios e Festivais». Taiga Filmes. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  13. a b c d e f g «Africiné - Taiga Filmes & Vídeo». Africiné (em francês). Consultado em 3 de setembro de 2020 
  14. Souza, Jônatas (2018). «Entre a história e o cinema: Lúcia Murat e a arte do viver» (PDF). Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Consultado em 3 de setembro de 2020 
  15. «FILMOGRAFIA - BRAVA GENTE BRASILEIRA». Cinemateca. Consultado em 3 de setembro de 2020 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.