Carolina do Palatinado-Zweibrücken

a Grande Marquesa

Carolina do Palatinado-Zweibrücken (Estrasburgo, 9 de março de 1721 - Darmestádio, 30 de março de 1774) foi a esposa de Luís IX, Conde de Hesse-Darmestádio e uma das mulheres mais intelectuais do seu tempo.

Carolina
Marquesa de Hesse-Darmestádio
Condessa do Palatinado-Zweibrücken
A Grande Marquesa, Carolina Henriqueta de Hesse-Darmsadt (1721-1774)
Marquesa de Hesse-Darmestádio
Reinado 17 de outubro de 1768
a 30 de março de 1774
Antecessor(a) Carlota de Hanau-Lichtenberg
Sucessor(a) Luísa de Hesse-Darmestádio (1761-1829)
 
Marido Luís IX, Conde de Hesse-Darmestádio
Descendência Carolina de Hesse-Darmestádio
Frederica Luísa de Hesse-Darmestádio
Luís I, Grão-Duque de Hesse
Amália de Hesse-Darmestádio
Guilhermina Luísa de Hesse-Darmestádio
Luísa de Hesse-Darmestádio
Frederico de Hesse-Darmestádio
Cristiano de Hesse-Darmestádio
Casa Wittelsbach (por nascimento)
Hesse-Darmestádio (por casamento)
Nome completo Henriqueta Carolina Cristina Luísa
Nascimento 9 de março de 1721
  Estrasburgo, França
Morte 30 de março de 1774 (53 anos)
  Darmestádio, Condado de Hesse-Darmestádio
Pai Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken
Mãe Carolina de Nassau-Saarbrücken
Condessa Carolina Palatina de Zweibrücken (1721-1774), por Antoine Pesne, cerca de 1755

BiografiaEditar

Henriqueta Carolina era a filha mais velha de Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken e da sua esposa, Carolina de Nassau-Saarbrücken.

Casou-se a 12 de agosto de 1741, em Zweibrücken com o marquês Luís IX, Conde de Hesse-Darmestádio. Ela se casou em 20 de agosto de 1741 em Zweibrücken, com o mais tarde conde Luís IX de Hesse-Darmstadt (1719-1790). O casamento foi logo marcado por conflitos devido à discordância dos cônjuges e foi infelizː Carolina interessava-se por música e literatura, enquanto que o seu consorte apenas se preocupava com assuntos militares, e ela vivia separada dele em Buchsweiler. Carolina fundou sua própria corte quatro anos após o casamento, viveu nos primeiros anos predominantemente em Buchsweiler, enquanto seu marido vivia em Pirmasens. Buchsweiler era a residência do condado de Hanau-Lichtenberg, na qual Luís atuava como guardião. Carolina abriu uma fábrica para melhorar a economia do seu estado. Em 1772, promoveu o político Karl Friedrich von Moser, que se tornou Ministro de Estado em 1780.

Após o início da Guerra dos Sete Anos e a tomada do governo pelo marido, ele voltou para Pirmasens e Carolina finalmente se mudou para a residência em Darmstadt com os filhos após outra estadia em Buchsweiler. As medidas de austeridade de seu marido limitaram as inclinações artísticas de Carolina, e a caça, uma atividade que ela apreciava, foi proibida.

Pouco antes de sua morte, Carolina presenciou o casamento de sua filha Guilhermina com o herdeiro russo ao trono, o czar Paulo I, que Frederico, o Grande havia mediado.

Caroline era mais conhecida como The Great Landgräfin, um nome que Johann Wolfgang von Goethe lhe deu. Ela fez amizade com vários escritores e filósofos de seu tempo, como Johann Gottfried Herder, Christoph Martin Wieland e Goethe. Wieland desejou que ele tivesse o poder de torná-la rainha da Europa. Ela também teve contato com Frederico II da Prússia. Ela era uma das poucas mulheres que o Alte Fritz respeitava, e ele se referia a ela como a Glória e Maravilha do nosso século; após a morte dela, ele enviou uma urna para Darmstadt com o texto femina sexo, ingenio vir (Uma mulher por sexo, um homem por espírito).[1]

Karolinenplatz (Darmstadt) é nomeada em sua homenagem.

A Grande MarquesaEditar

[2]Carolina era conhecida por a grande marquesa, um nome que lhe foi atribuído por Johann Wolfgang von Goethe. Era amiga de vários escritores e filósofos do seu tempo, como Johann Gottfried von Herder, Christoph Martin Wieland e Goethe. Wieland desejou ter o poder de a tornar "rainha da Europa". Também mantinha contato com Frederico II da Prússia e era uma das poucas mulheres que ele respeitava. Chamou-a, uma vez, da Glória e Maravilha do nosso século e, após a sua morte, enviou uma urna a Darmestádio com as palavras femina sexo, ingenio vir ("Uma mulher no sexo, um homem no espírito"), que ainda pode ser vista hoje. A partir do final da década de 1740, Carolina reuniu inumeros livros e criou uma biblioteca, para uso privado, ler era um dos hábitos da marquesa, ela preferia os filósofos franceses e também aperfeiçoava o que lia por escrito. Através das suas filhas é uma antepassada das casas reais da Prússia, Alemanha, Holanda e Rússia.

DescendênciaEditar

Do seu casamento, Carolina teve os seguintes filhosː

  1. Carolina de Hesse-Darmestádio (2 de março de 1746 - 18 de setembro de 1821), casada com marquês Frederico V de Hesse-Homburgo; com descendência.
  2. Frederica Luísa de Hesse-Darmestádio (16 de outubro de 1751 - 25 de fevereiro de 1805), casada com o rei Frederico Guilherme II da Prússia; com descendência.
  3. Luís I, Grão-Duque de Hesse (14 de junho de 1753 - 6 de abril de 1830), casado com a princesa Luísa de Hesse-Darmestádio; sem descendência.
  4. Amália de Hesse-Darmestádio (20 de junho de 1754 - 21 de junho de 1832), casada com Carlos Luís, Príncipe-Herdeiro de Baden; com descendência.
  5. Guilhermina Luísa de Hesse-Darmestádio (25 de junho de 1755 - 15 de abril de 1776), casada com o grão-duque Paulo da Rússia, mais tarde Paulo I; sem descendência.
  6. Luísa de Hesse-Darmestádio (30 de janeiro de 1757 - 14 de fevereiro de 1830), casada com Carlos Augusto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach; com descendência.
  7. Frederico de Hesse-Darmestádio (10 de junho de 1759 - 11 de março de 1802), nunca se casou nem deixou descendentes.
  8. Cristiano de Hesse-Darmestádio (25 de novembro de 1763 - 17 de abril de 1830), nunca se casou nem deixou descentes.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Carolina do Palatinado-Zweibrücken em três gerações
Carolina do Palatinado-Zweibrücken Pai:
Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken
Avô paterno:
Cristiano II, Conde Palatino de Zweibrücken
Bisavô paterno:
Cristiano I, Conde Palatino de Zweibrücken
Bisavó paterna:
Madalena Catarina do Palatinado-Zweibrücken
Avó paterna:
Catarina Ágata de Rappoltstein
Bisavô paterno:
João Jacob, Conde de Rappoltstein
Bisavó paterna:
Ana Cláudia de Salm-Kyrburg
Mãe:
Carolina de Nassau-Saarbrücken
Avô materno:
Luis Crato, Conde de Nassau-Saarbrücken
Bisavô materno:
Gustavo Adolfo, Conde de Nassau-Saarbrücken
Bisavó materna:
Leonor Clara de Hohenlohe-Neuenstein
Avó materna:
Filipina Henriqueta de Hohenlohe-Langenburg
Bisavô materno:
Henrique Frederico, Conde de Hohenlohe-Langenburg
Bisavó materna:
Juliana Doroteia de Castell-Remlingen

Referências

  1. Philipp A. Pauli: Darmstadt: Eine historisch-topographische Skizze und Excursionen in die Umgegend. Will, 1815, S. 89.
  2. Não encontrado, Não encontrado (10 de julho de 2020). «Karoline von Pfalz-Zweibrücken». https://de.linkfang.org/. Consultado em 10 de julho de 2020 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carolina do Palatinado-Zweibrücken