Castlevania: Portrait of Ruin

vídeojogo de 2006
Castlevania: Portrait of Ruin
Capa americana do jogo
Desenvolvedora(s) Konami
Publicadora(s) Konami
Produtor(es) Koji Igarashi
Compositor(es) Michiru Yamane
Série Castlevania
Plataforma(s) Nintendo DS
Lançamento
Gênero(s)
Modos de jogo Um jogador, Multijogador
Castlevania:
Curse of Darkness
Castlevania:
The Dracula X Chronicles

Castlevania: Portrait of Ruin[a] é um jogo de plataforma da série Castlevania, desenvolvido e publicado pela Konami para o Nintendo DS.[5][3] Foi lançado em 16 de novembro de 2006 no Japão, e em 5 de dezembro de 2006 na América do Norte.[1]

O jogo está ambientado na Europa em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial,[6] e é a continuação da história de Castlevania: Bloodlines.[7] Ele introduz novos protagonistas e antagonistas à série Castlevania, assim como expande a jogabilidade de dois personagens já apresentada em Castlevania: Dawn of Sorrow.

Portrait of Ruin foi recebido com críticas geralmente positivas, obtendo notas altas de avaliações e várias premiações.

JogabilidadeEditar

Portrait of Ruin apresenta um estilo de jogabilidade com rolagem lateral 2D.[2] Uma das principais características é que os jogadores podem alternar livremente entre dois personagens, Jonathan e Charlotte, similarmente ao modo "Julius" do Castlevania: Dawn of Sorrow. Jonathan e Charlotte podem combinar seus poderes para performar fortes ataques,[6] e suas habilidades combinadas são necessárias em certas partes do castelo para resolver quebra-cabeças e progredir na história.[8]

Além do castelo de Dracula, os protagonistas exploram outros ambientes, como desertos e cidades, através de pinturas espalhadas pelo castelo.[8] Durante a aventura, os heróis encontram 155 inimigos diferentes, que podem ser monitorados em um bestiário.[9] Enquanto progridem, os protagonistas aprendem novas habilidades e adquirem equipamentos e itens que permitem continuar a exploração do jogo.[10]

Assim como em jogos anteriores da franquia, Portrait of Ruin apresenta finais alternativos, possuindo dois finais diferentes. Ambos os finais envolvem Jonathan e Charlotte previnindo Dracula de ser ressuscitado, mas apenas um envolve a derrota de Victor Brauner, outro inimigo vampiro, e a "verdadeira" derrota de Dracula. Em certo ponto do jogo, as ações do jogador determinam qual final será obtido. O primeiro final é normalmente referido como "ruim", porque os principais objetivos da história do jogo não são completados; isto é indicado pela tela de Game over apresentada no lugar dos créditos. O segundo final completa estes objetivos, e permite ao jogador explorar mais do castelo e ganhar acesso a mais pinturas, além de ser o final considerado cânone para a série.[9]

Modos alternativosEditar

Portrait of Ruin apresenta quatro modos alternativos para a história principal, e um modo Boss Rush para ser jogado por um ou dois jogadores. Além de melhorias na vida e poder mágico, itens não podem ser obtidos ou utilizados nos modos extras. Inicialmente, apenas o modo normal está disponível, apresentando os protagonistas Jonathan e Charlotte.[9] Após obter o melhor dos dois finais com Jonathan e Charlotte, o jogador irá destravar um prólogo para a história principal, o modo Sisters, e estágios adicionais no modo Boss Rush.[11] Completar o jogo também dá ao jogador a opção de aumentar a dificuldade, adicionando alguns limites, e iniciando um novo jogo com todos os itens e habilidades obtidos anteriormente. Se o jogador atingir certos requisitos durante o jogo, duas outras versões da história principal são destravadas: o modo Richter e o modo Old Axe Armor.[9]

Nintendo Wi-FiEditar

Portrait of Ruin foi o primeiro jogo da franquia a apresentar um modo cooperativo.[8] Entretanto, este é o segundo jogo multi-jogador da série, visto que Dawn of Sorrow foi o primeiro a apresentar esta opção.[12] Jogadores podem interagir através de conexão local ou da Nintendo Wi-Fi Connection.[6]

EnredoEditar

AmbientaçãoEditar

Castlevania: Portrait of Ruin se passa no universo fictício da série Castlevania, onde os caçadores de vampiros do clã Belmont travam um conflito sem fim contra o vampiro imortal Dracula. O jogo se passa na Europa, em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial[6] e sua história é a continuação da de Castlevania: Bloodlines.[7] Além do castelo, os protagonistas exploram diferentes pinturas que foram criadas pelo vilão chamado Brauner, com essas pinturas agindo como portais para novas áreas, com visuais diferentes do castelo.[8]

PersonagensEditar

Portrait of Ruin introduz Jonathan Morris e Charlotte Aulin à franquia. Jonathan é o atual dono do lendário chicote, Vampire Killer, que foi recebido de seu pai, John Morris, personagem do Castlevania: Bloodlines. Como ele não é um descendente do clã Belmont, não pode destravar o poder completo do chicote sem a assistência de um membro da família Lecarde. Charlotte é uma maga e descendente distante do clã Belnades. O jogo possui os mesmos antagonistas dos jogos anteriores, com Dracula sendo o chefe final, mas adiciona também três novos vilões.

Os novos antagonistas são três vampiros que tomaram o castelo de Dracula. Seu líder é um vampiro ancião chamado Brauner, que recriou o castelo de Dracula usando as almas dos mortos na Segunda Guerra Mundial, para poder utilizar o poder do castelo para destruir a humanidade.[13] Brauner odeia a humanidade porque suas duas filhas foram mortas 30 anos antes, durante a Primeira Guerra Mundial. Brauner pode criar pinturas contendo dimensões paralelas para absorver os poderes do castelo. Ele é auxiliado por duas vampiras gêmeas, Stella e Loretta. Apesar de serem as verdadeiras filhas de Eric Lecarde, foram transformadas por Brauner em vampiras e acreditam que ele é seu pai.

Auxiliando os personagens principais, há o sacerdote Vincent Dorin que atua como vendedor de armas, poções, e magias, assim como um fantasma chamado Wind que fornece novas habilidades e equipamentos que lhe pertenciam enquanto era vivo, desde que os jogadores completem certos objetivos.[6] A identidade de Wind é posteriormente revelada como sendo Eric Lecarde, que lutou ao lado do pai de Jonathan para eliminar Dracula em Bloodlines.

HistóriaEditar

Antes do início do jogo, as irmãs Stella e Loretta viajam para o castelo de Dracula em busca de seu pai, Eric Lecarde. Após atravessar parte do castelo, alcançam o covil de Brauner, onde encontram seu pai derrotado. Vendo as duas irmãs, Brauner as transforma em vampiras.[14] Ao entrar no castelo, Jonathan e Charlotte encontram uma figura enigmática que se apresenta como Wind, que eventualmente assume uma forma humanóide e explica que foi morto pouco tempo atrás, utilizando uma barreira mágica para se manter consciente enquanto estiver dentro da área do castelo.[15]

Jonathan e Charlotte encontram uma das pinturas mágicas de Brauner. Incapazes de destruí-la por fora, ambos viajam para a dimensão paralela contida dentro da pintura.[16] Posteriormente, ao entrar na segunda pintura, encontram Brauner e as gêmeas. Brauner ri da noção de ressuscitar Dracula, já que ele havia falhado múltiplas vezes em controlar a humanidade, mas concorda que seu poder é grande demais para ser ignorado. Ambas as irmãs querem matar os protagonistas, mas Brauner vê a Morte como uma ameaça maior. Continuando a explorar o castelo, os protagonistas encontram a Morte, que pensa que Dracula já havia sido ressuscitado. Quando informada de que Dracula ainda está morto e que outro vampiro controla o castelo, a Morte zomba a ideia de que outra pessoa fosse capaz de fazer isso. Entretanto, ela eventualmente descobre que as afirmações são verdadeiras, e foge para tentar descobrir uma maneira de derrotar Brauner e reviver Dracula.[17]

Jonathan e Charlotte encontram Stella e a derrotam, mas ela foge com sua irmã deixando para trás um medalhão. Ao abrir o medalhão, Charlotte encontra fotos das irmãs com Wind. Ao questionar Wind sobre os novos fatos, ele revela sua verdadeira identidade como sendo Eric Lecarde, e as irmãs como sendo suas verdadeiras filhas.[18] Quando Jonathan e Charlotte chegam na sala do trono de Dracula, encontram-na trancada, e concluem que Brauner está atrasando o retorno de Dracula para absorver o máximo de seu poder.[19]

Após procurar pelo castelo, os protagonistas encontram uma magia que remove maldições e permite que os mortos descansem em paz, utilizando-a durante uma batalha contra as gêmeas e curando as irmãs de seu vampirismo. Isso permite que elas obtenham sua sanidade de volta, se oferecendo para performar um ritual que permitirá que Jonathan utilize o poder completo do Vampire Killer.[20] Após passar em um teste contra as memórias do chicote, Jonathan é avisado para não utilizá-lo demais, visto que o Vampire Killer suga a vida daqueles que não pertencem ao clã Belmont, eventualmente matando o usuário, como aconteceu seu pai. As gêmeas abrem uma passagem que leva a uma sala com a pintura que contém uma dimensão usada por Brauner.[21] As irmãs enfrentam Brauner e o derrotam, confrontando-o sobre seu atos. Ele admite que a justiça não estava ao seu lado, mas se recusa a aceitar que ela estivesse no lado dos heróis. A Morte aparece e mata Brauner, quebrando o selo que trancava a sala do trono, e Jonathan parte com Charlotte para enfrentar Dracula.

Antes de lutarem com Dracula, a Morte aparece e se junta ao seu mestre, atacando os heróis.[22] Durante a batalha, a Morte e Dracula chegam a se unir em uma forma mais poderosa, mas mesmo assim são derrotados. Todos fogem do castelo enquanto ele entra em colapso, observando à distância enquanto as paredes caem.

DesenvolvimentoEditar

Um novo Castlevania foi anunciado para o Nintendo DS em 5 de outubro de 2005.[23] Detalhes do jogo não foram liberados até 21 de abril de 2006, quando a Konami revelou o título e a ambientação na Segunda Guerra Mundial.[24] Em 9 de maio de 2006, o trailer oficial foi mostrado em uma conferência de imprensa da Konami, que demonstrou a transição entre personagens e as combinações das habilidades de Jonathan e Charlotte.[25] Em junho de 2006, uma entrevista com o produtor Koji Igarashi revelou que o jogo iria utilizar a touch screen melhor do que Dawn of Sorrow, mencionando também que ele planejava incorporar jogabilidade cooperativa via WiFi.[26] Mais informações sobre a jogabilidade online foram reveladas na Comic-Con 2006, mas detalhes sobre como seria implementada não foram confirmados.[27] Na Tokyo Game Show de 2006, Igarashi confirmou detalhes sobre os modos WiFi e afirmou que Portrait of Ruin teria um modo cooperativo.[28]

Devido à sólida infraestrutura da Nintendo para o Nintendo DS, Igarashi queria tentar os componentes online, testando possíveis jogabilidades cooperativas para futuros títulos de Castlevania.[28] Igarashi comentou que jogabilidade para dois jogadores seria uma homenagem ao Castlevania III: Dracula's Curse, seu título favorito.[29] O estilo anime da arte de Dawn of Sorrow foi mantido, visto que Igarashi havia escolhido o estilo por apelar para a demografia mais jovem dos consoles portáteis da Nintendo.[30][31]

MerchandisingEditar

Vários produtos de Portrait of Ruin foram lançados juntos do jogo. No Japão, a Konami lançou um guia de estratégia oficial.[32] Na América do Norte, o guia foi lançado pela publicadora BradyGames.[33] Em celebração ao aniversário de 20 anos da franquia, todos que fizessem pré-ordem de Portrait of Ruin receberiam um pacote com alguns produtos extras,[34] incluindo um CD de música, um pôster da cronologia da série contendo muitos dos personagens e eventos significativos da história,[35] e um livro de artes.[29]

RecepçãoEditar

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Allgame      [36]
Eurogamer 7/10[7]
Game Informer 9/10[37]
GameSpot 8.3/10[38]
IGN 8.9/10[39]
Nintendo Life 7/10[40]
Nintendo World Report 9/10[41]
X-Play      [42]
Yahoo! Games      [43]
Pontuação global
Publicação Nota média
GameRankings 85%[45]
Metacritic 85/100[44]

Portrait of Ruin foi recebido com avaliações geralmente positivas e ganhou várias premiações. Game Informer o premiou com Handheld Game of the Month em janeiro de 2007,[37] e o listou como um dos Top 50 Games of 2006.[46] A IGN o premiou com Best Original Score[47] e segundo lugar em Best Adventure Game de 2006.[48] Dracula foi listado como o terceiro melhor vilão de 2006 pela Game Informer, citando a luta final como ponto principal.[49] 1UP.com o listou como Best DS Game em sua lista de melhores jogos da E3 de 2006.[50]

O áudio também foi bem recebido. GameSpot chamou a trilha sonora de "excelente", avaliando-a com nota 9/10.[38] Yahoo! Games avaliou o áudio com nota 4.5/5.[43] Game Informer o chamou de um dos pontos fortes do jogo, apesar de reclamar de Charlotte gritar o nome de seu ataque repetidamente.[37] A IGN afirmou que "a música dramática é suficiente para te arrepiar", apesar de mencionar que a quantidade de vocais foi baixa.[39]

Game Informer elogiou o jogo pelo seu elemento cooperativo, e afirmou que mais jogos deveriam considerar utilizar esta jogabiliadde.[51] GameZone o colocou em 9º lugar na sua lista de melhores jogos Castlevania, com o editor Robert Workman elogiando-o pelas mudanças na série que chegaram sem sacrificar a qualidade.[52]

A jogabilidade recebeu algumas avaliações mistas. GamePro elogiou o componente multijogador, e afirmou que o jogo "não apenas reafirma a grandeza da série, mas também é facilmente um dos melhores jogos portáteis do ano", avaliando-o com nota 4.5/5 em todas as categorias.[53] Eurogamer comentou que a jogabilidade com dois protagonistas era complicada e algumas vezes estranha, comparando-o com seu antecessor e afirmando que Portrait of Ruin desviou de Dawn of Sorrow em termos de jogabilidade.[7] A Game Informer o chamou de "uma das melhores experiências nos jogos", e elogiou a história, ambientação e jogabilidade.[46] Yahoo! Games chamou a jogabilidade de "viciante" e elogiou o uso de dois personagens, mencionando também a jogabilidade online, a ambientação, e a liberdade de jogar com ou sem as funções especiais do Nintendo DS, mas criticou alguns dos diálogos.[43] A IGN afirmou que o jogo não foi "a revelação alucinante que Dawn of Sorrow havia sido", mas elogiou a jogabilidade "sólida" e o considerou uma experiência agradável.[39] GameSpot o considerou um grande jogo porque ele "foi verdadeiro ao design familiar de Castlevania, e entrega uma aventura divertida e longa."[38]

Shutaro Iida, que trabalhou no jogo como programador, citou Portrait of Ruin como seu Castlevania favorito dentre os que ele participou.[54]

Notas

  1. Conhecido no Japão como Akumajō Dracula Gyararī obu Rabirinsu (悪魔城ドラキュラ ギャラリー オブ ラビリンス? lit. Castelo Demoníaco do Dracula: Galeria do Labirinto)[4]

Referências

  1. a b «Castlevania: Portrait of Ruin» (em japonês). Konami. Consultado em 26 de outubro de 2020 
  2. a b «Castlevania: Portrait of Ruin for DS» (em inglês). ToTheGame 
  3. a b «Konami - Castlevania: Portrait of Ruin». Konami 
  4. «悪魔城ドラキュラ ギャラリー オブ ラビリンス» (em japonês). Konami. Consultado em 26 de outubro de 2020 
  5. Morcos, Antoine (21 de abril de 2006). «Un nouveau Castlevania sur Nintendo DS» (em inglês). Jeux France. Consultado em 23 de abril de 2006. Cópia arquivada em 22 de abril de 2006 
  6. a b c d e Konami (2006). Castlevania: Portrait of Ruin Instruction Booklet (em inglês). [S.l.]: Konami 
  7. a b c d Bramwell, Tom (13 de dezembro de 2006). «Castlevania: Portrait of Ruin Review». Eurogamer (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2007. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2007 
  8. a b c d «Nintendo Power» (em inglês). 204. Junho 2006. pp. 31–33 
  9. a b c d Deats, Adam; Joe Epstein (2006). Castlevania: Portrait of Ruin Official Strategy Guide (em inglês). [S.l.]: BradyGames Publishing. ISBN 0-7440-0889-1 
  10. «Castlevania returns to the Nintendo DS with Portrait of Ruin» (em inglês). Konami. 21 de abril de 2006. Consultado em 23 de abril de 2006. Cópia arquivada em 4 de maio de 2006 
  11. Sallee, Mark Ryan. «Castlevania: Portrait of Ruin (DS) Guide – Secrets» (em inglês). GameSpy. Consultado em 18 de dezembro de 2007. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2007 
  12. Harris, Craig. «Matéria sobre Castlevania: Dawn of Sorrow» (em inglês). IGN 
  13. «Konami E3 2006 Special Site – Castlevania: Portrait of Ruin» (em inglês). Konami. 10 de maio de 2006. Consultado em 10 de maio de 2006. Cópia arquivada em 4 de junho de 2006 
  14. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Loretta: Father! / Eric: S-Stay back! / Stella: But you're hurt so badly! / Eric: !! Brauner! / ... / Brauner: Have no fear. I shall grant you a world of peace, my beloved daughters... 
  15. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Jonathan: !! Something's here?! / Charlotte: It's not human. / Johnathan: A Monster?! / Charlotte: No, wait! I sense no evil from him. / ... / Charlotte: I find it very odd to find a ghost not controlled by Dracula's castle. / Wind: A smart girl, compared to this foolish boy. Just before I died, I cast a magic barrier on myself, binding my soul to this place. I'm free from the castle's control, but I'm trapped here. 
  16. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Charlotte: In short, think of it as a series of walls that surround the magic controlling Dracula's Castle. The painting itself is just the outermost wall. As soon as you break it, it'll regenerate. It's unbreakable. / Jonathan: How convenient. So now what? / Charlotte: I'll align my magic with the painting's so we can enter it. That'll be the best way to circumvent the castle's magic. The risk is quite high though. 
  17. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Jonathan: Dracula isn't this castle's master anymore! Why are you here? / Death: My, what an odd thing to say. This castle belongs to Lord Dracula. To him and no one else. / Charlotte: I get it. You've joined forces with Brauner because you're thinking of resurrecting Dracula, aren't you? / Death: Brauner... Who are you talking about? / Jonathan: There's no point in playing dumb! We already know the current master of this castle is a vampire by the name of Brauner! / Death: Vampire Brauner... Even with my power, I didn't sense that. It seems I have been dormant for far too long. 
  18. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Wind: ... Ah, indeed, I do. Let me tell you my real name. It's Eric. Eric Lecarde. / ... / Charlotte: Then what's your relationship with the two girls in the photo? / Eric: They're my daughters. 
  19. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Jonathan: What the? I can see the way ahead but I can't move forward! / Charlotte: Hold on a minute... This is the way to the throne, but it's spatially segregated. / ... / Charlottte: Simply put, there's something like an invisible wall here. Brauner said he had separated Dracula from the castle. This is what he was talking about. 
  20. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Jonathan: The vampire's control seems to be fading. It's a success! / Charlotte: Well, of course. "No problem", as you would say. / Loretta: We... What have we been doing? / Stella: ... The heir to the Vampire Killer. Jonathan Morris, correct? I apologize for all that we have put you through. / Jonathan: Huh? Oh sure. N-No problem. / Stella: And Miss Charlotte, thank you so much for setting us free. / ... / Stella: One more thing. It's about the Vampire Killer. / Loretta: We can perform a ritual to unlock the power of the whip. 
  21. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Stella: The studio painting is sealed by four paintings surrounding it. / Charlotte: Meaning we need to break the seal to enter the painting. / ... / Loretta: The door to the inner room can only be opened by either Brauner or ourselves. 
  22. Konami Digital Entertainment Co., Limited (5 de dezembro de 2006). Castlevania: Portrait of Ruin (em inglês). Nintendo DS. Konami Digital Entertainment Co., Limited. Jonathan: Oh, so you're ignoring me? Turn and face me! / Death: You will not touch Lord Dracula! This time, let's fight for real! / Dracula: Enough with this sideshow. Why don't we show him our combined power? 
  23. «The Magic Box: International Videogame news» (em inglês). The Magic Box. 5 de outubro de 2005. Consultado em 29 de janeiro de 2007. Cópia arquivada em 11 de março de 2007 
  24. Hatfield, Daemon (21 de abril de 2006). «Drac is Back». IGN (em inglês). Consultado em 29 de janeiro de 2007. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2006 
  25. Childers, Brent (9 de maio de 2006). «IGN: E3 2006: Castlevania Portrait of Ruin Details». IGN (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2007. Cópia arquivada em 27 de abril de 2007 
  26. Vore, Bryan (22 de junho de 2006). «Castlevania's Koji Igarashi: Chat of Ruin» (em inglês). GameInformer. Consultado em 3 de maio de 2007. Arquivado do original em 13 de outubro de 2007 
  27. Sanders, Kathleen (24 de julho de 2006). «IGN: Comic-Con 2006: Castlevania Gets Co-Op». IGN (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2007. Cópia arquivada em 10 de dezembro de 2006 
  28. a b Nix (24 de setembro de 2006). «IGN: TGS 2006: At the End with Koji Igarashi». IGN (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2007. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2007 
  29. a b «Castlevania 20th Anniversary Deluxe Art Collection». 20th Anniversary Pre-Order Bundle (em inglês). Konami Digital Entertainment Co. Ltd. dezembro 2006 
  30. «TGS2005 – Koji Igarashi» (em inglês). Play. Consultado em 23 de outubro de 2007. Arquivado do original em 28 de setembro de 2007 
  31. Payton, Ryan (11 de março de 2005). «A new art style for Castlevania (Page 4 of 4)». 1UP.com (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2007. Arquivado do original em 27 de setembro de 2007 
  32. 送料無料 悪魔城ドラキュラ ギャラリー・オブ・ラビリンス 公式ガイドコンプリートエディション (em inglês). Konami. Consultado em 11 de setembro de 2007. Arquivado do original em 5 de setembro de 2007 
  33. «Castlevania: Portrait of Ruin Official Strategy Guide» (em inglês). BradyGames. Consultado em 11 de setembro de 2007. Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2008 
  34. Sinclair, Brendan (23 de outubro de 2006). «Konami boxes DS Castlevania». GameSpot (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2007. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2007 
  35. «Castlevania The Timeline». 20th Anniversary Pre-Order Bundle (em inglês). Konami Digital Entertainment Co. Ltd. dezembro 2006 
  36. «allgame ((( Castlevania: Portrait of Ruin > Overview )))» (em inglês). Allgame. Consultado em 16 de junho de 2008 
  37. a b c Biessener, Adam (janeiro 2007). «Castlevania: Portrait of Ruin – Review». Game Informer (em inglês) 165 ed. Cathy Preston. 114 páginas. Consultado em 19 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2007 
  38. a b c Mueller, Greg (5 de dezembro de 2006). «Castlevania: Portrait of Ruin for DS». GameSpot (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2007. Cópia arquivada em 17 de maio de 2007 
  39. a b c Rob Burman (7 de março de 2007). «Castlevania: Portrait of Ruin UK Review». IGN (em inglês). Consultado em 11 de setembro de 2007. Arquivado do original em 17 de outubro de 2007 
  40. «Castlevania: Portrait of Ruin for Nintendo DS review». Nintendo Life (em inglês). Consultado em 15 de março de 2007. Cópia arquivada em 24 de outubro de 2012 
  41. «Castlevania: Portrait of Ruin review» (em inglês). Nintendo World Report. Consultado em 18 de dezembro de 2006. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  42. Moses, Elisa. «Castlevania: Portrait of Ruin Review» (em inglês). G4TV. Consultado em 25 de julho de 2007. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2006 
  43. a b c Leeper, Justin (8 de dezembro de 2006). «Konami's classic, beloved franchise adds a brilliant two-character dynamic» (em inglês). Yahoo! Games. Consultado em 11 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 19 de agosto de 2008 
  44. «Castlevania: Portrait of Ruin (DS) Reviews». Metacritic (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2007. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2007 
  45. «Castlevania: Portrait of Ruin – DS Reviews» (em inglês). GameRankings. Consultado em 4 de junho de 2007. Cópia arquivada em 19 de maio de 2007 
  46. a b «The Top 50 Games of 2006». Game Informer (em inglês) 165 ed. Cathy Preston. Janeiro 2007. 63 páginas 
  47. IGN Staff. «IGN Presents the Best of 2006». IGN (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2007. Cópia arquivada em 22 de março de 2007 
  48. IGN Staff. «IGN Presents the Best of 2006». IGN (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2007. Cópia arquivada em 22 de março de 2007 
  49. «Top 10 Villains of 2006». Game Informer (em inglês) 165 ed. Cathy Preston. Janeiro 2007. 56 páginas 
  50. 1UP.com staff. «1UP.com's Best of E3 2006». 1UP.com (em inglês). Consultado em 1 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 19 de maio de 2006 
  51. Turi, Tim (4 de abril de 2012). «Ranking The Castlevania Bloodline». Game Informer (em inglês). Consultado em 5 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  52. Workman, Robert (27 de setembro de 2011). «Happy 25th Birthday Castlevania: The Ten Best Games In the Series». GameZone (em inglês). Consultado em 5 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2013 
  53. «Review: Castlevania: Portrait of Ruin». GamePro (em inglês). 5 de dezembro de 2006. Consultado em 6 de dezembro de 2006. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2006 
  54. Knezevic, Kevin (23 de junho de 2017). «Symphony Of The Night Designer IGA Talks Bloodstained's Delay And His Favorite Castlevania». GameSpot (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2017. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2017 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar