Cavi Borges

Carlos Vinicius Borges (Rio de Janeiro, 12 de novembro de 1975), conhecido como Cavi Borges, é um cineasta, produtor e ex-judoca brasileiro. Com uma vasta filmografia, tendo dirigido quatorze longa-metragens e mais de quarenta curtas, além de ter produzido mais de cento e cinquenta filmes, é considerado um dos principais produtores do cinema brasileiro independente contemporâneo.[1][2][3]

Cavi Borges
Cavi Borges
Nome completo Carlos Vinicius Borges
Nascimento 12 de novembro de 1975 (47 anos)
Rio de Janeiro,  Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Cineasta
Ex-judoca
Atividade 2002—presente
Outros prêmios
Festival do Rio 2007
Melhor Curta-Metragem: Sete Minutos
Festival de Gramado 2011
Prêmio da Crítica: Riscado

Seus filmes foram exibidos e premiados em alguns dos mais importantes festivais de cinema do Brasil e do mundo, como o Festival de Cannes, Festival do Rio, Festival de Gramado, Mostra de Cinema de Tiradentes e outros.[4]

Também foi fundador da locadora, produtora e distribuidora Cavídeo.[2]

CarreiraEditar

Cavi Borges atuou como atleta de judô profissional até o ano 2000. Em 1996, teve um acidente e por conta disso, não conseguiu participar da Olimpíada de Atlanta, nos Estados Unidos. Em 2000, teve um rompimento dos ligamentos do joelho e assim, mais uma vez perdeu os jogos olímpicos em Sydney, na Austrália.[5][6]

Ao se aposentar como atleta, Borges abriu uma locadora de vídeo chamada Cavídeo, no Rio de Janeiro. A locadora se tornou referência no Rio de Janeiro na época, por conta de seu acervo de filmes até então cults e raros, com títulos de diretores como Bergman e Truffaut, entre outros. Além da locação de filmes, a Cavídeo gradualmente passou a também organizar eventos como mostras, encontros, lançamentos de DVDs e livros, festas e, em 2009, passou a atuar também como produtora de filmes.[7][8][9]

Borges em participação na TV Brasil.

Formado em Cinema e Audiovisual na Universidade Estácio de Sá, Borges passou a atuar como produtor e diretor de cinema. Desde o início dos anos 2000, Borges atuou como diretor e produtor em centenas de filmes independentes. Como diretor, realizou filmes de destaque como o documentário Cidade de Deus - 10 Anos Depois, Vida de Balconista e outros. Seus filmes foram exibidos em alguns dos mais importantes festivais de cinema do mundo, incluindo o Festival de Cannes, na mostra Semaine de la Critique, com o curta-metragem A Distração de Ivan.[10] Como produtor, trabalhou ao lado de realizadores como Felipe Bragança, Luiz Rosemberg Filho, Sérgio Ricardo, Luiz Carlos Lacerda, Sabrina Fidalgo e outros.[11]

Referências

  1. «Quem é: Cavi Borges». FilmeB. Consultado em 1 de junho de 2021 
  2. a b «Cavi Borges é patrimônio do Rio». O Dia. Consultado em 1 de junho de 2021 
  3. «Cineasta Cavi Borges é o entrevistado do Cinema No Ar Especial». Rádios EBC. Consultado em 1 de junho de 2021 
  4. «Filme brasileiro será exibido em mostra paralela do Festival de Cannes». G1. Consultado em 1 de junho de 2021 
  5. «Cineasta Cavi Borges abandonou os tatames para se dedicar à sétima arte». G1. Consultado em 1 de junho de 2021 
  6. «De ex-judoca a produtor cinematográfico». Tribuna do Norte. Consultado em 1 de junho de 2021 
  7. «Interview with Cavi Borges: Co-director of the Estação Virtual Festival». Designer Women. Consultado em 1 de junho de 2021 
  8. «Rio de Janeiro ganha biblioteca gratuita especializada em cinema». Diário do Rio. Consultado em 1 de junho de 2021 
  9. «Entrevista Ao Produtor e Realizador Brasileiro Cavi Borges». C7nema. Consultado em 1 de junho de 2021 
  10. «Cavi Borges». Brasil Informal. Consultado em 1 de junho de 2021 
  11. «Produtora Cavídeo, que realiza filmes com baixo orçamento, lança coletânea em comemoração pelos dez anos». O Globo. Consultado em 1 de junho de 2021 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.